“Valores são princípios condutores que nos guiam e motivam ao longo da vida” (RUSS HARRIS)

Talvez você já tenha, como eu, sentido que a busca pela realização de objetivos parece sem fim. Se estamos a procura de aumentar a nossa produtividade, criamos listas com o que devemos fazer no dia, na semana, no mês, no ano. Podemos ter a sensação de dever cumprido ao riscar os objetivos. Mas, por outro lado, talvez surja a sensação de que esse processo não vai ter fim. Então, surge a questão: qual é o sentido último de ir riscando da nossa lista isso e aquilo e aquilo outro? Seria a vida tão somente a procura pela realização desses objetivos?

O que é um objetivo?

Um objetivo é um projeto, um comportamento, um sonho que pode ser realizado e é determinado. Podemos chegar em um dia e riscar da nossa lista de objetivos. Por exemplo, a pessoa pode ter o objetivo de casar, de fazer uma faculdade, de viajar para França, de terminar de ler um livro especial, etc.

Como o próprio nome já diz, é objetivo, é determinado, é claro. A pessoa então casa e realizou aquele objetivo, terminou a faculdade e realizou aquele objetivo e assim por diante.

Desta forma, a vida vai sendo construída. Entretanto, como disse, em alguns momentos surge a sensação talvez de vazio ou de dúvida. Qual o sentido de tudo isso? Para que tanta busca?

O encontro dos valores pessoais

Existe uma diferença fundamental entre objetivos e valores pessoais. Segundo a ACT, a Terapia de Aceitação e Compromisso, quando temos dúvidas do caminho a seguir, quando questionamos o sentido de nossas escolhas e toda essa busca de objetivos, torna-se importante descobrir quais são os nossos valores pessoais.

Uma vida com verdadeiro sentido é uma vida na qual temos sempre em vista os nossos valores pessoais.

O que são valores?

Podemos entender os valores como o que é mais importante para cada um de nós. Mas não devemos confundir com objetivos. Um valor é como um norte, como uma orientação. Um valor nunca é realizado de uma vez por todas.

A pessoa que quer se casar, vai e se casa. Pronto, ela realizou seu objetivo. Porém, se possui o valor de ser uma esposa amorosa, um marido amoroso, esse é um valor que estará presente o tempo todo como uma direção, como uma forma ideal de agir. Não vai ser chegar um dia e dizer: “Pronto, consegui ser uma esposa maravilhosa. Amanhã não preciso ser mais”

Existem diversos valores. E existe a individualidade do valor, ou seja, o que valorizamos em nossa vida vai ser diferente do que o nosso vizinho valoriza, do que o nosso irmão, cunhado, sogra, amigo, etc. Muitas brigas, em família, acontecem porque as pessoas não conseguem compreender ou aceitar que a outra pessoa não tem o mesmo valor que a gente.

Descobrindo os nossos valores

Recebo muitos emails e comentários de pessoas interessadas em fazer psicologia. Uma frase comum é: “penso de fazer psicologia porque quero ajudar as outras pessoas”. Este é um valor pessoal chamado contribuição social. Fazer a faculdade de psicologia, encontrar um trabalho na psicologia são objetivos. Querer ajudar é um valor.

Nada impede que possamos trocar os nossos objetivos, talvez por dificuldades circunstancias, mas se soubermos o porquê, a finalidade, o valor que está por trás dos nossos objetivos, teremos uma razão para continuar.

Enriquecer, por exemplo, pode ser um objetivo. Para uma pessoa, o valor consiste na estabilidade proporcionada por ter uma conta bancária significativa. Para outra, o valor por detrás é ajudar sua família (outra faceta da contribuição social) e, para outra, a ideia é ter liberdade para ir e vir, ter tempo livre, etc.

Esse objetivo de ter dinheiro, ganhar mais, é bastante curioso no que tange à diferença de ser um objetivo definido (ter X por mês, atingir Y de renda, obter Z de patrimônio) e o valor que mantém o comportamento ao longo dos anos. É curioso pensar em pessoas que acumularam fortunas extraordinárias que ultrapassam bilhões. Por que elas continuam a trabalhar?

Ora, se pensarmos apenas em termos de objetivos, não conseguiremos entender. Mas se pensarmos no valor pessoal, profundo e intransferível que a move, conseguiremos ver o porquê.

Para descobrir os seus valores, um bom exercício está neste texto – O que as pessoas dirão de ti em seu aniversário de 80 anos?

E, neste outro, vemos outras questões relacionadas – Você sabe o que você valoriza mais? Os valores e as escolhas

Conclusão

No ambiente empresarial, vemos frequentemente o estatuto dos valores de uma determinada empresa. Esse é um outro exemplo para entender a ideia de valores. Uma empresa, evidentemente, quer ter lucros e crescer. Mas há algo além disso.

Uma empresa pode ter como consequência de sua atuação um importante impacto social. Ou pode destinar parte dos seus lucros e fundos para projetos sociais ou ambientais.

Do mesmo modo, é importante que cada um defina com o máximo de clareza possível quais são os seus valores e viva a sua vida e procure realizar os seus objetivos tendo sempre em vista esses valores. Empecilhos, dificuldades, reveses, percalços aparecem. Mas se temos bem claro os nossos valores teremos muito mais chance de perseverar e realizar os objetivos no longo prazo.

Dúvidas, sugestões, comentários, por favor, escreva abaixo!

Referências

HARRIS, Russ. The happiness Trap. Ebook Kindle.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913