Diz o ditado que a esperança é a última que morre. Na verdade, psicologicamente, se não temos esperança em um novo dia, em um dia melhor, a tendência será de que a vida acabe. Em outras palavras, segundo diversas pesquisas da psicologia cognitiva, a desesperança é a causa principal de suicídios e tentativas de suicídio. Por isso, é extremamente necessária a manutenção na crença de que dias melhores virão.

A esperança e as profecias autorrealizadoras

Um exemplo de profecia autorrealizadora é quando alguém pensa que algo não vai dar certo. Logo, não se esforça para que dê certo e como consequência, não dá certo. Ao final, pensa: desde o princípio sabia que não daria certo!

Ou seja, ninguém sabe como vai ser o futuro. O futuro é composto de possibilidades e é uma projeção de expectativas do presente. Um aluno do Ensino Médio que vai fazer o Enem tem uma ideia deste futuro: pode ir bem na prova, pode ir mal, pode ir mais ou menos. Tudo isso são possibilidades.

O que é interessante, porém, é que o modo como pensar sobre o resultado esperado (daí a palavra esperança) vai contribuir com o próprio resultado. Se imaginar que vai mal de qualquer jeito, que não adianta estudar, certamente estará, com suas ações, contribuindo para encontrar no futuro exatamente isso: uma nota baixa.

O que me faz lembrar de minha história no Ensino Médio. Era tão somente um aluno mediano. Mas ao ler o livro Poder sem limites, de Tony Robbins, descobri esta técnica da visualização do futuro. O livro dizia algo do tipo que o nosso cérebro não consegue reconhecer o real do fictício. Uma imagem criada poderia vir a ter o mesmo valor de uma cena vivenciada. O futuro e o passado, vivendo no presente da nossa mente, também poderia ser construído e reconstruído. Assim como podemos pensar que algo é difícil e trabalhoso (como o vestibular), podemos pensar que é fácil – pois o esforço mental para este pensamento é igual.

Então, a técnica consistia em imaginar o futuro desejado como certo. Me imaginei já na faculdade, tendo aulas, na cantina, com todos os detalhes e sensações que consegui criar. E mantive essa imagem comigo ao longo do terceiro ano.

Este processo foi eficaz em si?

Bem, sim. É complicado, evidentemente, dizer que somente esta técnica deu um resultado extraordinário. Mas ao menos me ajudou em dois pontos:

– a estudar mais quando estava cansado ou desmotivado;

– a não ter receio, nervosismo ou medo na hora da prova.

Leia também – O poder do pensamento positivo é uma mentira?

Portanto, é curioso olhar para trás e ver como esta técnica da PNL acabou funcionado como uma profecia autorrealizadora, só que para o lado positivo, de realização. Em vez de pensar que não daria certo, de que seria difícil e complicado para um aluno mediano passar em uma excelente faculdade, eu pensei que já tinha passado e que a prova seria apenas um elemento necessário e padrão, como levar os documentos para a matrícula. Isso me motivou a estudar mais e me ajudou a ficar mais tranquilo.

Cito este exemplo do vestibular e Enem de novo porque é bastante didático e simples de entender (poderíamos apontar resultados palpáveis em termos de notas). Mas se pararmos para pensar, o modo como imaginamos o futuro, se há esperança ou desesperança, vai determinar o nosso comportamento desde já.

Pense em um relacionamento amoroso. Se um dos dois começa a imaginar que não vai funcionar, que não tem futuro, o relacionamento começará a ir de mal a pior até que eventualmente acabe.

Na economia, se um empresário pensa que não vai vender, poderá deixar de anunciar e, consequentemente, venderá menos. Se for excessivamente pessimista, poderá fechar a porta e acabar com o negócio.

Evidente que isso não quer dizer que só pensar que vai dar certo vai fazer dar certo. Às vezes, desistir também e partir para uma outra possibilidade também faz parte do processo de desenvolvimento e crescimento.

Veja também – E quando é melhor desistir?

Entretanto, devemos ficar sempre atentos para o que estamos projetando para o futuro. Afinal, o futuro não existe (ainda) e é o que fizermos hoje que vai criá-lo.

Conclusão

Para concluir, gostaria de deixar algumas perguntas para se pensar:

– O que você pensa a respeito do futuro?

– Como você espera estar daqui a 3, 5, 10, 20 anos? Neste futuro imaginado, os seus sonhos são realizados? (Se não são, por que não são? O que você pode fazer de diferente?)

– Lembrando que o futuro não existe ainda, você já parou para pensar como pode fazer um percurso totalmente diferente, melhor e mais feliz, a partir de agora? Que você tem este poder? De ir ajudando a vida a construir a sua própria vida?

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913