“O segredo é não correr atrás das borboletas… É cuidar do jardim para que elas venham até você”. Mario Quintana

Olá amigos!

No livro Psicologia da Religião Oriental e Ocidental, Jung argumenta que é típico do nosso mundo ocidental esperar que a salvação venha de fora. Porém, como já disse muitas vezes aqui no site, a única pessoa que vai acompanhar você a vida toda – em todos os momentos – é você mesmo! Portanto, é não só lógico como útil aprender como cuidar melhor de si.

1411056508

Algumas dicas:

1) Se você sente que não é para fazer, não faça

Decisões implicam na exclusão de alternativas. Muitas vezes, depois das consequências, nos arrependemos do que escolhemos, mas desde o começo sabíamos que não ia dar certo. Sabe quando você sente, lá no fundo, que não é para fazer? Então, provavelmente este sentimento – que podemos chamar tecnicamente de intuição – é uma ferramenta importante, pois  ao decidir não devemos levar em conta somente a razão.

Veja – Como saber se algo vai dar certo?

2) Diga exatamente o que você quer dizer

O comportamento verbal é um dos mais complexos. Ao longo de toda a vida, continuamos a aprender como falar. Melhor dizer, o que falar e quando falar. Regra geral, é mais saudável dizer o que sentimos, como sentimos, como pensamos do que esconder a nossa verdade.

Também é mais salutar, no longo prazo, dizer logo a verdade do que ficar “dourando a pílula”. Uma meia verdade agora soará como uma falsidade no futuro.

Veja – Mentira tem perna curta – é melhor não mentir

3) Não procure agradar a todos (o tempo todo)

Existe uma frase famosa que diz: “Eu não sei qual o segredo do sucesso, mas o segredo do fracasso é tentar agradar todo mundo”. Cada pessoa tem os seus próprios interesses e, desta forma, avaliará as suas ações conforme os próprios interesses. Na medida em que os interesses não são idênticos, é realmente impossível agradar todo mundo.

Além disso, passar a vida fazendo o que os outros querem é uma forma de alienação do próprio caminho. Isto não implica em um egoísmo exacerbado, apenas quer dizer que se você passar a vida fazendo o que os outros querem que você faça, você tenderá a se afastar do que veio para fazer.

Veja (na parte profissional) – Diferença entre profissão, vocação, missão e paixão

4) Confie nos seus instintos

A palavra instinto nos faz lembrar que nós também somos animais, o que não significa algo ruim ou depreciativo. Podemos ver, então, que fazemos parte da natureza e temos necessidades que estão para além da cultura na qual estamos inseridos e que não mudam: todos precisamos comer, dormir, ter uma atividade produtiva e atividades de entretenimento (descanso), sexualidade, etc.

Assim, a confiança nos sentidos significa duas coisas: uma, quando estamos cansados, devemos descansar; quando estamos com fome, devemos comer; quando estamos com sede, devemos tomar água e por aí vai. Segundo, os instintos humanos – que não são muitos – também servem de alerta sobre determinados perigos. Razão pela qual o medo e a ansiedade, por exemplo, não são necessariamente estados patológicos.

5) Nunca fale mal a respeito de si mesmo

Esta é uma dica preciosa. Pensar mal de si mesmo não trará nada de produtivo, nem trará mudanças. Por isso é tão importante começar a ter a capacidade de aceitar elogios e a capacidade de saber lidar com as críticas.

Quando falamos mal de nós mesmos, quando nos depreciamos, não estamos contribuindo com o nosso bem estar psíquico, nem com o mundo.

Veja – Exercício para diminuir a autocrítica e aumentar a autocompaixão

6) Nunca desista dos seus sonhos

A persistência é indissociável do sucesso. É muito raro, se não de todo inexistente, uma pessoa ou empresa que tenha atingido o sucesso sem nenhum tipo de dificuldade ou percalço. Mas, se houvesse o abandono do sonho, não haveria o sucesso. Por isso, é preciso ter um horizonte de perspectiva mais amplo. Talvez a meta não seja atingida no prazo, contudo, mantida a meta ela poderá ser atingida.

7) Não tenha medo de dizer não

Se você diz sim quando quer dizer não, você está procurando agradar a outra pessoa e, concomitantemente, estará se desagradando. É muito importante dizer não, quando se quer dizer não. Especialmente nos momentos decisivos. Dizer sim para ficar se lamuriando depois será uma grande fonte de sofrimento.

Veja – Aprender a dizer não! E a dificuldade de dizer

8) Não tenha medo de dizer sim

A regra anterior não contradiz essa. Quando queremos dizer sim, devemos dizer sim. Por que não tentar? Por que não experimentar? Por que não ter uma nova experiência?

9) Seja carinhoso consigo mesmo

Como disse no começo, só você acompanhará você por toda a vida, em todos os momentos. Por que não se tratar bem? Se cuidar e ter carinho com a pessoa que você é? Se outros te trataram ou te tratam mal, deixe isso para lá.

Veja – Autocompaixão: como você trata a si mesmo? 3 dicas úteis

10) Deixe para lá o que você não pode controlar

A irritação, o descontentamento, a raiva e a tristeza são geralmente causadas por coisas que não estão sob o nosso controle. Para mim, a imagem típica do desprazer com a vida é a do homem de negócios atarefado e estressado. Como quer controlar o que não pode controlar (a economia, os comportamentos dos seus funcionários e consumidores), mantém a insatisfação quase que todo o tempo.

Melhor é mudar o foco: manter a atenção e o cuidado no que se pode controlar, fazer o seu melhor e a sua parte e ser feliz.

Veja – O que você pode e o que você não pode controlar

11) Afaste-se da negatividade

Se ligarmos a TV ou lermos os jornais, veremos uma pequena parte do que acontece no mundo. Porém, como temos a tendência a generalizar, poderemos passar a achar que tudo está horrível, terrível, feio, destrutivo, que tudo é ameaçador e péssimo.

Como sempre digo, ao mesmo tempo em que acontece um roubo, uma criança nasce, uma pessoa é curada, um descoberta é feita, uma nova tecnologia é lançada.

Afastar-se da negatividade não significa reprimir o que é ruim, mas passar a entender que a vida é muito maior do que apenas notícias e eventos negativos.

Veja – Desafio: passar 21 dias sem reclamar

12) Ame

O amor é misterioso. É difícil definir o que é o amor, mas acredito que todos nós saibamos do se trata. Como diz Platão no seu livro O Banquete, existe o amor erótico (Eros) dos apaixonados, o amor dos pares e colegas e pelas coisas e ideias (Philia) e existe o amor que podemos chamar de amor universal, por tudo e por todos (Ágape).

O amor verdadeiro não causa sofrimento, pois visa o melhor para os outros, é construtivo, generoso, benéfico. Por isso ame: ame o que você faz, ame um lugar, um bicho de estimação, uma pessoa, todas as pessoas.

Veja – O que é o amor para a Psicologia Positiva?

O Amor para a Psicanálise

O amor para a psicologia comportamental – Reforço Positivo

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913