Olá amigos!

Para muitas pessoas, o texto de hoje será uma grande novidade. Em inglês, a psicologia ambiental é chamada de environmental psychology e designa uma área interdisciplinar (ou seja, com várias disciplinas acadêmicas, científicas, em diálogo) que estuda as relações entre a psique e o ambiente. É uma área que aborda diversos temas de como o ambiente ao nosso redor, o espaço, influencia em nosso modo de pensar, de sentir, de vivenciar o mundo.

Embora o termo ambiental seja normalmente associado com questões ecológicas (o meio ambiente), o conceito de ambiente na psicologia ambiental é mais amplo e designa não só o meio ambiente como também circunstâncias sociais, culturais, de modo a incluir as possibilidades de aprendizado do ser humano a partir de seu contexto.

Definição de Psicologia Ambiental

Gabriel Moser,  da Universidade René Descartes-Paris V, define a Psicologia Ambiental da seguinte forma: “A Psicologia Ambiental estuda a pessoa em seu contexto, tendo como tema central as inter-relações – e não somente as relações – entre a pessoa e o meio ambiente físico e social”.

É uma excelente definição pois explica que a psicologia ambiental não se limita, apenas, aos contextos ecológicos ou discussões éticas sobre o papel do homem na conservação da natureza, embora, como veremos, este tema será sim caro para a psicologia ambiental.

No texto “Psicologia Ambiental”, publicado na revista Estudos de Psicologia, Moser afirma que o psicólogo ambiental estará interessante em dimensões micro e macro. Em outras palavras, interessa para o psicólogo ambiental conhecer as relações que um sujeito individual estabelece com o ambiente maior, como a cidade, estado e região geográfica em que mora, mas também interessa a dimensão micro, por exemplo, como a casa em que mora influencia em sua qualidade de vida psíquica.

A história da Psicologia Ambiental

Não há um início definido para o começo desta disciplina, porém muitos pesquisadores defendem que a primeira menção ao termo “Psicologia Ambiental” encontra-se no livro Geopsyque (literalmente Psique-geográfica), de Willy Hellpach. Neste livro, publicado em 1911, Hellpach analisa como as fases da lua podem causar variações na psique, como condições extremas de vida também podem influir na qualidade de vida, bem como temas paralelos como o modo como as cores e formas possuem efeitos diferentes para os indivíduos.

Apesar de ter sido publicado praticamente no começo do século XX, a psicologia ambiental desenvolveu-se mais depois da 2° Grande Guerra Mundial e mais ainda a partir da década de 1970.

O modo como a disciplina foi construída sempre levou em conta o foco de ser orientada por problemas específicos e na tentativa de elaborar práticas de mudança que contribuíssem para o bem-estar individual e social.

Como uma disciplina que envolve sempre outras disciplinas, na chamada interdisciplinaridade ou transdisciplinaridade, a psicologia ambiental reúne os pesquisadores da própria psicologia e de outras áreas. Assim, podemos citar trabalhos em comum com economistas, geógrafos, designers, sociólogos, cientistas políticos, entre outros.

Também é necessário deixar claro que embora a psicologia ambiental (environmental psychology) seja a palavra mais utilizada para descrever esta área de pesquisa, é comum ouvirmos outros termos como, por exemplo, ergonomia cognitiva, ecopsicologia, estudos da personalidade e ambiente, sociologia ambiental, ecologia social, psicologia e arquitetura.

Apenas para citarmos alguns autores importantes, além de Hellpach, temos:  Jakob von Uexküll, Kurt Lewin, Egon Brunswik, Gerhard Kaminski e Carl Friedrich Graumann.

Principais conceitos da Psicologia Ambiental

A psicologia ambiental, como uma área interdisciplinar, é extremamente rica tanto em conceitos como na produção teórica e prática. Por isso, devemos considerar a lista dos principais conceitos como uma lista inicial, a fim de orientar os estudos.

Identidade de lugar:

Em resumo, podemos definir a identidade de lugar como a relação entre a identidade (quem sou) com o lugar de nascimento ou moradia.

De forma mais teórica, devemos definir a identidade de lugar como as sub-estruturas da identidade de si que consistem nas cognições sobre o mundo físico no qual o indivíduo vive. Tais cognições influenciam e determinam o modo como o sujeito vive em seu dia-a-dia. Através de suas experiências, ideias, sentimentos, pensamentos, valores pessoais, preferências, a pessoa passa a entender e compreender o ambiente no qual vive e, em certo sentido, esta compreensão acaba por ser o limite do seu mundo.

Quem já viajou para outro país, poderá entender como é estranho se sentir estrangeiro, quer dizer, como as experiências que consideramos cotidianas e óbvias podem ser tornar estranhas, sob o olhar de outras pessoas, assim como nos parecem esquisitas as atitudes e comportamentos das pessoas que vivem em outros lugares.

O apego ao lugar

O apego ao lugar ou place attachment, em inglês, é outro conceito importante dentro da psicologia ambiental. De acordo com Maíra Longhinotti Felippe e Ariane Kuhnen, devemos entender o apego ao lugar como o “vínculo afetivo estabelecido entre pessoas e cenários físicos”. Em outras palavras, o laço afetivo que une o sujeito ao lugar em que mora, nasceu ou viveu durante um período. 

Consciência ambiental

A consciência ambiental (Environmental consciousness) corresponde à parte importante de pesquisas dentro da psicologia ambiental. Em princípio, poderíamos pensar que o conceito faz referência à consciência ambiental no sentido de uma consciência de responsabilidade para a preservação. Porém, a pesquisa nesta área é muito mais ampla e envolve pesquisas também das neurociências sobre o modo como o cérebro – e, por derivação, a psique ou cognição – compreende o ambiente ao seu redor. Ou seja, como temos consciência de nosso ambiente? Que parte do cérebro é ativada?

Conclusão

A psicologia ambiental deve ser entendida como a área de pesquisas que utiliza a psicologia e outras ciências a fim de estudar as relações do indivíduo com o seu meio. O meio aqui deve ser definido como o ambiente próximo e direto (por exemplo, a casa, a rua, a cidade) mas também a região geográfica, o clima, a língua, a cultura, enfim, a sociedade que também é, ao seu modo, um meio para o modo de viver de cada um de nós.

Como podemos depreender desta breve definição de psicologia ambiental, o campo é extremamente vasto e, consequentemente, vemos surgir pesquisas muito diferentes uma das outras, com diferentes aportes teóricos e aplicações práticas. Por isso, também, embora se fale com mais frequência sobre psicologia ambiental, outros termos são utilizados para descrever estas relações interdisciplinares.

De todo modo, vale a pena explorar mais esta área e, se for do desejo de todos, poderemos escrever mais aqui no site sobre este tema.

Dúvidas, sugestões, comentários, por favor, escrevam abaixo!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913