No texto “Que pós-graduação devo fazer?“, Felipe disse sobre as várias pós-graduações. Nesse texto pretendo explicar o que é a pós em psicologia clinica e como é feita.

Muito parecida com a tarefa do médico cujo procedimento é realizar diagnostico da queixa do paciente e apresentar o tratamento adequado para o problema, resolvendo junto com o paciente formas de solucionar seu problema. Para isso o psicólogo clinico precisa de informações minuciosas do seu paciente, sendo realizado entrevistas e anamnese (histórico do caso), observações de comportamentos e testes psicológicos.

Para elaborar o diagnóstico é necessário fazer um levantamento de hipóteses dos dados coletados nas entrevistas e checar para começar a trabalhar o conflito que interfere na vida do paciente. Ou seja, não é fácil terminar uma graduação e começar a atender na clinica para isso é necessário que você escolha uma abordagem teórica que norteará seus atendimentos com fundamentos.

Abaixo citarei as principais abordagens que são utilizadas na clinica:

Pós-graduação em Psicologia Clinica – Tipos e Abordagens:

A abordagem psicodinâmica que refere-se a psicanálise, psicologia analítica, entre outras:

– O objetivo dessa abordagem é trazer o inconsciente para o consciente fazendo com que o paciente tenha insights que possam mudar a vida para melhor através do autoconhecimento.

Abordagens com base humanista: a Gestalt, psicodrama, rogeriana:

– Pode-se dizer que seria o trabalho de estruturação do ego da pessoa, enquanto a abordagem psicodinâmica traz a tona conteúdos inconscientes, nas humanistas é um contato mais empático que trabalhe o aqui e agora. Ajudando o paciente a se integrar e desenvolver suas potencialidades pessoais.

Abordagem comportamental (behaviorista) e cognitivo-comportamental:

– Trata de questões como o próprio nome já diz de comportamentos e crenças, ou seja, ele dará tarefas para serem realizadas na semana, ajudando o paciente a melhorar suas habilidades e diminuir sentimentos e pensamentos negativos.

Abordagens corporais que englobam sessões de terapia com técnicas envolvendo o corpo, liberando tensão, e ajuda o sujeito a ter mais energia, portanto, mais disposição em sua vida.

Essas são as principais abordagens utilizadas hoje em dia, mas existem inúmeras e vai de cada pessoa escolher a abordagem que gostaria de se especializar.

Sendo assim na clinica você poderá fazer atendimentos: Psicoterapia individual (crianças, adolescentes, adultos e idosos), Psicoterapia de casal, e Psicoterapia de Grupo e Familiar.

Após a escolha você deve procurar uma faculdade ou universidade que tenha a pós-graduação que você deseja.

Título de Especialista em Clínica do Conselho Federal de Psicologia

Existe também o título de especialista de psicológico clinico, que segundo o Conselho Regional de Psicologia define o titulo de especialista:

– Atua na área específica da saúde, em diferentes contextos, através de intervenções que visam reduzir o sofrimento do homem, levando em conta a complexidade do humano e sua subjetividade. Estas intervenções tanto podem ocorrer a nível individual , grupal, social ou institucional e implicam em uma variada gama de dispositivos clínicos já consagrados ou a serem desenvolvidos, tanto em perspectiva preventiva, como de diagnóstico ou curativa. Sua atuação busca contribuir para a promoção de mudanças e transformações visando o benefício de sujeitos, grupos, situações, bem como a prevenção de dificuldades.

– Atua no estudo, diagnóstico e prognóstico em situações de crise, em problemas do desenvolvimento ou em quadros psicopatológicos, utilizando, para tal, procedimentos de diagnóstico psicológico tais como: entrevista, utilização de técnicas de avaliação psicológica e outros. Desenvolve trabalho de orientação, contribuindo para reflexão sobre formas enfrentamento das questões em jogo. Desenvolve atendimentos terapêuticos, em diversas modalidades, tais como: psicoterapia individual, de casal, familiar ou em grupo, psicoterapia lúdica, terapia psicomotora, arteterapia, orientação de pais e outros.

– Atua junto a equipes multiprofissionais, identificando, compreendendo e atuando sobre fatores emocionais que intervêm na saúde geral do indivíduo, especialmente em unidades básicas de saúde, ambulatórios e hospitais.

– Atua em contextos hospitalares, na preparação de pacientes para a entrada, permanência e alta hospitalar, inclusive pacientes terminais, participando de decisões com relação à conduta a ser adotada pela equipe, para oferecer maior apoio, equilíbrio e proteção aos pacientes e seus familiares. Participa de instituições específicas de saúde mental, como hospitais-dia, unidades psiquiátricas e outros, podendo intervir em quadros psicopatológicos tanto individual como grupalmente, auxiliando no diagnóstico e no esquema terapêutico proposto em equipe. Atende a gestante, no acompanhamento ao processo de gravidez, parto e puerpério, contribuindo para que a mesma possa integrar suas vivências emocionais e corporais.

– Atua junto aos indivíduos ou grupos na prevenção, orientação e tratamento de questões relacionadas a fases de desenvolvimento, tais como adolescência, envelhecimento e outros. Participa de programas de atenção primária e centros e postos de saúde na comunidade, organizando grupos específicos na prevenção de doenças ou no desenvolvimento de formas de lidar com problemas específicos já instalados, procurando evitar seu agravamento em contribuir ao bem estar psicológico. Acompanha programas de pesquisa, treinamento e desenvolvimento de políticas de saúde mental, participando de sua elaboração, coordenação, implementação e supervisão, para garantir a qualidade da atenção à saúde mental em nível de macro e microsistema.”

Para saber mais sobre como ter o título acesse: http://www.crpsp.org.br/portal/orientacao/resolucoes_cfp/fr_cfp_013-07.aspx

Psicólogo (CRP 06/119079), Especialista em Psicanálise, Pós-graduado em RH, Palestrante e Consultor de Empresas. Visite meu site - Superando Desafios