Uma técnica simples e eficaz para falar em público é olhar nos olhos da plateia. Não é olhar nos olhos de uma única pessoa o tempo todo. Mas olhar de tempos em tempos para uma única pessoa e depois para outra e outra…

Olá amigos!

Em um dos muitos Cursos que fiz de Oratória aprendei uma outra técnica simples, tão simples quanto dar pausas de 5 segundos (ver Lição 3), e igualmente tão eficaz para provocar a avaliação positiva do público e dar segurança para quem está falando. Esta técnica pode ser chamada de “olhos nos olhos”.

Um dos grandes problemas de quem tem dificuldade de falar em público é a ansiedade. E se formos estudar a ansiedade a fundo e as formas de combater a ansiedade, e, de forma específica, a ansiedade social, veremos que diversos autores de psicologia, de Coaching, de autoajuda, conselheiros falam que a pessoa com ansiedade social deve olhar nos olhos das pessoas com quem está conversando.

Embora isto tenha total razão de ser, não devemos imaginar que o olhar tenha que ser fixo ou não natural ou penetrante. Pois, se assim for, terá o efeito contrário e será desconfortável para a pessoa que está sendo olhada. É o que Aaron Beck e David Clark, no livro Terapia Cognitiva para os Transtornos de Ansiedade, (e que estudamos no Curso Psicologia Cognitiva da Ansiedade) chamam de comportamentos de segurança a fim de encobrir a ansiedade.

Creio que é mais comum que a pessoa com dificuldade não olhe nos olhos de ninguém em uma apresentação pública. Mas, se aprender que deve olhar, poderá fazê-lo de maneira inadequada, como olhar fixamente para apenas um único indivíduo na plateia.

E é aqui que entra a nossa super técnica que fará toda a diferença no resultado final

Técnica Olhos nos Olhos

Como estava dizendo, neste excelente Curso que fiz, o professor utilizou a seguinte técnica. Dividiu a turma – que tinha cerca de 40 alunos – em grupos de 5. Em cada subgrupo, todos deveriam ficar na frente dos outros 4 e se apresentar. Nesta hora não importava o que fosse falado. Poderia ser qualquer coisa em uma fala de 4, 5 minutos.

E os 4 ouvintes da apresentação seguravam uma folha. De tempos em tempos, apenas um tinha que levantar a folha lentamente e, antes que a folha cobrisse o seu rosto, era tarefa de quem estivesse falando olhar para quem estava com a folha mais levantada.

Em outras palavras, o exercício tinha por objetivo treinar o orador para olhar de tempos em tempos para uma pessoa na plateia. O objetivo é não apenas olhar para alguém como olhar para várias pessoas, de tempos em tempos. 

As consequências de fazer isto são óbvias: passa confiança para todos e, tão importante quanto, prende a atenção dos ouvintes já que quem está ouvindo saberá que a qualquer hora o apresentador poderá olhar para ela mesma.

Ou seja, imagine que você está assistindo uma palestra:

Na palestra 1, o orador só fica olhando para os slides, falando e de tempos em tempos olha o datashow e de tempos em tempos olha para o chão. Nunca olha para a plateia. Nunca. Como consequência é certo que a plateia entenda isso logo e comece a conversar, a olhar no celular, a dormir porque todos vão saber que o orador não vai olhar para ninguém durante toda a apresentação. Deste modo, ele não passa confiança nem segurança nem empatia.

Na palestra 2, o orador só fica olhando para uma ou duas pessoas que estão sentadas na primeira fila. De tempos em tempos ele olha para os slides, de tempos em tempos ele olha para 1 pessoa na fila 1, de tempos em tempos ele olha para outra pessoa também da fila 1. Como decorrência disso, as pessoas da fila 1 saberão que ele só olha para aquele ponto. Provavelmente vão prestar mais atenção (não vão dar uma checada no celular por exemplo), mas podem sentir certo desconforto – como se o olhar do orador fosse muito fixo e penetrante e direcionado apenas para elas

Na palestra 3, o orador olha para toda a plateia. De tempos em tempos olha para quem está sentado nas primeiras filas (para uma pessoa específica), depois olha para quem está no fundão (para uma pessoa específica), depois olha para quem está no meio. Ora ou outra volta para os slides. Talvez para o papel que tem na mão com os tópicos que tem para falar. Mas sempre retorna para o público. Olha novamente para o fundão (para uma outra pessoa que ainda não tinha olhado), depois volta para o meio (para outra pessoa), depois para a primeira fila…. e assim por diante…

A regra válida é olhar por cerca de 5 a 10 segundos para uma única pessoa. Mais do que isso poderia passar uma impressão estranha, também de estar mirando excessivamente alguém. Menos do que isso poderia passar insegurança, como se estivesse sempre querendo fugir do olho no olho.

Portanto, cerca de 5 a 10 segundos serão suficientes. Podemos contar também por frases. Com o tempo isto acaba ficando automático. A cada três, quatro frases mudamos a pessoa para quem estamos olhando. Mais três, quatro frases e olhamos para outra área na plateia. Lembre-se é olhar nos olhos de alguém específico. Não para uma área indeterminada em uma região da sala, ok?

Pense como se você estivesse falando só para aquela pessoa para quem está vendo. Depois, escolha aleatoriamente outra pessoa e também pense que está conversando só com ela. E faça esta alternância constantemente. O resultado será que todos certamente prestarão mais atenção no que você está falando. Todos vão achar você um orador ou uma oradora muito confiante, que passa segurança e desenvoltura.

Conclusão

É muito comum que quem apresente medo ou ansiedade de falar em público pense no público de uma maneira equivocada. A única diferença de falar para uma pessoa só e para um grupo de pessoas é que você vai estar falando individualmente com várias pessoas ao mesmo tempo. Isto não é um jogo de palavras.

Quando falamos em público, devemos atingir cada pessoa que está na plateia individualmente. Uma forma de começarmos a praticar a técnica dos olhos nos olhos é imaginar como se existisse um grande refletor iluminando ora uma pessoa, ora outra pessoa na audiência. Ou seja, o orador imagina:

“Agora, eu vou dizer isso para esta pessoa que está na fila 5”. (Por 5 a 10 segundos).

“Agora, eu vou dizer esta outra coisa para esta pessoa na fila 3 (Por 5 a 10 segundos).

“Agora, eu vou dizer isso para esta pessoa que está na fila 10”. (Por 5 a 10 segundos).

“Agora, eu vou dizer esta outra coisa para esta pessoa na fila 2 (Por 5 a 10 segundos).

E assim a palestra, apresentação, seminário, congresso, reunião vai de uma forma que todas as pessoas se sentem olhadas. E, para quem está falando, é como se estivesse sempre falando com uma única pessoa. E será verdade: pois estaremos olhando nos olhos de uma única pessoa por vez. Continuação – Lição 5 – Exposição situacional – Firmeza na fala

Veja também:

Página Inicial – Como falar em público

Lição 1 – Processamento Pós-Evento 

Lição 2 – Treinamento contínuo

Lição 3 – Exposição situacional – Pausas de 5 segundos

E, para concluir, observe como Lair Ribeiro, um autor de diversos best-sellers de PNL, olha de tempos em tempos para quem o está ouvindo:

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913