Conheça as 5 mais importantes dicas de produtividade para escrever um trabalho acadêmico (TCC, dissertação de mestrado, tese de doutorado). Não perca tempo!

Olá amigos!

Na última lição do nosso Curso Grátis Como sobreviver ao TCC, vamos ver dicas de produtividade. Afinal, tendo superado as dificuldades com as dicas das lições anteriores, ainda nos falta aprender o que fazer com relação ao tempo.

Na escrita acadêmica de um projeto, aprendemos que devemos ter um Cronograma. Um cronograma bem feito detalha o que vai ser feito e quando vai ser feito. Mas mesmo tendo um bom Cronograma, podem surgir algumas questões  para atrapalhar como a procrastinação, ou seja, ir deixando para depois até chegar ao ponto de não dar conta de fazer no prazo.

Aprendi com o tempo (e com compromissos em diversas áreas) que uma das maiores fontes de procrastinação é ter em mente muita coisa para fazer. Em outras palavras, quando nós ficamos com a mente cheia de preocupações, temos que fazer a atividade A, a atividade B, a atividade, C, D, E nós acabamos perdendo um bom tempo com a preocupação em si. E perdemos uma outra parte do tempo tentando nos localizar para saber o que vamos fazer.

Assim, em vez de conseguirmos ir adiantando uma coisa por vez, ficamos presos e fazemos muito pouco realmente. O que fazemos mais, neste estado de espírito, é nos preocupar e ficar só pensando.

Por exemplo, vamos imaginar que nós temos um terreno. E neste terreno vamos construir a nossa casa. Imaginar a construção toda, do começo ao fim, é imaginar uma série de atividades uma seguida da outra até que o último detalhe tenha sido arrumado, certo?

Porém, ao pensar em tudo o que deverá ser feito, podemos ficar desmotivados, com preguiça ou sobrecarregados mentalmente. Muitos tem a sensação de que não vão dar conta.

O mesmo acontece em todas as áreas e não deixa de acontecer também com Trabalhos de Conclusão de Curso, dissertações de mestrado e tese de doutorado. A pergunta, portanto, que queremos responder neste texto é:

– O que fazer para ser mais produtivo na escrita do TCC (mestrado e doutorado), fazer com tranquilidade e entregar no prazo?

Dica 1: Ter um objetivo claro em mente

Já escrevi uma lição inteira informando sobre a importância de ter um objetivo claro em mente. Mas friso novamente aqui pois sem ter um objetivo claro em mente você pode perder muito tempo em coisas que você não deveria estar fazendo.

Não só perder tempo em outros sites e em redes sociais, mas também pesquisando mais coisas do que constam em seus objetivos. Assim, imprima ou escreva o seu objetivo e cole em um local visível.

Dica 2: Descubra qual é o seu horário do dia ou da noite mais produtivo

Algumas pessoas são diurnas (gostam de acordar cedo) e outras pessoas são noturnas (gostam de dormir tarde e acordar tarde) e, por fim, outros conseguem alternar entre um extremo e outro.

Sabendo do seu estilo de sono, avalie e descubra em qual período do dia a sua atenção e concentração está mais ativa. Porque ir contra o seu ritmo biológico também vai te atrapalhar em sua produtividade.

Por exemplo, uma pessoa noturna que queira estudar com o nascer do sol não será tão produtiva quanto seria as 10 da noite e uma pessoa diurna terá muito sono a noite, o que lhe impedirá de se concentrar.

Dica 3: Defina uma única coisa para fazer hoje

Com o seu objetivo claro, defina uma única coisa do seu trabalho que você precisa fazer hoje. Deste modo, você vai estar focando em uma parte fundamental do trabalho que precisa ser feito, mas vai estar deixando de lado outros aspectos que serão feitos depois. Com isso, você ganha foco e não fica pensando no que ainda tem que ser feito.

Em muitos sentidos, parar de pensar e fazer é o que precisamos praticar. Quer dizer, pensar que você está construindo a casa no terreno vai ser só isso: um pensamento. Agora, parar de pensar e fazer vai certamente criar a casa – ou o seu trabalho.

Veja também o nosso texto e vídeo – Aprenda a regra da única coisa

Por exemplo, durante um período de minha tese eu tinha que parafrasear um livro enorme, de mais de 500 páginas. Imaginar que eu tinha que fazer tudo isso me desmotivava. O que fiz? Dividi esta tarefa monstruosa de grande em pequenos capítulos. Mas mesmo assim os capítulos continuavam muito grandes.

Aprendi então a dividir em 5 páginas por dia. Não era muito, mas também não era pouco. Era exatamente o suficiente para que eu conseguisse ir concluindo.

Em outro momento, tinha eu corrigir (em camadas como falei no texto anterior) cerca de 200 páginas que já tinha escrito. A sensação de que não ia acabar muito era a mesma. E fiz novamente: dividi em 12 páginas para corrigir por dia. E deste modo, em pouco tempo, consegui concluir também esta tarefa.

Dica 4: Faça Pomodoros

Somente algumas poucas pessoas no mundo tem uma enorme capacidade de concentração e conseguem ficar 4, 5 horas em uma atividade intelectual sem parar. Para a maioria de nós, isso é muito cansativo. Mas isto não significa que não podemos ficar até mais do que isso estudando por dia. Apenas quer dizer que devemos dar pausas.

