Olá amigos!

Tenho recebido diversas perguntas sobre a melhor idade para entrar no mercado de trabalho. Em geral, as perguntas são parecidas com a seguinte: “Tenho X anos, estou velho(a) para entrar no mercado?” Este texto procura responder estas perguntas, após analisarmos se a idade influencia ou não as oportunidades de trabalho e, se vale afinal a pena começar uma nova faculdade, investir em uma nova carreira, para quem tem “mais” idade.

A idade e o mercado de trabalho

Bem, esta questão da idade e o mercado de trabalho começou a surgir, como um ponto negativo, nos últimos anos. Por exemplo, vemos casos na televisão e em jornais de pessoas que tem 40, 45 anos e são demitidas e o único fator seria a idade. Após ficar desempregado, a pessoa simplesmente não consegue encontrar um vaga idêntica a que ocupava. Com isto, muitas pessoas passaram a questionar esta relação.

Este é um dos fatores que influencia a colocação ou recolação em determinadas profissões, mas, como veremos, é apenas um dos fatores a serem levados em conta. Quando trabalhei com Recursos Humanos, fiz milhares de processos seletivos para pequenas, médias e grandes empresas. Para que você possa entender claramente o que estou falando sobre a idade, vou dizer como funciona o processo de recrutamento.

Imagine que você é diretor ou gerente em uma empresa. Vendo o crescimento das vendas, você avalia que é necessário contratar 5 funcionários, digamos, todos para a área de vendas. Conhecendo o mercado no qual a sua empresa está inserida, você define o perfil profissional para os 5 novos funcionários:

Digamos:

– Formação no Ensino Médio;

– Experiência de pelo menos 1 ano com vendas;

– Personalidade extrovertida e comunicativa;

Estas são as principais características desejadas. Dados como sexo (ser homem ou mulher), estado civil (ter casado ou não), ter filhos e a idade são dados que podem influenciar sim na escolha. Porém, por questões éticas e até legais, a empresa simplesmente não pode dizer determinadas preferencias como preferir homens para certa vaga a mulheres. Embora, no universo das agências de emprego isto exista até casos absurdos em que se exige “boa aparência”.

A questão que ainda fica é: uma pessoa que tenha o ensino médio, tenha experiência em vendas e tenha uma personalidade extrovertida e comunicativa vai desempenhar bem a função tendo 20, 40 ou 60 anos? Haverá diferenças para a empresa no quesito idade?

A resposta, partindo ainda do ponto de vista do diretor, gerente ou dono da empresa creio que na grande maior parte das vezes será: o novo funcionário desempenhará bem as funções? Trará lucros a partir dos custos (salários, benefícios, transporte) que dará à empresa? Se o funcionário for positivo para a empresa, poderá ser contratado independente da idade.

Ter mais idade influencia na carreira?

Perguntas gerais sempre são difíceis de responder. O que eu diria para responder a esta pergunta é: sim, influencia. Mas, ao contrário do que se pensa, ter mais idade pode ser uma influencia positiva na carreira. Existem muitas profissões, como medicina ou psicologia, na qual ter mais idade (digamos 40, 50 anos) é visto com bons olhos. Ou seja, ao entrar em um consultório de um médico com 50 anos – ninguém pergunta a quanto tempo ele está formado – mas ao entrar em um consultório de um médico de 24, todos vão desconfiar e achar que a pouca idade faz dele um médico inexperiente.

O contrário é também verdade para determinadas áreas. Por exemplo, um professor universitário de uma faculdade pública, seja ela estadual ou federal, ao chegar aos 70 anos terá obrigatoriamente que se aposentar. É uma regra que não pode ser burlada. A ideia aqui é de que ao ter 70 anos a pessoa não tem condições ou fôlego ou vitalidade para continuar exercendo o magistério. Também estaria em jogo a ideia de renovação dos quadros, já que um professor universitário pode ocupar uma cadeira por décadas.

