“O destino de cada ser humano é criado quando o que está dentro da sua cabeça encontra o que está fora da sua cabeça” (Eric Berne). 

Olá amigos!

Às vezes me espanto com a quantidade de teorias psicológicas e terapias que existem. Mas o que mais me espanta, em um sentido positivo, de thaumasein, de admiração, é a fecundidade da maior parte destas teorias.

Uma querida colega de profissão, formada na década de 1980, fez pós-graduação em análise transacional. E, através dela, conheci a teoria e agora estou adquirindo os livros dos principais autores.

No texto de hoje, gostaria de explicar um dos conceitos mais fundamentais da análise transacional, os estados do ego chamados de Pai, Adulto e Criança.

Utilizaremos o livro de Erick Berne, Games People Play e Eu estou Ok, você está Ok como referência.

Os estados do ego

Um dos argumentos mais fundamentais da Análise Transacional é que a psicologia e a psiquiatria criaram uma terminologia muito complicada para o não-especialista. Anos de estudo são, então, necessários para começar a entender o que os autores dizem e isso seria muito distante da realidade de quase todos.

Em certo sentido, o conhecimento técnico do especialista também não o ajudaria a lidar consigo mesmo e especialmente torna complicado explicar para o paciente o que está ocorrendo.

Por isso, o objetivo da Análise Transacional é  trazer uma linguagem mais clara e acessível.

Por exemplo, todos nós conseguimos perceber que ao longo de um dia, de uma semana, sofremos modificações no modo como nos sentimos e pensamos. Ou o modo como as outras pessoas mudam de estado de humor com relativa frequência.

Em linguagem técnica, poderíamos dizer que existem três estados básicos: exteriopsíquico (exteropsyquic), neopsíquico (neopsycchic) e arcaicopsíquico (archaeopsychic). [Não consegui encontrar a tradução para tais palavras em português. Suponho que sejam traduzidas desta forma].

Apenas o uso de tais palavras já afasta o entendimento direto, não é?

Em vez disso, os analistas transacionais utilizam:

Pai (Parent)

Adulto (Adult)

Child (Criança)

O único inconveniente de traduzir parent por Pai é que o termo original inclui em seu campo semântico não somente o pai, como os pais, o pai e a mãe, ou as pessoas que cumpriram para a criança esta função.

E o que significa estes estados?

Pai (Parent)

“Você está no mesmo estado mental que um de seus pais (ou pais substitutos) costumava estar, e você está respondendo como ele ou ela responderia, com a mesma postura, gestos, vocabulários, sentimentos, etc” (BERNE, p. 24).

Ou seja:

“Cada indivíduo possui pais (ou pais substitutos) e eles carregam dentro de si um estado do ego que reproduz o estado do ego desses parentes (como é percebido pela pessoa), e esse estado do ego pode ser ativado por certas circunstâncias (exteropsychic). Coloquialmente: cada pessoa carrega dentro de si os seus pais”.

Adulto (Adult)

“Você acabou de fazer uma avaliação autônoma, objetiva da situação e está pensando ou percebendo problemas ou conclusões de uma maneira não preconceituosa ou julgadora” (BERNE, p. 24).

Ou seja:

“Todo e qualquer indivíduo (incluindo as crianças, os esquizofrênicos e deficientes mentais) são capazes de processar informações objetivamente se o estado do ego apropriado estiver ativado (neopsychic). Coloquialmente: todo mundo possui um adulto em si” (BERNE, p. 24).

Criança (Child)

“A maneira e a intenção com a qual você reagiu é a mesma que ocê teria se você fosse agora um pequeno garoto ou garota” (BERNE, p. 24).

Ou seja:

“Todo indivíduo foi antes mais jovem do que é agora e por isso carrega dentro de si relíquias fixadas de anos anteriores que são ativadas sob certas circunstâncias (archaeopsychic). Coloquialmente: Todo mundo carrega dentro de si um pequeno garoto ou garota” (BERNE, p. 24).

É importante notar que todos os três estados são naturais e a presença destes estados, segundo os autores da análise transacional, é encontrada em todos nós. A diferença entre o comportamento de uma pessoa e de outra reside na predominância de um estado sob o outro ou na inconsciência do seu estado atual.

Por exemplo, a Criança pode ser fonte de criatividade, espontaneidade e diversão. Porém, se predominar poderá prejudicar a adaptação e a realização de atividades na escola, faculdade, trabalho ou nos relacionamentos onde, frequentemente, uma atitude mais ligada ao Adulto é necessária.

O Pai possui duas funções básicas:

  • permite com que nos transformemos em pais ou mães das nossas crianças;
  • permite com que economizemos tempo, fazendo as coisas como “tem que ser feitas” (pelo aprendizado com os pais ou pais substitutos).

História do Pai, Adulto e Criança

Análise-Transacional

No livro Eu estou Ok, você está Ok, Thomas A. Harris conta de que forma Erick Berne percebeu a presença real destes três estados do ego:

“Um advogado, de trinta e cinco anos, de quem ele estava tratando, lhe disse: ‘Na verdade eu não sou um advogado, sou apenas um garotinho’. Longe do consultório do psiquiatra ele era, na realidade, um bem sucedido advogado, mas durante o tratamento se sentia e agia como um menino. Perguntava às vezes durante a sessão: ‘Você está falando com o advogado ou com o garoto?’

Tanto Berne quanto seu paciente ficaram intrigados com o aparecimento e a existência dessas duas pessoas reais, ou estados de espírito, e começaram a se referir a elas como ‘o adulto’ e ‘a criança’. O tratamento centralizou-se no trabalho de separar os dois.

Mais tarde um outro estado começou a tornar-se aparente, um estado distinto do ‘adulto’ e da ‘criança’. Era o ‘pai’, identificado por um comportamento que era a reprodução do que o paciente vira e ouvira de seus pais quando menino’ (HARRIS, p. 40).

Conclusão

Nos relacionamentos interpessoais existem configurações específicas. Por exemplo, uma pessoa pode estar no estado Adulto e a outra também. Mas, em outro caso, uma pessoa pode estar no estado Criança e a outra no estado Pai.

Em breve, escrevemos mais sobre os Jogos da Vida, os jogos que as pessoas jogam (Games People Play).

Dúvidas, sugestões, comentários, por favor, escreva abaixo!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913