Olá amigos!

Devemos começar este texto tratando a diferença entre sofrimento e dor. Todos os seres humanos, sem exceção, passam em suas vidas por experiências de dor e experiências de sofrimento. Para os nossos propósitos, vamos dizer que a dor é um estímulo desagradável e o sofrimento é a dor psíquica.

Por exemplo, você bate o joelho na beirada da cama e sente dor, instantaneamente. Se você estava em um relacionamento apaixonado e a outra pessoa termina, você sente o sofrimento da perda. Ninguém te bateu fisicamente, mas a sensação desagradável acontece mesmo assim.

Uma boa parte do que fazemos em sociedade consiste em procurar nos defender da dor, seja ela um possível desconforto (como comprar um guarda-chuva para não se molhar) ou comprar um colchão para não ter que dormir no frio e duro chão.

Portanto, enquanto sociedade, criamos uma série de dispositivos para evitar a dor. O controle remoto da TV para não ter que levantar é um deles. E, igualmente, procuramos criar ferramentas e formas para não sofrermos, para não termos que lidar com a dor da alma, a dor da psique.

O problema é que em muitos casos, no que tange ao sofrimento, o feitiço vira contra o feiticeiro. É como se você comprasse o guarda-chuva e, ao invés de ele te proteger da chuva, ele te deixasse mais molhado.

Explico: imagine que você tem um problema para resolver (quem não tem?). Sua mente então passa a elucubrar todo tipo de soluções. Talvez, primeiro, comece a projetar tudo o que pode acontecer, enfatizando todo o pior. Depois, passa a refletir sobre o que fazer, o que não fazer, o que falar, o que não falar… até que este diálogo interno incessante acaba se transformando em um problema muito maior do que o problema original.

Por exemplo, sabemos que o medo é uma resposta praticamente automática na presença de uma situação que vai exigir do organismo o tipo de resposta de ou lutar ou fugir. A ansiedade, por outro lado, significa um estado mental-emocional de alerta para uma situação que está para acontecer, ou melhor, talvez aconteça, pode acontecer e, na maioria das vezes, nem acontece.

É nesse sentido que digo que é uma solução (como a ansiedade) se transformando em um problema maior do que o problema inicial (uma situação na qual algo poderia acontecer de errado).

Não sei se ficou claro. Talvez seja fácil de entender o princípio se passarmos a observar, de coração, os problemas das outras pessoas. Para elas, o seu problema particular é sempre muito grande, muito difícil, quiçá insolúvel. Para nós, que estamos observando e ouvindo com atenção, o problema parece incrivelmente menor, menos difícil e até fácil de solucionar.

Como na imagem abaixo.

Tem um problema?

a-vida-e-simples

1) Tem um problema?

Sim.

Pode fazer algo?

Sim.

Então não se preocupe

2) Tem um problema?

Sim.

Pode fazer algo?

Não.

Então não se preocupe

3) Tem um problema?

Não.

Então não se preocupe.

É bastante lógico. Se você tem um problema e você pode fazer algo, então faça. Se não dá para fazer agora, então tudo bem, faça depois. Se você tem um problema e você não pode fazer algo (se não está sob o seu controle), então, fazer o que? Deixe para lá, afinal, não há nada que você possa fazer.

E se você não tem um problema… ótimo! Seja feliz!

Bem, esta é a mensagem da imagem. O problema (mais um?) é como não se preocupar, não é mesmo?

O sofrimento combatido por espaços de silêncio

Estudos da Terapia de Aceitação e Compromisso mostram que tentar esquecer, tentar recalcar, tentar deixar de lado um pensamento conduz a mais pensamentos daquilo que não queremos pensar. Em outras palavras, tente não pensar em algo que você vai perceber que estará pensando ainda mais nesse algo qualquer.

Por este motivo, tentar deixar de lado, usar determinadas substâncias químicas para afogar as mágoas, brigas, espernear não vai funcionar no longo prazo.

Felizmente, existem duas técnicas muito simples e acessíveis a todos que ajudam a lidar com as preocupações:

1) Escrever

Você não precisar ser Machado de Assis ou Clarice Lispector para escrever o que está passando em sua mente. Anotar em um papel, caderno ou digitar e colocar na tela é uma excelente ferramenta para desabafar. E melhor do que desabafar, o processo de escrita permite um maior distanciamento do problema que está te preocupando.

Depois de anotar o que você está sentindo e pensando, qual é o problema e o que você pode (ou não pode) fazer a respeito você poderá voltar até a imagem acima sempre que a preocupação voltar. Ou seja, você pode então se lembrar que há o problema, tudo bem, você não quer fugir. Mas ou você pode ou não pode fazer algo (conforme o texto que escreveu). Então…paciência ou ação.

2) Desenvolver a habilidade de ficar em silêncio

Talvez você não consiga ainda ficar alguns minutos em silêncio. Talvez ainda não consiga nem 10 segundos. Mas não importa porque você provavelmente nunca treinou como lidar e entrar em silêncio. Se você consegue alguns segundos, já está ótimo porque você vai conseguir perceber que no silêncio, os problemas (que são palavras ou imagens mentais) se dissolvem – como uma música que termina e traz de volta o vazio do silêncio.

Conclusão

Com o tempo e com um pouco mais de experiência de vida, conseguimos nos distanciar e avaliar o que temos feito. A dor física, o desconforto no corpo, um pernilongo vai aparecer aqui e ali. Podemos nos precaver, nos cuidar, nos proteger, mas em certos momentos será inevitável, do mesmo modo que com o sofrimento psíquico.

A pegadinha com o sofrimento psíquico é muitas e muitas vezes a emenda é pior que o soneto, quer dizer, a solução acaba sendo pior que o problema ou o conserto sai pior que o estrago. Por isso, não é a toa a qualificação da paciência como a maior das virtudes. Com mais silêncio e menos turbilhão mental, conseguimos ser mais pacientes e lidar melhor com as situações que vão surgindo.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913