Existe uma relação direta entre a quantidade de mentira que alguém diz e a sua qualidade de vida. Quanto mais mentira, menos qualidade de vida.

Olá amigos!

Na minha imaginação infantil era engraçado imaginar a mentira (uma ideia) tendo perna curta. Minha mãe sempre dizia esta frase e não me lembro exatamente quando entendi o sentido. Se a mentira tem perna curta é porque ela não vai conseguir ir muito longe, quer dizer, mais cedo ou mais tarde as pessoas vão descobrir a mentira.

No texto de hoje, gostaria de conversar sobre o motivo pelo qual é melhor não mentir. Não é um moralismo vazio e hipócrita. É uma necessidade caso você tenha o objetivo de ser mais feliz e ter mais paz.

Todos mentimos

é-uma-verdade

Uma das frases mais conhecidas do personagem House é “todos mentem”. Como médico, especialista em diagnósticos, ele parte deste princípio de que a mentira é universal e não faz diferença ser uma mentira ou uma omissão. Se esta concepção de um personagem de uma série de TV estiver correta (será?), deveríamos procurar os motivos pelos quais mentimos.

Logo podemos pensar em dois: a mentira talvez traga benefícios imediatos e a mentira traz facilidades.

Os benefícios imediatos da mentira são fáceis de encontrar. A criança que finge ter uma dor de barriga para não ir à escola, ou o parceiro(a) que finge ter dor de cabeça para não ter relações. O político que diz uma coisa nas eleições e faz outra depois de eleito ou a mentira de que não vai dar para fazer isto ou aquilo com os amigos.

Algumas mentiras são mais sutis que outras. Parecem desculpas ou justificativas justificáveis, mas no fundo são mentiras. Qualquer pessoa mentalmente sã sabe quando mente e sente pelo menos um pouco do que dizemos de um “peso na consciência”.

O segundo motivo é que a mentira traz facilidades. Melhor dizendo, a mentira em muitos casos parece mais fácil de enfrentar do que a verdade.

A verdade de encontrar a si mesmo

O fundamento de uma psicoterapia é o encontro com si mesmo. Por isso encontramos desde Freud a exigência de uma fala, no consultório, que seja verdadeira. Na análise de um sonho, de um ato falho ou de um sintoma, o sujeito que quer melhorar o motivo pelo qual se sente mal deve ser verdadeiro. Deve ser livre para falar a própria verdade.

Um exemplo facilita o entendimento: digamos que uma paciente diga que quer mudar radicalmente a sua vida. Ao dizer isso, coloca uma série de empecilhos no caminho. “Por causa deste fator, daquele outro e disso e aquilo, não posso mudar radicalmente a minha vida”. Se, por exemplo, a interpretação do analista fosse na direção de como estes empecilhos são apenas desculpas, o paciente poderia então aceitar a verdade de que no fundo não quer mudar e de que o único responsável por estar como está é ele mesmo. Ou então continuar mentindo para si e colocando novos empecilhos…

É nesse sentido que digo que a mentira traz facilidades. É fácil culpar os outros ou as circunstâncias e se colocar em uma posição de vítima. Seja o caso que for, a mentira além de poder trazer um benefício imediato traz a facilidade de esconder de si a verdade.

Consequências no longo prazo

Imagino que quase todos conheçam a história do garoto que adorava mentir. Um dia, na praia, ele começou fingindo que estava se afogando. Todos o acudiram e ele riu falando que eles tinham sido enganados. A cena se repetiu algumas vezes, até que ele realmente se afogou e ninguém já estava dando atenção a ele.

A partir desta história trágica, conseguimos visualizar que a mentira pode ter uma consequência terrível, que é o isolamento e a falta de credibilidade. Se você assina uma revista e descobre que houve um erro em uma publicação, tudo bem. Todos podem errar. Agora se você começa a notar que diversas notícias publicadas são enganosas, no longo prazo você tenderá a não assinar mais a revista, já que ela terá perdido toda a sua credibilidade.

Subjetivamente e não só para empresas, a credibilidade é fundamental. Uma pessoa que é pega o tempo todo enrolada em mentiras está, no final das contas, preparando o terreno para que os outros dela se afastem.

Mas para mim, além destas consequências negativas, o pior da mentira está no lado de dentro.

Porque é melhor não mentir?

Digamos que você invente uma história para alguém, pelo motivo que for. Você terá que manter a versão mentirosa em sua cabeça e terá que guardar todos os detalhes para não ser pego na mentira. Com o intuito de não ser pego, você cria um grande desassossego: você troca a sua paz por um sentimento incômodo da possibilidade de ter problemas caso seja descoberta a verdade. É como o traficante que tem que ficar olhando pelo buraco da janela para ver se a polícia não está vindo.

E como a mentira tem perna curta, mais cedo ou mais tarde a mentirá será descoberta e todo o mal-estar causado psiquicamente terá sido em vão. Evidente que existem os casos em que a mentira não é desmarcada. Entretanto, é preciso notar que quem mentiu sabe que está mentindo.

Um caso clínico ilustra o fato:

Jack Kornfield, o psicólogo americano que teve um longo treinamento em meditação na Tailândia, conta que um de seus pacientes veio buscando ter mais qualidade de vida e logo que começou as práticas de mindfulness se deparou com a mentira que estava carregando. Ele havia desviado mais de um milhão de dólares da firma em que trabalhava, sem ser descoberto e, agora, segundo ele, não tinha mais chances de ser pego. Entretanto, ele sabia o que tinha feito e sua consciência pesada estava lhe sufocando.

Conclusão

Existe uma relação direta entre a quantidade de mentira que alguém diz e a sua qualidade de vida. Quanto mais mentira, menos qualidade de vida, já que mesmo que não seja descoberta, a própria pessoa tem que conviver com a falta de paz de carregar uma dissonância cognitiva. Por isso, todas as psicoterapias em maior ou menor grau trabalham para que os pacientes encontrem e assumam a sua própria verdade.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913