Será que este relacionamento amoroso vai durar? Pesquisas da psicologia comprovam que alguns sinais indicam comprometimento, enquanto outros apontam para um relacionamento curto. Texto da Phd. Theresa DiDonato.

Olá amigos!

Como estou sempre fazendo diversas pesquisas dos melhores textos sobre psicologia no mundo todo, e como já tinha recebido um pedido para falar sobre relacionamentos que duram e relacionamentos que acabam rápido, decidi traduzir para todos um precioso texto com 5 dicas para saber se a tendência de um relacionamento é acabar logo ou ser mais duradouro.

Digo tendência porque não existe uma ciência do futuro. Uma ciência digna do nome, e se a psicologia pode e deve ser considerada uma ciência (é uma longa discussão epistemológica), temos que ter em vista que não se trata de uma previsibilidade total. Em outras palavras, falamos de 5 formas prováveis que indicam ou não a durabilidade de uma relação.

E por que faço questão de frisar a probabilidade? Porque as pessoas podem mudar. Uma pessoa que parecia não comprometida no início de um relacionamento amoroso pode mudar no mês seguinte e passar a se comprometer. E o inverso também é verdade: uma pessoa que esteve apaixonada e comprometida nos últimos dois anos, assim, inesperadamente, pode mudar de ideia e querer terminar.

Portanto, o texto da Phd. Theresa DiDonato nos traz dados de pesquisas da psicologia sobre o que faz um relacionamento (provavelmente) durar mais ou menos. Sem mais delongas, vamos ao texto!

duvida-amor-sera-relacionamento-durar

5 maneiras de saber se um relacionamento vai durar

1) Quão similares vocês dois são?

Isto é mais fácil de perguntar do que responder, porque a atração romântica (gostar de alguém) pode turvar o nosso julgamento. Evidências recentes mostram, de verdade, que as pessoas dizem gostar mais de pessoas diferentes – mas apenas quando o relacionamento tem curta duração. (Amodio & Showers, 2005).

Para relações de longo prazo caracterizadas por comprometimento, uma maior percepção de similaridade (não menos) é o que prediz a relação. Então, pergunte a si mesmo algumas questões difíceis sobre quão similares são você e seu parceiro(a), em termos de valores, objetivos, gostos de entretenimento, se tem ou não a mente aberta, etc.

A similaridade (ou diferença) te dará alguns bons insights do poder de permanência do relacionamento.

2) Você conheceu os amigos dele(dela)?

Se a pessoa com quem você está saindo está aberta para um relacionamento duradouro, amigos e parentes são tipicamente envolvidos. Isto faz sentido: as pessoas tendem a querer integrar os outros que significam muito para ela. De fato, a aprovação dos amigos pode ser um fator importante no sucesso de um relacionamento de longo prazo.

A evidência sugere que quanto mais os seus amigos gostam do seu parceiro(a), e quanto mais eles aprovam ele ou ela, menos provável é que o relacionamento termine (Felmee, 2001).

3) O seu novo(a) parceiro(a) está procurando ainda?

Quando as pessoas estão em relacionamentos exclusivos, uma mudança fundamental ocorre no modo como eles inconscientemente manejam os seus recursos atencionais. Quando um potencial e atrativo parceiro(a) aparece para ele ou ela, as pesquisas em processamento cognitivo implícito sugere que há uma inibição da atenção (Maner, Gailliot, & Miller, 2009).

Se o seu potencial amor não tem olhos apenas para você, isto pode ser um sinal que a relação vai ser apenas um evento passageiro: pessoas que se consideram solteiros aumentam a sua atenção para a possibilidade de encontrar outros parceiros atrativos.

4) Você tem medo de ficar solteiro(a)

Pode ser tentador olhar para um relacionamento novo como um par ideal, se você está especialmente preocupado(a) sobre não ficar sozinho(a). A evidência mostra que pessoas que tem medo de ficar solteiro(a) não dizem que tem um padrão mais baixo para encontrar alguém, mas tais pessoas se comportam de formas que sugerem que eles estão mais aptos de se adaptar a parceiros que são menos desejáveis (Spielmann et al., 2013).

Por exemplo, tais pessoas podem mostrar o mesmo interesse romântico para potencias parceiros que são menos carinhosos e demonstram pouca consideração do que demonstrariam para pessoas que são carinhosas e compreensíveis.

Ter e manter um padrão condizente com o que você quer continua sendo um ponto importante para encontrar a pessoa certa.

5) Como o seu novo amor reage à ideia de comprometimento?

Se uma pessoa quer um relacionamento de curto prazo, e apenas um relacionamento de curto prazo, ela frequentemente vai empregar táticas astutas para manejar e sair de situações que levem a comprometimento.

As pessoas podem empregar uma série de comportamentos para evitar o comprometimento (Jonason & Buss, 2012). Tais pessoas podem evitar o contato – digamos, não respondendo a mensagens – ou evitando contatos íntimos (exceto sexo) que demonstrariam carinho e seriam afetuosos. Além disso, fugirão de “conversas de relacionamento” (ou discussões relacionadas ao tópico).

Outro ponto é que as pessoas que não desejam um relacionamento duradouro normalmente não vão querer conhecer os amigos ou parentes, pois todos estes comportamentos indicam desejo de comprometimento e são, assim, intencionalmente evitados.

Ao não querer um relacionamento de longo prazo, inclusive, uma pessoa pode agir machucando a outra apenas impedindo que o relacionamento progrida e interrompendo totalmente os contatos.

Se isto parece com o seu novo romance, infelizmente indica fortemente que o seu parceiro(a) não está mostrando sinais de que quer um relacionamento duradouro.

Conclusão

Existem muitos fatores que podem influenciar se um novo relacionamento vai se transformar ou não em um relacionamento de longo prazo. Os 5 itens citados acima dão um ponto de partida para avaliar se um novo relacionamento tem potencial para se transformar em um amor permanente.

Referências

Amodio, D. M., & Showers, C. J. (2005). ‘Similarity breeds liking’ revisited: the moderating role of commitment. Journal of Social and Personal Relationships, 22(6), 817-836.

Felmlee, D. H. (2001). No couple is an island: A social network perspective on dyadic stability. Social Forces, 79(4), 1259-1287.

Jonason, P. K., & Buss, D. M. (2012). Avoiding entangling commitments: Tactics for implementing a short-term mating strategy. Personality and Individual Differences, 52(5), 606-610.

Maner, J. K., Gailliot, M. T., & Miller, S. L. (2009). The implicit cognition of relationship maintenance: Inattention to attractive alternatives. Journal of Experimental Social Psychology, 45(1), 174-179.

Spielmann, S. S., MacDonald, G., Maxwell, J. A., Joel, S., Peragine, D., Muise, A., & Impett, E. A. (2013). Settling for less out of fear of being single. Journal of personality and social psychology, 105(6), 1049-1073.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913