Pomoro é uma técnica de produtividade extremamente simples. Você pegar a única coisa que você tem que fazer hoje e divide-a em partes de tempos:

1 Pomorodo = 25 minutos

Então você faz a seguinte sequência

1° Pomodoro seguido de uma pausa de 5 minutos

2° Pomodoro seguido de uma pausa de 5 minutos

3° Pomodoro seguido de uma pausa de 5 minutos

4° Pomodoro seguido de uma pausa de 20 minutos

A vantagem do Pomodoro é que você se concentra no que está fazendo. Enquanto o Pomodoro está valendo você não vai fazer mais nada. Não vai abrir uma página de internet não relacionada com sua pesquisa. Não vai atender o telefone. Não vai responder a um email ou à interrupção de alguém na sala, etc.

Durante os 25 minutos você só vai fazer o que tem que fazer. Dica a mais: se você achar 25 minutos muito, diminua um Pomodoro para 15 ou 20 minutos.

O que é importante para entendermos a grande ajuda do Pomodoro, é que cada vez mais, estamos desenvolvendo um tipo de cotidiano que é multitarefa. Fazemos mil coisas ao mesmo tempo e raramente pensamos sobre isso. Assim, a gente responde um email, ouvindo música e conversando com alguém ou falamos no celular enquanto terminamos uma pesquisa na internet. Apesar de que ser multitarefa pareça ser uma vantagem, não é. Quer dizer, pode ser em casos bem pontuais, mas nas atividades mais complexas que exigem atenção (como estudar ou trabalhar), o ideal é que façamos uma coisa por vez. Exatamente isso: uma única coisa por vez.

Por exemplo, se eu estou escrevendo um artigo acadêmico, eu estou escrevendo um artigo acadêmico e apenas isso. Por razões que também são claras, a não interrupção para outras coisas nos mantém focados e, consequentemente, acelera o processo de concluir o artigo ou o que quer que seja o nosso objetivo.

Se colocarmos à prova, veremos que a interrupção de uma atividade para fazer outra coisa não é eficiente. Até retomarmos o ponto em que estávamos, vamos perdendo tempo. De modo que algo que poderíamos fazer em uma hora, fazemos em quatro ou mais (se somarmos as interrupções mais o tempo que gasta para retomar do ponto onde tínhamos parado).

Esta é a primeira vantagem da Técnica do Pomodoro: nos ensina a ter foco, que é, em síntese, fazer apenas uma única coisa por vez.

E a segunda grande vantagem da Técnica é que divide o que temos que fazer em pequenos blocos.

Em objetivos que são mais trabalhosos, o próprio fato de ter muita coisa para fazer pode trazer desânimo, desmotivação ou pior: ficamos sem saber por onde começar. Com o passo-a-passo do Pomodoro, alinhamos o que temos que fazer agora e os próximos passos e não perdermos tempo mais com planejamento.

Como uma sequência estruturada, também nos motiva e reforça, ou seja, ao terminar um Pomodoro, temos uma pausa que podemos utilizar para fazer algo que gostamos (como ouvir uma música ou entrar nas redes sociais).

Dica 5: Esqueça de que você terá a banca de defesa

Os estudiosos da psicologia da ansiedade afirmam que metade da população mundial apresenta ansiedade em situações sociais. Falar em público é uma das atividades que as pessoas descrevem como mais angustiantes, porque não só serão alvo da atenção de várias pessoas ao mesmo tempo como também serão avaliadas – no casa da defesa do TCC, mestrado ou doutorado.

Como esta ansiedade é muito comum, a dica para concluir o trabalho escrito é esquecer totalmente da apresentação. Realmente deixar de lado esta informação e pensar que o que devemos fazer é apenas terminar o trabalho escrito. Senão, pode-se ficar com uma ansiedade antecipada e inútil.

E, inconscientemente, a escrita pode ser adiada como uma tentativa de adiar a apresentação (que seria considerada desconfortável).

Veja também o nosso Curso Como Falar em Público Grátis

Todas as Lições do Curso Como sobreviver ao TCC

1) Um projeto que te emocione

2) Um objetivo claro em mente

3) Ler o necessário, fichar o melhor e citar o fundamental

4) Escrever primeiro, revisar depois

5) 5 Dicas de Produtividade

Conclusão

Chegamos aqui ao final do nosso Curso Como Sobreviver ao TCC, em 5 Lições Gratuitas. Espero que as dicas tenham sido úteis!

Como disse na introdução, recomendo o livro Como se faz uma tese, de Umberto Eco. Recomendo de verdade todas as dicas do nosso breve Curso e também sugiro que se você estiver tendo dificuldades, procure ajuda o quanto antes.

Pode ser a ajuda do seu orientador ou orientadora. Se ele ou ela não puderem (ou estiverem dispostos) a ajudar, procure a ajuda de amigos e colegas que possam. Para a correção final, é sempre importante ter alguém para corrigir o português – você pode pagar revisores profissionais e isto te dará tranquilidade final com os errinhos de concordância, gramática ou ortografia.

Uma outra dica que ajuda é ter modelos. Pesquise e encontre modelos de TCC, de dissertações e de tese. Seguir um modelo – especialmente de alguém que estuda na mesma instituição de ensino – ajuda naquelas partes em que talvez não saibamos exatamente o que ou como dizer. É claro que você não vai copiar e colar. Um modelo serve para fazer – do seu jeito – o que a outra pessoa fez.

Por exemplo, talvez você não saiba o que tem que colocar nas Referências Bibliografícas. Com um trabalho anterior, você nota o que tem que estar: Sobrenome, Nome. Título. Cidade. Editora. Ano (+ informações complementares se for o caso).

E é isso pessoal. Dúvidas, sugestões, críticas, por favor comente abaixo! E até o próximo Curso!

Conheça também o meu trabalho de Orientação Acadêmica Online – TCC, Mestrado e Doutorado

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913