Olá amigos!

Estou lendo um livro muito interessante que encontrei há pouco tempo enquanto pesquisava para o texto – Melhores livros da Mindfulness Psychology, a Psicologia da Atenção Plena. O livro que estou lendo, pelo que vi, é o melhor para começar a entender a aplicação de certas técnicas meditativas para o controle da ansiedade, do stress e para a diminuição da dor (crônica ou não). O livro se chama Full Catastrophe Living: Using the Wisdom of Your Body and Mind to Face Stress, Pain, and Illness, de John Kabat-Zinn. 

Infelizmente, até hoje, não existe a versão em português. A tradução do título seria algo como: Vivendo a catástrofe completa: usando a sabedoria do seu corpo e mente para enfrentar o stress, a dor e a doença.

Logo no começo, o Kabat-Zinn coloca a questão: O que você vai fazer com sua mente hoje? Ou melhor: O que você vai fazer com sua mente agora?

O controle da mente

Quem quer que já tenha feito meditação, reconhecerá a verdade da concepção oriental de que a nossa mente é mente-macaco. Ou seja, a mente que fica pulando de galho em galho como um macaco. Evidente que a mente-macaco é tão somente uma imagem, uma metáfora para descrever o fluxo mental incessante. Chega a ser tão incessante que não percebemos que é assim.

Embora a meditação, propriamente falando, que é utilizada na Psicologia da Atenção Plena não seja paralisar a mente (ou silenciá-la) mas sim observar o que acontece no momento que acontece, é fácil de comprovar a metáfora da mente-macaco com um simples exercício:

“Feche os olhos. Procure diminuir ao máximo o fluxo de pensamentos a ponto de ficar em silêncio por alguns minutos”.

Bem, se você tentou fazer conforme o exercício, notará que a nossa mente não pára. Já ouvi dizer que chegamos a ter mais de 60.000 pensamentos por dia! Não sei se o número é verdadeiro (quantos pensamentos por segundo?), mas o ponto importante a notar é que por mais espertos, sagazes, inteligentes, intelectuais que possamos ser, a nossa mente parece ser, no começo do processo, incontrolável.

Assim, podemos nos questionar: “eu sou um eu que pensa e controla a sua mente ou eu sou o resultado de um fluxo de pensamentos incontroláveis e sem senhor?”

É uma boa pergunta. Confesso que não sou capaz de repondê-la. Mas vamos procurar pensar juntos:

“O que você vai fazer com sua mente hoje? O que você vai fazer com sua mente agora? Se decidir tomar um outro rumo do que tem tomado… como vai mudar o modo como pensa e reage?”

Em outras palavras… o que você feito para mudar o seu estado mental e emocional nos últimos tempos ou mesmo durante a sua vida toda? Tem dado resultado?

A diferença entre terapia e mindfulness

Para quem está já mais acostumado com a psicologia clínica e talvez tenha feito terapia com um profissional capacitado, talvez surja a dúvida sobre a diferença de método. Pois, afinal, quando passamos a questionar o que temos feito para melhorar os nossos estados mentais e emocionais estamos falando de um método, de um como. 

A diferença entre terapia e mindfulness (atenção plena) é simples. A terapia busca a causa de um sintoma, a sua origem no passado e a sua transformação no presente (muitas vezes com o estabelecimento de novas metas e acompanhamento semanal).

Já a psicologia da atenção plena (mindfulness), com as técnicas de vários tipos de meditação, não busca a causa dos pensamentos, sua fonte. Não está preocupada com a história longínqua do indivíduo, suas experiências infantis e familiares. O método é mais simples e igualmente eficaz para a transformação. Na psicologia da atenção plena procuramos criar a consciência do momento presente.

Como disse acima, o objetivo não é paralisar o pensamento. O objetivo é observar o pensamento no seu processo de aparecimento e desaparecimento.

Por exemplo, um paciente depressivo pode pensar que gostaria que o seu sofrimento psíquico acabasse. Com o pensamento de que o sofrimento deveria acabar, surge uma ideia de suicídio. E, com o pensamento suicida, surge a culpa. A autocrítica, a autorecriminação retorna, típica dos sintomas depressivas.

Com a terapia, há a possibilidade de investigar a causa dos pensamentos de autocrítica, autorecriminação. Origens na infância ou adolescência. Anamnese, diagnóstico, prognóstico.

Com a mindfulness, o caminho é outro. O paciente (ou qualquer um que queira) aprende na prática a natureza de sua própria mente. A mente, composta de elementos distintos – pensamentos, sentimentos, palavras, imagens, sensações – é impermanente. É e provavelmente vai continuar sendo por um tempo como um macaco-pulando-de-galho-em-galho.

De modo que, para um paciente depressivo, pode surgir um pensamento suicida. Este, como todo e qualquer outro pensamento, é impermanente. Vai “nascer” e “morrer”. Vai aparecer e vai desaparecer. Querer que não aparece é fonte de sofrimento (culpa, autocrítica, autorecrimanação, etc).

Ao deixar que nasça e deixar que morra o que quer quer for e observar a própria mente no processo, consegue-se já desde o início um incrível progresso. A mente fica mais estável, equilibrada, equânime. Pelo fato de parar de lutar contra o que está acontecendo aqui e agora, surge tranquilidade com a aceitação do que é. Pelo fato de deixar o passado no passado e o futuro no futuro, consegue-se viver mais intensamente.

Por exemplo, quantas e quantas vezes não damos atenção às pessoas que amamos por estarmos com a mente vagando (passado e futuro)? Quantas e quantas vezes deixamos de observar algo belo – como um pôr-do-sol – para ligar o celular e tirar uma foto?

Saiba: uma das maiores fontes de sofrimento psíquico não é, como se acredita a existência de estados dolorosos, mas sim não conseguir viver no presente. Como na frase que diz que a depressão é excesso de passado e a ansiedade excesso de futuro…

A felicidade é agora. O que você vai fazer com sua mente?

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913