Toda fala em público deve se basear uma mensagem que caiba em um tweet, em 140 caracteres. Será a mensagem central que o público memorizará.

Olá amigos!

Um dos fatores que mais me assombra quando penso em falar em público é a questão da quantidade de tempo. Especialmente depois que você estuda muito um assunto, você sabe que aquele conhecimento sobre o qual você deseja falar é muito vasto. Uma apresentação de quinze minutos (como o tempo estipulado em bancas de avaliação de mestrado e doutorado) ou até aulas de 4 horas, como ficamos acostumados nestas pós-graduações não raro parecem insuficientes para podermos dizer tudo o que tínhamos pensado em dizer.

O que me assombra é a diferença entre o saber que se sabe e o tempo que se tem para dizer o que se sabe. Com todos os livros que li e cursos de oratória que fiz e pelas experiências práticas, aprendi duas importantes verdades:

– o público não vai lembrar de todas as palavras que você disser. Após um dia, depois de uma semana, o mais comum é que se lembre de algumas partes… até gradualmente se recordar um pouco. Uma frase, um pensamento, uma história, uma ideia apresentada.

– a apresentação deve conter uma mensagem que seja sucinta o suficiente para se tornar clara.

Por exemplo, digamos que eu vá dar uma aula sobre história da psicologia para uma turma que está no primeiro período da faculdade. Se eu começar a falar das teorias de Wundt, Fechner, William James, Watson, Skinner, Piaget, Freud, Lacan, Melanie Kleine e mais e mais – o que você acha que vai acontecer?

No máximo, serei elogiado por saber isso tudo. Serei o típico professor que sabe, mas que não sabe passar. E esta impressão será praticamente certa e presente para todos os alunos, porque todos nós temos certa limitação em nossa memória.

Primeiro, não gravamos tudo de uma vez. Boa parte da memória é repetição. Se ouvirmos uma única vez, é provável que a memória de curto prazo não se transforme em uma memória de longo prazo.

Segundo, temos dificuldade de gravar mais do que 4 pedaços de informação por vez. Por isso, se eu falar de 20 autores em uma única aula, estarei perdendo meu tempo e o tempo dos meus alunos.

Terceiro, com tanta teoria misturada, o interesse provavelmente diminuirá, na medida em que a tendência dos nossos cérebros é buscar a economia de energia. Em outras palavras, se há muita informação em pouco espaço de tempo, teremos que reduzir o montante de informações para guardar. Se a tarefa for vista como muito grande, a tendência é que se crie o desinteresse, talvez o cansaço ou a preguiça. E, sem interesse, não há memória.

Portanto, devemos passar a nossa mensagem em uma aula, palestra, apresentação, reunião ou aonde tivermos que falar em público de uma forma sintética. Como se fosse um slogan, uma frase chavão, um provérbio. E, de novo, por dois motivos:

– porque ficará muito mais fácil para nós que estamos falando por ter certeza sobre qual é o ponto central que queremos passar adiante;

– para a plateia que poderá gravar facilmente uma mensagem curta. Uma mensagem que vai direto ao ponto e que representará um passo adiante na construção de seu conhecimento.

A mensagem de uma apresentação em um tweet

Para quem não usa o twitter, é importante saber – para a continuação do texto – que o twitter é um microblog que tem um limite de caracteres por cada mensagem. Embora mudanças tenham sido feitas na plataforma, a estrutura de mensagens curtas, de no máximo 140 caracteres, continua em voga.

Assim, para publicar uma mensagem no twitter, você tem que ser sucinto. Muito sucinto, senão a sua mensagem ficará cortada. É semelhante às antigas mensagens de celular que também tinham um limite máximo para cada envio.

Enfim, se você não tem ou usa o twitter, dê uma olhada depois. É bastante interessante. O meu twitter é felipeluiss_msn

Agora, vamos pensar juntos como montar uma apresentação cuja mensagem caiba em apenas 140 caracteres.

Digamos que eu vá falar em uma palestra sobre os sonhos para Freud. A mensagem desta palestra poderia ser:

“A interpretação dos sonhos de Freud: o sonho como realização de um desejo reprimido”.

O que vocês acham? O meu público conseguiria gravar esta curta mensagem? Acredito que sim.

E se, ao invés, eu divulgasse a mensagem da seguinte forma:

“Freud e os sonhos – condensação, deslocamento, consideração pela representabilidade e elaboração secundária, com o olhar da primeira tópica”.

Bem, apesar de que o número de caracteres é exatamente 140, a mensagem não é fácil de memorizar, pois possui uma enumeração de elementos. Não é simples, se ouvirmos uma única vez, ou mesmo 10 vezes, é provável que não conseguimos guardar até a semana seguinte. Ao contrário da frase: “o sonho é uma realização de desejo reprimido”.

Uma mensagem fácil de memorizar como um slogan

Steve Jobs se tornou uma referência em falar em público por sua grande capacidade de reunir características comportamentais impactantes, além do seu carisma. A ideia de que temos que passar uma mensagem forte para o nosso público, como um tweet, eu aprendi com o livro que já mencionei aqui em nosso curso The Presentation Secrets of Steve Jobs. 

O autor, Carmine Gallo, explica importância da mensagem central com vários exemplos. Entre eles, está o lançamento do Ipod. O que é um Ipod?

“Um aparelho que te permite levar 1.000 músicas em seu bolso”. Pronto. Aí está a mensagem que o público vai lembrar: “1.000 músicas no meu bolso”.

Se formos parar para pensar, somos constantemente bombardeados por informações. O que fará com que a sua apresentação, aula, palestra, curso, seminário se destaque no meio de um milhão de informações que os seus ouvintes entram em contato diariamente?

Uma única ideia. Um único pensamento. Uma única mensagem de twitter. Este deve ser o tema da sua apresentação. Se você tem 15 minutos ou se você tem 4 horas, não importa. Você tem que estar certo de que tem um tema definido em sua cabeça para passar para as pessoas. Frequentemente, podemos utilizar o tema que vamos abordar como o título da nossa apresentação, mas isto não é totalmente necessário. Por um ou outro motivo, pode ser que tenhamos que colocar um título que seja mais chamativo ou mais sério ou que convenha a uma dada audiência.

Porém, temos que ter clareza sobre qual mensagem vamos passar para o nosso público. E até para a nossa condução de pensamentos no meio da fala, temos que ter em mente a mensagem central. E esta deve ser suficientemente sucinta para caber em tweet, para não ser mais longa do que uma frase comprida.

Portanto, começamos com a mensagem central, em um tweet, e na próxima Lição veremos como devemos expandir esta mensagem central em 3 pontos centrais e não mais do que 3.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913