Quando vamos escrever um trabalho de escola ou o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da faculdade, ou ainda a dissertação de mestrado ou tese de doutorado é comum passarmos pelo que os especialistas chamam de bloqueio de escritor (em inglês, writers block). Mas, apesar de ser um problema comum, que muitos escritores passam, existem dicas simples da psicologia que podem nos ajudar a superar esta dificuldade de forma rápida, segura, e comprovada.

Esta técnica foi e é utilizada no mundo todo e ficou conhecida como a Técnica Disney, para a criatividade. Ela é dividida em 3 passos simples, que são os seguintes:

1) Escreva livremente

Se você gosta de escrever com papel e lápis ou caneta, ou se prefere escrever no computador, o primeiro passo da técnica é muito simples. Escreva livremente, tudo o que vier à sua cabeça, sem criticar, sem se preocupar com os erros de ortografia ou gramática. Escreva deixando a corrente de ideias e pensamentos passarem, sem nenhuma interrupção. No texto, você pode incluir qualquer coisa, inclusive pensamentos que talvez não estejam tão relacionados com o tema, ou conteúdos que podem depois ser incluídos em outra parte ou capítulo, como a conclusão.

O primeiro passo, portanto, é somente este: escreva livremente. Não corrija, não critique, não selecione. Apenas escreva tudo o que estiver na sua cabeça naquele momento. Se aparecer um exemplo, se aparecer uma ideia para uma outra parte do trabalho, se surgir uma música, não interessa, escreva tudo.

2) A correção crítica

Depois de escrever livremente, dê uma pausa. Fique alguns momentos longe de seu ambiente de trabalho. Você tem que deixar claro para si mesmo que a fase 1, o passo 1, já passou. Talvez você prefira fazer o passo 2, a correção crítica, em um outro local. O ideal aqui é não confundir nunca o primeiro passo com o segundo.

Se no primeiro, você foi livre para escrever e dizer qualquer coisa, como uma tempestade mental (brainstorming), no passo dois você tem que fazer um outro papel. É o papel do crítico, o papel da correção do que foi feito.

Ao contrário do que muitos pensam, o processo de escrita não é de inspiração total, saindo o texto totalmente pronto já na primeira versão. Pelo contrário, tão importante quanto o momento de inspiração, de se criar livremente, é o segundo momento – de corrigir os erros, de se repensar determinados trechos, de recortar uma parte e colocá-la mais para cima ou mais para baixo. Pode-se anotar também conteúdos que estão faltando, frases inacabadas, continuações.

A ideia da crítica aqui não é a de simplesmente criticar e dizer: “está ruim, está bom, está faltando”. O papel aqui corresponde também a colocar a mão na massa, ou seja, ter um trabalho ativo de modificação do texto escrito na fase 1.

Com isso, se você está escrevendo no papel, você pode pegar um novo papel para a fase dois. Copiar o texto, em seu melhor, e ir mudando palavras, retirando sentenças, marcando para pesquisar mais sobre isto ou aquilo. Se você está no computador, abra um novo arquivo e copie todo o texto e agora anote, corrija, remarque, sublinhe. O texto continua sendo livre para ser trabalhado. Você vai pegar o que teve de melhor na fase 1 e aperfeiçoar – é isto o que quer dizer correção crítica

3) Finalização

Dependendo do tempo que você tem ou do tipo de trabalho de escrita que é o seu no momento, o processo de finalização vai variar. Finalizar e concluir significa somente a leitura final, a última correção para terminar todo o trabalho feito até então. Se o trabalho for mais extenso como o TCC ou dissertação ou tese, você vai chegar à esta parte diversas vezes, finalizando cada capítulo e concluindo cada parte.

A ideia da finalização é juntar os dois processos anteriores. Já passamos da fase da correção crítica e podemos voltar até à fase 1, mas como estamos concluindo, vamos ser mais rápidos em ambas as fases.

Conclusão

Escrever bem é um processo que envolve inspiração e transpiração. Na minha opinião, muito mais transpiração do que inspiração. Mas a inspiração tem que estar sempre presente. Se a inspiração está bloqueada, é porque você não está deixando espaço para criar livremente. No meio da criação livre, você já está criticando.

O central nesta técnica é justamente conseguir separar a fase 1 da fase 2. Para tanto, separe as fases colocando pausas entre cada uma delas, ou então, faça como o Disney, destine uma sala para criar e uma sala para criticar.

Dúvida, por favor, escreva nos comentários!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913