Olá amigos!

Nestas férias de janeiro, em que fui para Florianópolis, estava assistindo frequentemente uma série americana chamada Grey’s Anatomy, ou Anatomia da Grey. A série retrata os anos de residência de um grupo de médicos em um grande hospital, um dos melhores dos Estados Unidos. Além das dificuldades da especialização em cirurgia, a série também retrata os conflitos amorosos e de relacionamento dos personagens.

Ao longo das temporadas disponíveis (assisti na Netflix) notei que, em diversas ocasiões, eles falavam a seguinte expressão: “worst case scenario”, que pode ser traduzida como no pior dos casos, no pior dos cenários. A expressão era utilizada em casos em que o paciente tinha que se decidir entre fazer ou não uma difícil cirurgia – que poderia ajudar – mas que também poderia ser fatal.

Assim, o paciente perguntava ao médico: “O que pode acontecer de pior?”

O que de pior pode acontecer?

Ontem, em nossa página no facebook, uma querida leitora nos solicitou por uma orientação sobre como decidir. Talvez você não tenha visto ainda, mas temos um texto excelente, de PNL, sobre como decidir:

Técnica para Decidir

Além desta técnica, um excelente critério para tomar uma decisão difícil é pensar no que pior pode acontecer. E, com os dados do pior dos cenários, avaliar se vale a pena ou não tomar aquela decisão em especial.

Por exemplo, Timothy Ferris, autor do livro Trabalhe 4 horas por semana, disse em seu livro que esta foi a forma encontrada por ele para mudar toda a sua rotina. Ele tinha uma empresa que estava dando lucros. Porém, trabalhava 12, 14 horas por dia. Cansado desta situação, ele decidiu mudar e tirar férias e encontrar uma forma de fazer a empresa funcionar sem ele.

Sim, ele teve medo de que a empresa falisse, de que os funcionários não dessem conta, de perder tudo. Porém, o que poderia acontecer de pior? Em sua opinião, o que poderia acontecer de pior seria ela perder um estilo de vida que o estava matando. Claro, ele poderia perder a empresa e poderia perder dinheiro. Poderia ter que ficar sem grana, viver com menos e, de repente, até pedir um empréstimo. Mas tudo isso, tudo o que de pior podia acontecer ainda era melhor do que a situação atual.

E, no final das contas, e se o pior não acontecer?

A projeção do futuro é apenas uma projeção

Um dos textos que mais me alegra no site – por ter relatos tão bacanas dos que leem – é o texto no qual falo sobre a idade e o mercado de trabalho.

A idade influencia a entrar no mercado de trabalho?

Imagine que você tem que tomar uma grande decisão. Já que você não é uma pessoa inconsequente, vai considerar as consequências daquela decisão. Digamos que você não tenha dúvidas sobre qual faculdade quer fazer. Porém, ainda resta uma dúvida, um receio, uma preocupação de que não vai dar certo. Talvez você tenha medo de não conseguir acompanhar as aulas, ou tenha medo do novo ambiente, de mudar de cidade ou de investir dinheiro na formação.

Mas, utilizando a dica deste texto, pense: “O que pior pode acontecer?”

Talvez o pior seja abandonar a faculdade ou gastar um dinheiro com educação. Em todos os casos (que eu consigo imaginar) me parece que a perda é muito pequena, se houver uma perda. Pois na faculdade podemos conhecer um outro mundo, podemos encontrar e conhecer outras pessoas e podemos mudar o rumo das nossas vidas.

Este é exemplo do que tenho visto aqui no site, de pessoas que ficam imaginando tudo de ruim para uma decisão. E acabam não tomando a decisão, não tendo por base o que vai acontecer (afinal, o que vai acontecer ainda não aconteceu), mas apenas e tão somente uma expectativa negativa, um projeção ruim do futuro.

Ainda assim, se o pior acontecer… será mesmo tão ruim? Será que não existirão ganhos no processo? Será que não valerá a pena ter tentado?

Conclusão

Eu sou uma pessoa intuitiva, na classificação dos Tipos Psicológicos de Jung. Quer saber mais sobre os tipos, veja o nosso novo Curso – Segredos dos Tipos Psicológicos

Como um intuitivo, acredito profundamente nas possibilidades. As grandes possibilidades do futuro me movem. Nesse sentido, sou sempre otimista e positivo. Considero que as coisas darão certo, que os objetivos serão alcançados, que as metas serão cumpridas, que vai ficar tudo bem. Como gosto excessivamente das possibilidades, acabo criando um milhão de projetos paralelos.

Agora, se você me perguntar se todos os projetos que comecei deram certo, terei que responder: não! Mas aprendi muito no processo de criar, errar, corrigir e recriar.

A minha ideia, sempre que começo uma nova atividade, é pensar em tudo de bom. Alguns poderiam até me chamar de um otimista exagerado, porque eu normalmente não paraliso frente ao que pode dar errado.

Este pensamento me move: “O que pior pode acontecer?”

Quase todas as vezes é: terei investido um tempo, talvez um pouco de dinheiro. Se não tiver retorno sobre o investimento (de tempo e de dinheiro) eu já saberei o que não dá certo. Não o que não dá certo universalmente, mas o que não dá certo para mim.

Por exemplo, já trabalhei como psicólogo em um asilo e já trabalhei como psicólogo em empresas. Pelo menos até agora – passados seis anos desde que estas experiências aconteceram – penso que trabalhar em um asilo ou em empresas não é a minha praia. Pode ser que no futuro eu mude de ideia. Mas aprendi algo mais sobre o que é melhor para mim, errando.

Olhando deste ângulo: ter errado foi um erro?

Portanto, o pior dos casos nem sempre é o pior dos casos. Na maioria das vezes, o pior mesmo nem chega a acontecer. Se der errado, ganhamos experiência. Se der certo, ganhamos felicidade, segundo o conceito de Lair Ribeiro de que: “Sucesso é conseguir o que você quer e Felicidade é querer o que você conseguiu”.

Enfim, se você não tentar… como vai conseguir? Se você não tentar, como vai saber que conseguiu o que queira?

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913