Autocríticas podem até ter uma finalidade positiva, mas na maioria das vezes, são inúteis e prejudiciais. Entenda porque é muito melhorar para de se autocriticar.

Olá amigos!

Em nosso Curso em Vídeo Psicologia Cognitiva da Depressão (com 50% de desconto), nós estudamos o que é a depressão, quais são as suas prováveis causas e como ela se desenvolve. Para a Psicologia Cognitiva existem 3 características fundamentais para sabermos da vulnerabilidade à depressão (ou a outra doença mental) que são:

– Visão sobre si mesmo;

– Visão sobre o mundo e os outros;

– Visão sobre o futuro.

É típico da depressão que estes três pontos sejam extremamente negativos, sendo que o principal deles é a visão sobre si mesmo, o que podemos chamar como autoconceito ou autoimagem. Isto porque o modo como uma pessoa considera a si mesma será central para o modo como ela vai considerar as outras pessoas e, igualmente, o seu futuro.

A importância de parar de se criticar

Na maioria das vezes, a autocrítica não é útil. Ou seja, se pensarmos em termos práticos, veremos que a crítica tem por objetivo mudar um comportamento. A sua utilidade, portanto, é a mudança de um pensamento, de um sentimento ou de um comportamento.

Entretanto, como vemos através das mais variadas pesquisas da psicologia e no consultório, a crítica não é útil. Ela não tem eficácia para mudar e ela permanece nela, circulando um pensamento ou um dizer, sem mudar nada.

Por exemplo, digamos que você seja uma pessoa ansiosa. Você sabe que você teria mais qualidade de vida se você não fosse uma pessoa tão ansiosa. Para mudar isso, você começa a se criticar. “Que burra que eu sou. Não deveria me sentir assim. Deveria ser mais calma, mais tranquila. Não deveria me preocupar tanto… (e continuam as críticas)”…

Ora, você acha que pelo fato de ficar pensando ou falando coisas como essa você vai magicamente parar de ser uma pessoa ansiosa? Evidente que não. A única utilidade, se há alguma, é que você estará percebendo como é e que precisa mudar. Mas o ponto aqui é que a autocrítica não promove mudança. Geralmente, acaba causando a consequência de gerar culpa, raiva e descontentamento consigo.

Muitas pessoas se criticam tanto que o simples fato de pararem de se criticar já é um alívio. Isto é visível, por exemplo, quando estão amando e sendo amadas. Uma outra pessoa se apaixona e, quase que instantaneamente, as críticas diminuem ou cessam.

Como parar de se autocriticar?

Bem, o primeiro passo é entender que as críticas não funcionam. Se utilizarmos os conceitos da psicologia comportamental, veremos que para a mudança é muito mais eficaz um reforço do que uma punição. Então, lembre-se sempre disso: as críticas não funcionam.

Em segundo lugar, precisamos entender qual é a finalidade da autocrítica. Se você se critica por procrastinar, se você se critica por comer demais, beber demais, dormir demais, falar demais – você já tem algo para aceitar e para começar o processo real de mudança.

Pois – e este é o terceiro passo – a mudança real só começa quando você aceita que tem algo que precisa mudar. Pode parecer fácil, mas aceitar, realmente, que você tem algo para mudar é compreender que a responsabilidade é tua, não das outras pessoas.

E, finalmente, para parar a autocrítica vamos passar a substituir os pensamentos negativos sobre si mesmo por elogios e por mais consideração.

Se você já é pai ou mãe, com certeza, tem amor por seu filho. Você, por exemplo, não gostaria que o seu filho sofresse bullying na escola, não é mesmo? Você gostaria que seu filho sofresse bullying de si mesmo? Evidente que não também.

Então, se você não quer isto para quem você ama, porque você quer isto para si mesmo? Porque, em certo sentido, a autocrítica é um bullying, constante e ineficaz, que você carrega. Portanto, abandone isso e sempre que perceber que está se autocriticando, pare.

Parar já vai ser um alívio.

461919

Outra opção é, então, substituir os pensamentos negativos por pensamentos mais agradáveis e positivos. Pois uma característica das pessoas que se criticam demais é exigirem de si um perfeccionismo que é inatingível.

Um exemplo que eu dei no Curso Psicologia Cognitiva da Depressão é de alguém que quebra um copo. Qualquer um pode esbarrar e, sem querer, quebrar um copo. Este evento único e irrelevante pode ser interpretado de várias maneiras. Por exemplo, uma pessoa pode pensar: “como eu sou desastrado! Como sou incompetente”. Enquanto outra pode pensar: “Quebrei um copo, vou limpar. Amanhã compro mais copos”. Enquanto outra, ainda, pode rir da sua desatenção e brincar: “Se ganhasse 1 real por cada copo que quebro, estaria rico, rsrs”.

Este é um exemplo simples, banal, cotidiano. Mas demonstra que tanto nas coisas mais simples como nas mais complexas, é a nossa interpretação de quem somos e de como somos que é fundamental para entendermos as nossas relações e o nosso futuro.

Pois, pare e reflita: como se sentirá a pessoa que pensa: “como eu sou desastrado! Como sou incompetente”? Você acha que ela se sentirá bem e ficará feliz? E como se sentirá a pessoa que pensa:  “Quebrei um copo, vou limpar. Amanhã compro mais copos”?

De acordo com a Psicologia Cognitiva, o modo como pensamos influencia diretamente o modo como sentimos. Por isso é tão importante mudar e parar de se autocriticar. Pois as críticas só vão gerar sentimentos negativos. E os pensamentos e sentimentos negativos poderão a vir a se transformar em um esquema ordenador das cognições, o que no longo prazo é muito prejudicial.

Conclusão

Para concluir, gostaria de ressaltar que a mudança real nem sempre é tão simples quanto poderia parecer. Embora, na verdade, seja simples (a mudança no modo de conceber o mundo, a si mesmo e o futuro), muitas e muitas pessoas precisam de ajuda. E é justamente neste caso que um especialista como um psicólogo bem treinado e capacitado pode ajudar.

Como psicólogos, e como estudantes de psicologia que nunca param de estudar, sabemos que a vida é fluida. Quer dizer, agora ou mais a frente pode ser que precisemos de uma visão externa, profissional e competente, para dialogarmos e entender os nossos “pontos cegos”. Portanto, se estiver difícil para você mudar sozinho(a), procure e faça psicoterapia.

Não considere um gasto. Considere um investimento. Quanto você não daria para se sentir melhor e ter mais qualidade de vida e ter uma vida mais produtiva?

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913