Pode não parecer, mas são os pequenos detalhes que fazem um apresentação ser ruim ou normal ou incrível. Um detalhe que transforma totalmente uma apresentação são pausas bem feitas de até 5 segundos com o retorno da fala com os conectivos adequados. 

Olá amigos!

A partir desta Lição, nós começaremos a entrar no que chamamos de exposição situacional, dentro do modelo cognitivo da psicologia cognitiva de Aaron Beck e colaboradores. Em resumo, a exposição situacional corresponde aos momentos em que estamos falando em público. Por exemplo, se você vai apresentar um trabalho acadêmico em um congresso, terá 15 minutos. Estes minutos são, então, a exposição situacional.

Nesta e nas Lições seguintes, daremos dicas simples mas muito eficazes que se somadas darão uma grande diferença no resultado final. Uma diferença enorme tanto para a avaliação de quem está falando como para quem está ouvindo. Digo isto com toda a certeza, pois depois que comecei a utilizar estas técnicas parei de ouvir o comum “Parabéns pela apresentação” para passar a ouvir elogios incríveis.

Exposição situacional – Pausas de 5 segundos

Para quem está no centro palco, na frente do público, o silêncio entre uma frase e outra, entre um pensamento e outro, entre uma parte da apresentação e a seguinte é sentido normalmente com desconforto. A impressão que temos é de que 5 segundos são uma eternidade, como se os ouvintes estivessem ansiosos para que continuássemos logo a nossa fala.

Muitas pessoas, por se sentirem desconfortáveis, falam algumas palavras até conseguirem pensar no que vão dizer como:

“é…é…é”

“hum…e….”

“hã…hmmm…”

Não faça isso. Ao invés disso, fique em silêncio!

Pausas de até 5 segundos em silêncio são uma estratégia muito eficaz para ordenar os pensamentos, para respirar um pouco, para dar tempo de conectar os pensamentos e dar prosseguimento à apresentação. Para os que gostam de utilizar recursos multimídia – como Power Point ou Keynote – as pausas podem ser feitas junto da passagem de um slide para outro.

Mas porque estou dedicando uma Lição inteira apenas para falar a respeito das pausas de 5 segundos?

Primeiro, como disse, para o orador as pausas podem causar um certo desconforto, podem trazer a sensação de que o público está esperando e até a sensação de que não está indo bem em sua apresentação. Temos que mudar esta avaliação e começar a sentir as pausas como necessárias.

Segundo, com as pausas a fala fica com um ritmo adequado. Afinal, falas muito rápidas e sem pausas cansam – não só quando estamos falando, mas também cansam quem está ouvindo.

Terceiro, quando damos este tempo (que dizemos 5 segundos mas tudo bem se for um pouquinho mais ou um pouquinho menos), damos tempo para entrarmos no eixo, quer dizer, para colocar todas as ideias em ordem e continuar com o que é necessário falar.

Quarto, na medida em que as pausas ajudam na organização mental, elas também permitem com quem façamos usos dos conectivos. Os conectivos são palavras que aprendemos nas aulas de redação e português e que visam ligar uma frase na outra. Um discurso sem conectivos é péssimo e um discurso com conectivos adequados torna a apresentação fluida e harmoniosa, do mesmo modo que acontece com um texto escrito. Veja mais sobre conectivos abaixo.

E quinto, e não menos relevante, as pausas dão tempo para que o orador recobre o ar. Na psicologia, falamos de comportamento verbal como um comportamento como outro qualquer. Tecnicamente, falamos em comportamento verbal como um comportamento operante, que pode ser reforçado ou punido. Porém, do ponto de vista da fisiologia da fala, falar é nada mais nada menos do que fazer o ar passar dos pulmões pelas cordas vocais e pela boca. Portanto, se você não respira direito enquanto fala, você não terá ar suficiente nos pulmões – o que será não só desconfortável como prejudicial.

Com isso, as pausas também servem para este objetivo fundamental: encher os pulmões com ar. Com o tempo e a prática, estas pausas um pouco mais longas entre uma fala e outra se transformam também em uma fonte de relaxamento.

Observação: é interessante igualmente buscar a ajuda de um profissional da fonoaudiologia. Muitas dificuldades podem ser resolvidas com ajuda destes profissionais incríveis assim como muitos problemas da voz podem ser evitados. Professores, palestrantes, consultores e qualquer um que faça uso cotidiano da voz no trabalho deveria ter este apoio de tempos em tempos.

Sobre os conectivos

Tudo bem? Então aprendemos que é fundamental dar pausas de até 5 segundos para encher os pulmões e colocar as ideias em ordem. Dá tempo para pensar e para elaborar o que será falado. E é aqui que entram os conetivos.

Imagine a seguinte cena em uma apresentação de trabalho na faculdade de psicologia sobre o livro A história social da criança e da família, de Philippe Ariés. O aluno diz:

Parte 1: “Na Inglaterra da Idade Média as crianças eram mandadas para a casa de outras pessoas para trabalharem com a idade de sete anos e eram chamadas aprendizes. Este tratamento acontecia em todas as famílias não importando a fortuna, ao mesmo tempo em que mandavam suas crianças para outras casas, recebiam meninos ou meninas nas suas. Provavelmente, este gênero de vida foi comum ao Ocidente medieval, onde a aprendizagem se confundia com o serviço doméstico. A criança aprendia pela prática, não somente os conhecimentos do mestre que a recebia mas também os valores morais”

Pausa de 5 segundos

Parte 2: “No Interpretação dos Sonhos, Freud introduz um elemento para a interpretação até então inédito, ou seja, ele é o primeiro autor a considerar um elemento a mais para fazer a análise da nossa vida onírica. Além do conteúdo manifesto do sonho – o que contamos sobre o que acabamos de sonhar – Freud também leva em conta as associações do próprio sonhador”.