Nesse sentido, embora o professor possa continuar muito bem conceituado, capaz, lúcido, terá que se aposentar necessariamente. Poderá continuar ativo na iniciativa privada, mas para concursos públicos em universidades do governo, não poderá terá mais chance.

De forma curiosa, em muitos concursos públicos, ter mais idade significa pontos caso todos os outros critérios tenham chegado ao empate. Ou seja, um candidato de 45 anos que tenha conseguido no concurso (nas provas) 60 pontos e outro que tenha 25 anos e tenha obtido os mesmos pontos terá vantagem. Quer dizer, o candidato de 45 anos, embora tenha tirado a mesma pontuação da pessoa de 25, terá vantagem e poderá assumir, justamente por ser mais velho.

Ter menos idade influencia na carreira?

Formar mais cedo é visto pela maior parte das pessoas como um valor positivo, interessante, desejável. Em outras palavras, quanto mais cedo formar, melhor. Claro que existem vantagens em se formar mais cedo, além do fato de se ter mais disposição, mais vontade, mais sonhos. Porém, como mostrei acima existem sim pontos negativos de se formar muito cedo.

No final das contas, todo o problema da relação entre a idade e mercado de trabalho se resume na área na qual se vai trabalhar. Como a idade é apenas um dos fatores a serem levados em consideração para se conseguir um emprego, um salário, uma remuneração, temos que considerar todos os outros fatores para vermos se a idade será um ponto positivo ou negativo. Mas, ainda que influencie – para melhor ou para pior – não creio que fará tanta diferença realmente.

Tenho X idade: devo começar uma faculdade agora?

Esta é uma das perguntas mais frequentes em nossos textos sobre Orientação Profissional. Bem, primeiro é importante lembrar que a consideração de estar velho ou novo é extremamente relativa. Esses dias um leitor disse que estava velho para começar a faculdade tendo 21 anos… por outro lado, se considerarmos que a expectativa de vida tem subido muito nas últimas décadas e médicos e cientistas renomados dizem que a previsão é de que daqui a alguns anos ela chegue a pelo menos 100 anos… quer dizer, seremos velhos aos 40? Tendo ainda 60 anos de vida pela frente?

O que quer dizer ser velho ou novo?

Como todo adjetivo, quando dizemos velho ou novo, estamos comparando com algo ou alguém. Se eu sou velho por formar aos 26 é porque estou comparando com quem forma com 22, ou se eu sou velho ao formar aos 60 estou comparando com quem formou aos 30. Enfim, é sempre uma comparação. E como toda comparação, é um erro de perspectiva.

Para responder a esta pergunta de verdade, creio que temos que analisar todos os outros fatores e fazer a Orientação Profissional independente da idade. Por exemplo, perguntar se se quer mesmo trabalhar na área ou apenas obter mais conhecimentos, se se conhece realmente as oportunidades e o dia-a-dia da profissão, se a profissão – em geral – vem a se unir com o nosso tipo de personalidade.

Se todas as respostas forem sim, ou seja quero mesmo conhecer mais, quero me especializar, trabalhar em uma das áreas (ou até em todas as áreas daquela faculdade), se me vejo trabalhando, se a minha personalidade tem a ver com a profissão, enfim, a escolha – na minha opinião – deve ser feita independente da idade. Se alguém tem 20, 40, ou 60 anos isto não vai importar.

De um modo geral, não temos como saber se vamos viver mais 10 ou 50 anos. Mas o tempo que temos pela frente deve ser bem empregado. E não seria maravilhoso empregá-lo em uma profissão desejada de coração? Viver a própria vida com felicidade ao invés de ficar esperando ansiosamente o próximo feriado ou as próximas férias?

Vejam também o nosso vídeo sobre o tema!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 04/25443), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Vídeos e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade). E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - (12) 3042-0336 - Whatsapp (35) 99167-3191 - Snapchat: psicologiamsn