A psicologia estuda também o comportamento humano em grupos. Este conhecimento é utilizado produtivamente dentro das empresas, mas também pode ser utilizado em nosso dia-a-dia. Um sonho só é só um sonho. Um sonho junto é realidade. 

Olá amigos!

É raro encontrar quem queira fazer a faculdade de psicologia para trabalhar com psicologia organizacional, dentro das empresas. Também chamada de Recursos Humanos, esta área da psicologia é extremamente promissora e no organograma de uma grande empresa, em sua hierarquia, o gerente de Recursos Humanos encontra-se apenas abaixo do presidente, possuindo um dos cargos mais altos que se poderia galgar.

O motivo para o diretor de recursos humanos ter um cargo tão alto é simples: uma empresa é formada de pessoas. E tais pessoas são escolhidas através dos processos de recrutamento e seleção por este setor, que também decide e comanda o que deve ser feito em termos de treinamento do pessoal. Imagine uma empresa com mil funcionários. Se quinhentos forem escolhidos de forma inadequada, a empresa pode vir a fechar as portas. Na verdade, se fosse cem ou se fosse um, a falência ou o prejuízo ainda estaria arriscado de acontecer.

Por isso é um cargo tão alto e por isso é tão valorizado e por isso quem consegue atingir este posto tem que ter conhecimentos profundos de psicologia e áreas afins (administração, economia, ciências contábeis). Dizendo somente do que é principal, ousaria dizer que são dois critérios teóricos para a função:

– a pessoa certa no cargo certo;

– o clima organizacional positivo é garantia de sucesso.

O primeiro critério é que a pessoa que vai entrar na empresa tem que ter o perfil para a vaga que vai assumir. Se não for competente, se não tiver as características de personalidade, o trabalho não vai fluir. O funcionário não estará satisfeito. A empresa não produzirá o tanto que poderia produzir. A pessoa vai ser despedida e tudo significará mais custo e menos lucro.

O segundo critério, sobre o clima organizacional, a grosso modo, pode ser resumido na frase: “Sonho que se sonha só é é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade” (Raul Seixas).

Sonho que se sonha junto é realidade

Talvez fique mais simples de compreender esta frase se diminuirmos a escala e passarmos a imaginar uma empresa de duas pessoas, digamos, uma pequena empresa constituída por um casal: marido e mulher. Se o marido quer fazer uma reforma e a esposa acha que não deve ser feito, há um impasse. Se ela acha que deve comprar mais produtos, enquanto ele pensa que não é o momento de fazer estoque, há outro impasse. Se ele pensa que seria melhor contratar um funcionário para ajudar, e ela considera que ainda não há caixa, existe um outro impasse.

Ou seja, embora seja uma empresa pequena, se o clima organizacional não é positivo não há garantia de sucesso. Na verdade, é praticamente certo que a empresa não vá para frente, pois os pensamentos não estão em harmonia e, enquanto um quer ir para um lado, o outro quer ir para outro. (Curiosamente, o não compartilhamento de ideais futuras é dos principais motivos para que casamentos terminem. Por exemplo, quando ela quer um filho e ele não).

Uma empresa pode ser formada por uma única pessoa, como é o caso das empresas MEI (Microempreendedor individual) no Brasil. Porém, dificilmente uma empresa de um homem só (ou de uma mulher só) terá um faturamento expressivo, pois o limite de seu trabalho será o limite do seu tempo. Por lei, o limite de faturamento do MEI é de 60 mil por ano.

Deste modo, para uma empresa crescer ela precisa de mais gente. Saber escolher quem vai participar da empresa, quem tem o perfil adequado – ou seja, não só possui as competências básicas para a função como compartilha os ideias futuros e maiores da empresa – é fundamental para que ela seja bem sucedida. De maneira metafórica, podemos dizer que um pensamento emitido por uma pessoa tem uma força. Mas uma pensamento emitido por um grupo de pessoas, de forma consciente, é intensificado a ponto de ter tanta força que passa do pensamento e do sonho para a realidade.

Eu dei este exemplo de uma empresa familiar, com marido e mulher, mas esta verdade que um sonho que se sonha junto torna-se realidade também é válido para todo e qualquer grupo, ainda que seja um grupo pequeno ou até um grupo de duas pessoas mesmo. Pode ser um partido político, uma agremiação, uma comunidade religiosa, uma sala de aula, enfim, qualquer grupo.

Para quem ainda não viu, sugiro o filme, Die Welle, A Onda, que conta a história real de um grupo de alunos que participa de uma disciplina sobre autocracia. Utilizando determinados critérios para unir o grupo (um símbolo, um nome, uma saudação, um motivo, um inimigo, um bode-expiatório) o professor consegue reproduzir na turma a semente de um partido ditatorial. Infelizmente, o sonho pode ser realizado se for pensando ainda que seja um sonho mais para pesadelo. Ou seja, a psicologia do grupo funciona tanto para grupos de autoajuda, como é o caso do mais bem sucedido grupo deste tipo no mundo, o Alcoólicos Anônimos, AA, que vem salvando milhões de pessoas do alcoolismo ou grupos de destruição e autodestruição, mas, infelizmente, também funciona com os grupos de intolerância, ódio, racismo, discriminação.

Conclusão

Como disse no início, a psicologia organizacional possui uma forte relação com a administração. Pela definição clássica de administração temos: “Administração é a tomada de decisão sobre recursos disponíveis, trabalhando com e através de pessoas para atingir objetivos, é o gerenciamento de uma organização, levando em conta as informações fornecidas por outros profissionais e também pensando previamente as conseqüências de suas decisões. É também a ciência social que estuda e sistematiza as práticas usadas para administrar”.

Assim, a administração de uma pequena ou imensa empresa sempre acontece de forma parecida: “trabalhando com e através de pessoas para atingir objetivos”, ou seja, é impossível pensar em uma organização sem as pessoas que a compõem. Selecionar as pessoas certas para as respectivas vagas e criar um objetivo comum e um clima organizacional positivo está entre as atribuições fundamentais de um gerente de recursos humanos.

Mas esta função de criar um grupo coeso e com pensamento coletivo harmonioso e direcionado a um objetivo definido também pode ser utilizado para a criação de grupos de todos os tipos e a condução e manutenção dos pensamentos será sempre a chave a diferenciar entre o sucesso e o fracasso.

Deste modo, se você não tem ou pensa em ter uma empresa, se não quer trabalhar em uma grande empresa, você pode utilizar este conhecimento para criar um grupo que compartilhe dos seus ideais para realizar ações em uma direção esperada. De novo, um sonho só é só um sonho. Um sonho junto é realidade.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913