Ora, a ligação da parte 1 com a parte 2 não existe. Na verdade, as duas partes não possuem nenhum ligação entre si, certo? Se você estivesse nessa plateia, ficaria totalmente perdido e não entenderia nada. Acontece que com os conectivos, podemos mudar de assunto sim. Com os conectivos, a passagem de um tema para outro ou a ligação de pensamentos dentro de um mesmo tema é suave e permite ao público agarrar a sequência e não ficar perdido.

Muitos professores, e não só os de história, tem o hábito de serem digressivos. Estão falando do Golpe de 1945, por exemplo, e voltam na Revolução de 30 e depois vão sem pausas até o começo da 1° Guerra.

Entretanto, como disse, podemos falar qualquer coisa, mas com pausas de 5 segundos e com os conectivos conseguiremos trazer o público junto.

Exemplos de conectivos (leia a conclusão e veja um Vídeo abaixo):

Conectivos de adição – que visam unir frases que possuem relação e que continuam um assunto:

1) e;

2) também;

3) que;

4) mas também;

5) senão também;

6) como também.

Conectivos de oposição – que mostram a contradição ou oposição entre frases:

1) mas;

2) porém;

3) todavia;

4) contudo;

5) entretanto;

6) senão;

7) no entanto;

8) não obstante;

9) ainda assim;

10) apesar disso.

Conectivos de alternância – isto ou aquilo

1) ou

2) ou…ou;

3) ora…ora;

4) já…já;

5) quer…quer.

Conectivos de conclusão – “Dito isto, conclui-se que…”

1) logo,

2) portanto,

3) pois

4) por isso,

5) por conseguinte,

6) pelo que…

Conectivos de explicação – Relação de explicação entre frases ou pensamentos

1) que;

2) porque;

3) porquanto

Conectivos causais – Relações de causa e feito

1) que,

2) como,

3) pois,

4) porque,

5) porquanto.

6) por isso que,

7) pois que,

8) já que,

9) visto que…

Conectivos de concessão – “Embora isto ou apesar disso, existe isso”

1) que,

2) embora,

3) conquanto.

4) ainda que,

5) mesmo que,

6) bem que,

7) se bem que,

8) nem que,

9) apesar de que,

10) por mais que,

11) por menos que…

Conectivos condicionais – Apresenta-se uma condição para o seguinte

1) se;

2) caso;

3) contanto que;

4) desde que,

5) dado que,

6) a menos que,

7) a não ser que,

8) exceto se…

Conectivos de finalidade – “Com a finalidade de que isto aconteça, há que acontecer isso”

1) para que;

2) a fim de que;

3) por que.

Conectivos temporais – Relações de tempo entre as frases ou pensamentos

1) quando;

2) apenas;

3) enquanto

4) antes que,

5) depois que,

6) logo que,

7) assim que,

8) desde que,

9) sempre que…

Conectivos consecutivos 

1)  que (por exemplo, tanto que, tal que)

2) de modo que,

3) de forma que,

4) de sorte que,

5) de maneira que…

Conclusão

Você não precisa decorar esta lista imensa de conectivos. Na verdade, existem muitos outros conectivos que usamos sem perceber. Apenas passe a notar em apresentações públicas como bons oradores sempre (e é sempre, sempre mesmo) utilizam os conectivos para deixar estabelecer a ponte de uma frase com outra, de um pensamento com o seguinte.

Para concluir, gostaria de dizer que esta técnica pode parecer simples ou até sem sentido. Mas temos que nos lembrar o simples não necessariamente ineficaz. No caso das pausas de até 5 segundos, acontece justamente o contrário: o simples é muito eficaz. Faça uso das pausas em suas apresentações.

Ao invés de falar: “é…é…é…” como muitos fazem, fique em silêncio. Respire. Pense no que vai falar e conecte o pensamento que acabou de ser dito com o que deve ser dito em seguida.

E assim, você parará de falar “é…é…é” e toda a fala começará a ficar mil vezes mais harmoniosa, além de que, com o tempo, você conseguirá relaxar nestes segundos em silêncio e ficar mais tranquilo para utilizar todo o seu potencial.

Continuação – Lição 4 – Exposição situacional – Olhos nos olhos

Veja também:

Página Inicial – Como falar em público

Lição 1 – Processamento Pós-Evento 

Lição 2 – Treinamento contínuo

Lição 4 – Exposição situacional – Olhos nos olhos

Lição 5 – Exposição situacional – Firmeza na fala

Para encerrar a nossa Lição, gostaria que você observasse como Steve Jobs – considerado um dos mais impactantes oradores – fazia suas apresentações. Note como ele já começa com uma pausa de 5 segundos e como ele, frequentemente, faz uso delas:

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913