“O amor é como um jogo, no qual duas pessoas podem jogar e ambos podem ganhar” (Eva Gabor)

Olá amigos!

Nesta lição do nosso Curso de Psicologia Positiva Grátis, nós entenderemos o conceito de amor, como virtude, para esta nova abordagem da psicologia.

Definição de Amor

Segundo o Via Institute, o amor deve ser compreendido da seguinte forma:

“Em sua forma mais desenvolvida, o amor ocorre de forma recíproca dentro de uma relação com outra pessoa. Representa uma postura cognitiva, comportamental e emocional voltada para o outro que toma três formas prototípicas. Amor pais-filho, amor filho-pais e amor romântico. Assim, esta força inclui amor romântico e amizade, o amor entre pais e filhos, relações de aconselhamento e os vínculos emocionais entre membros de equipes, colegas de trabalho, etc. O amor é sinalizado pela troca de ajuda, consolo e aceitação. Envolve sentimentos positivos fortes, compromisso e até mesmo sacrifício”.

Frases típicas para uma pessoa que tem a virtude do amor desenvolvida:

“Existe alguém cuja felicidade é tão importante para mim quanto a minha própria”.

“Existe alguém por quem eu faria quase qualquer coisa”.

“Existe alguém de quem eu odeio ficar separado por muito tempo”.

Dentro da divisão das 24 principais virtudes humanas, o amor está incluído na Psicologia Positiva entre as virtudes da humanidade, junto da bondade e da inteligência social. Em síntese, as virtudes da humanidade são virtudes nas quais a personalidade manifesta um cuidado no relacionamento com os outros.

De acordo com Marting Seligman, no livro Character Strenghts and Virtues, o conceito de amor para a Psicologia Positiva exclui o amor que não é recíproco, por exemplo, o amor de um fã por um artista ou a paixão na qual o outro não corresponde.

3 Formas típicas do amor

1) Amor paterno/materno

“A primeira forma é o amor de indivíduos que são as primeiras fontes de afeição, proteção e cuidado. Nós contamos com eles para o nosso bem estar e eles estão lá quando precisamos. O seu amor nos mantém seguros e sentimos muito a sua falta quando somos deles separados” (SELIGMAN, p. 304).

2) Amor filial

“Um outro tipo de amor é amor por indivíduos que dependem de nós para se sentirem seguros. Nós o confortamos e protegemos, damos assistência e cuidado, fazemos sacrifícios para o seu benefício, colocamos as nossas necessidades depois das deles, e nos sentimos felizes quando eles estão felizes” (SELIGMAN, p. 304).

3) Amor romântico

“A terceira forma de amor é aquele que envolve desejo apaixonado e sexual, físico, e proximidade emocional com o indivíduo que nós consideramos especial e que nos faz sentir especial” (SELIGMAN, p. 304).

Então, estes são os três protótipos de amor. Se pensarmos na palavra protótipo, por exemplo, um protótipo de um carro, veremos que a ideia de uma forma típica que estará presente – quase igual ou muito parecida – na fabricação de todos os carros. Assim, um carro tem 4 rodas e todos os carros tem 4 rodas. Um carro pode ter 2 portas ou 4 portas, talvez até 3 portas, mas ainda assim a sua estrutura é bastante parecida em todos os casos.

De maneira próxima, existem estes 3 tipos de amor como protótipos, como formas básicas. Encontraremos na realidade formas de manifestação que são, digamos, como que baseadas nestes protótipos, embora aqui e ali a forma possa mudar um pouco.

Por exemplo, se imaginarmos um time ou uma equipe, veremos que entre os seus membros pode passar a existir um forte amor dos dois primeiros tipos: um cuida do outro e é, ao mesmo tempo, cuidado. Talvez em algum momento possa surgir um amor do tipo romântico, mas sempre lembrando que para a Psicologia Positiva o amor sempre envolve reciprocidade.

Características do Amor

1) Realização

O amor nos completa, nos faz sentir completos, íntegros, realizados. A força do amor sempre foi cantada por músicos e poetas. Portanto, o amor é uma força que impacta e, como seres humanos que procuram desenvolver suas qualidades positivas, há a vontade de amor e ser amado(a).

2) Moralidade

Moralidade aqui significa que o amor é benéfico e sempre procura fazer o bem para o ser amado. Pelo definição da Psicologia Positiva, é impossível que o amor seja imoral ou amoral, pois o vínculo criado entre duas pessoas será positivo e, portanto, válido moralmente.

A ideia é que qualquer um pode amar e ser amado e, consequentemente, não existe sentido em criticar a existência do amor como algo que extrapola os limites de uma dada moralidade. Respondendo a pergunta do imperativo categórico de Kant: “todos podem amar?”, a resposta certamente seria sim.

3) Valorização do outro

Ou não diminuição do outro. Quer dizer, no amor não há nada que faça com que o outro se sinta diminuído, humilhado, para baixo. Assim, há uma valorização do outro e este ou esta se sente realizado em ser amado.

4) O amor como traço de caráter

Segundo Seligman, “a habilidade de amar e ser amado é um traço de caráter, evidente ao longo do tempo e das situações. De fato, padrões de vínculo seguro estabelecidos na infância aparecem décadas depois nos relacionamentos românticos, assim como padrões de vínculo inseguro. Os meios específicos nos quais tais vínculos são expressos pelas crianças, adolescentes, adultos diferem, mas, no entanto, há uma continuidade nos processos e mecanismos, incluindo o nível neurobiológico” (SELIGMAN, p. 294).

5) Distinções com outras virtudes

O amor não pode ser decomposto ou misturado totalmente com outras virtudes, como bondade, inteligência social, esperança, humor ou vitalidade, embora o amor possa também aparecer próximo a tais.

6) E os que não conseguem amar?

Seligman aponta que todos nós conhecemos pessoas que tem dificuldade ou incapacidade total de amar. Se vermos as notícias de famosos, encontraremos pessoas que se casaram muitas vezes ou se olharmos ao redor, encontraremos pessoas que não conseguem manter uma amizade (nenhuma).

Evidente que não podemos fazer um diagnóstico ou uma avaliação superficial, mas, de acordo com o DSM, existem tipos de personalidade, com doenças mentais, que podem impossibilitar a manifestação desta virtude: transtorno da personalidade narcísica, transtorno da personalidade antissocial, transtorno da personalidade esquizoide, entre outros.

Conclusão

É curioso pensar no amor como uma virtude ou como uma força do caráter. Mas se pensarmos, a partir das definições de amor da Psicologia Positiva, no que o amor proporciona para quem ama e para quem é amado, veremos certamente as suas qualidades.

Dúvidas, sugestões, comentários, por favor, escreva abaixo!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913