Olá amigos!

Depois de mais de sete anos atendendo pessoas, de todas as classes sociais e idades, e já há alguns anos brasileiros de todas as regiões e no exterior, continuo não deixando de me assustar sobre como os conflitos tem relação com a paralisia. O conflito psíquico, interno, nos sentimentos e/ou pensamentos, significa que uma parte quer ir para uma direção e outra parte quer ir para outra. Este é o significado de conflito. A paralisia reside no fato de que se alguém quer ir para a esquerda e, ao mesmo tempo, para a direita ou ficará totalmente parado ou irá um pouco para a esquerda e um pouco para a direita… ficando parado do mesmo jeito.

Mas gostaria de dizer, desde já, que esta não é uma metáfora. Existem doenças – físicas – que são exatamente isso, como a distonia. Por alguma causa ainda não totalmente conhecida, o corpo envia uma mensagem para que, por exemplo, o bíceps seja ativado. O normal é que o movimento contrário, do tríceps seja desativado. Na distonia, os dois movimentos são ativados ao mesmo tempo, com o resultado de o movimento não acontecer ou ser tão tortuoso que demora muito tempo para que o movimento correto seja conseguido.

Saindo da biologia do movimento e indo para a psicologia, vamos ver este tipo de conflito acontecendo em todo tipo de área. A dúvida entre qual carreira seguir, a dificuldade de saber o que se quer em um relacionamento, a vontade contra o medo e assim por diante. É como aquela brincadeira que fala “Não sei se caso ou se compro uma bicicleta”. É uma brincadeira, evidentemente, mas se for permanecer, fará com que o sujeito nem case, nem compre uma bicicleta.

Um outro exemplo que me veio imediatamente foi quando estava voltando de São Paulo, ontem a noite, e vi um hotel abandonado aqui em São Lourenço. É um hotel com ótima localização, porém, desativado porque ficou de herança para os filhos, que estão em conflito sobre vender ou continuar. De idêntico jeito, há um conflito (vender ou manter) e, sem resolução, o imóvel está depreciando, ficando velho e, pior, sem utilidade, enquanto poderia estar gerando renda, de um jeito ou de outro.

A importância da mediação

Em psicologia jurídica (e no direito em geral) há o conceito e a prática da mediação de conflitos, ou seja, ouvir ambas as partes e tentar mediar o que cada um quer até chegar em um acordo que seja positivo para os dois lados. Na palavra mediação também há a ideia de meio, de um acordo que está no meio das duas posições, não tão à direita e não tão à esquerda…

Este princípio pode ser utilizado por nós, também, quando estamos tendo um conflito.

Digamos que queremos X e digamos que queremos Y. Vamos sentar e anotar com calma todos os prós e contras de X e de Y. Depois, vamos ver o que seria um meio termo para cada uma das posições. Talvez seja necessário sacrificar um pouco de um lado e de outro ou, talvez, seja possível encontrar uma forma que contemple e satisfaça todas as perspectivas.

Para saber mais em detalhes sobre esta técnica, veja aqui – Técnica para resolver conflito interno

Porque não ter os dois?

Um dos pensamentos mais interessantes que já li para esta área de resolução de conflitos, dizia o seguinte: “Porque não ter os dois?”

Vamos imaginar alguém que queira ter mais tempo para ficar com a família e os amigos e queira continuar ganhando o mesmo que ganha no emprego atual ou até mais. O conflito, portanto, é entre ganhar dinheiro e ter mais tempo. Por um capricho da mente, e não das circunstâncias, as pessoas pensam:

“Ou ganhar mais ou ter mais tempo”

Ora, porque não ter os dois?

De começo pode até parecer impossível. Mas se superarmos este bloqueio para pensar, achando que tudo é impossível, poderemos com certeza encontrar formas de obter os dois: mais dinheiro e mais tempo, não é mesmo?

Uma das formas de encontrar uma saída é encontrar um modelo, ou seja, uma pessoa que possa servir de exemplo para o que estamos buscando e que tenha conseguido encontrar uma forma de resolver o conflito, que está sendo insolúvel até aquele momento.

Outra forma é dar asas à imaginação e pensar todo tipo de situação que nos vier à mente, livremente, sem críticas ou realismos. No final, teremos com certeza várias ideias interessantes que poderão ser aproveitadas.

Conclusão

Conflito significa guerra, significa batalha, luta. Como em uma guerra, existem dois lados, dois países brigando e o que é uma guerra? É uma forma inútil de gastar energia e recursos que poderia ser resolvida de outras formas. Assim como acontece nas sociedades, também temos vivências internas que são semelhantes, com dois lados brigando pela hegemonia.

Como os países, podemos entrar em guerra e gastar uma grande parte das nossas energias psíquicas no conflito, para não sair do lugar e causar problemas, inclusive físicos ou podemos enfrentar o conflito e superar a barreira que separa uma perspectiva da outra, dando voz a cada uma das partes, encontrando então um meio-termo ou uma solução que seja a terceira (para além das duas) e que consiga conciliar, através da ideia de que pode ser possível realizar as duas coisas.

Entretanto, em muitos casos, parece impossível conciliar. Realmente impossível. E uma das formas de resolver o conflito é escolher por uma das perspectivas e deixar a perspectiva não contemplada para depois.

Por exemplo, digamos que alguém tenha que escolher entre ficar mais próximo da família ou aceitar um emprego melhor que exija, porém, muitas viagens. Neste caso, a escolha parece bem dicotômica. Uma solução para o conflito poderia ser levar a família nas viagens, mas não seria viável. Então, ou é um ou é outro, ou se passa mais tempo com a família ou as viagens.

Neste caso, a única solução para o conflito talvez seja escolher uma das alternativas e deixar a outra alternativa para o futuro. A questão é que, após a escolha, o conflito não deve permanecer. Se permanecer, deverá ser trabalhado em terapia. De outro modo, continuará causando problemas, ainda que, na superfície, pareça estar tudo bem.

Dúvidas, comentários, sugestões e críticas, por favor, comente!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913