Entenda de uma vez por todas que não existe tempo determinado para começar a estudar. Assim, nunca é tarde para começar, nunca é tarde para aprender. Depois que você tiver aprendido, se for por um motivo real, você terá aprendido para sempre. 

Olá amigos!

Se você está lendo estas palavras, significa que você sabe ler. Se você sabe ler, significa que você aprendeu a ler. E que diferença faz se você aprendeu a ler com 4 anos, 6, 7 ou 30 anos? Quer dizer, depois que você aprende algo, não importa o tempo que você levou para aprender, nem a idade na qual você aprendeu. Você apenas sabe e este conhecimento lhe é útil.

Foi utilizando este mesmo princípio que comecei a estudar alemão. Todos dizem que o alemão é uma língua difícil. Mas dizem que o português é também uma língua difícil de aprender. Ora, eu sei ler, escrever, ouvir e falar em português! Porque eu não poderia aprender alemão? Então comecei a estudar e hoje compreendo a língua de Freud e Jung. Não comecei a aprender desde bebê, nem quando falam que é a época ideal para começar (quando criança). Comecei aos 20 anos. E atualmente esta datação não tem significado nenhum. Assim como não penso quando aprendi português, não penso quando aprendi alemão. Os dois aprendizados são úteis. E serão úteis daqui para frente.

Não sei da onde vem esta ideia de que existe uma idade ideal para aprender. Para aprender a ler. Para aprender uma língua estrangeira. Para fazer uma faculdade…

Eu entrei na faculdade com 17 e era o mais novo da minha sala. A média da sala era de 24, 25 anos. Mas também tive colegas brilhantes que tinham mais de 40. Um querido colega tinha 54 anos. Hoje, todos nós somos psicólogos. Ninguém me pergunta quando me formei. Não fico dizendo que me formei com 22 anos. Assim como o meu colega que se formou aos 59 não fica dizendo por aí que se formou aos 59. Por que? Porque isto não importa. Simples assim.

Depois que você aprende um novo conhecimento, você terá aprendido. Depois que você se forma, você terá se formado. E isto tudo independentemente da idade. A grande questão não é se é cedo ou tarde para começar a estudar, mas sim o porquê. Por que você quer aprender? O que te move?

O que te move para aprender?

Ao contrário do alemão, eu comecei a estudar inglês desde pequeno. Só que não foi por obrigação paterna. Pelo contrário, eu que insisti para começar logo. O motivo era que eu queria entender o que as pessoas diziam nos filmes. Afinal, como é possível um outro povo usar palavras diferentes para dizer a mesma coisa? Eu ficava encasquetado com isso. E esse foi um primeiro motivo. Com o tempo o prazer de aprender tornou-se um motivo por si só.

Mas este é o meu motivo! Qual é o seu? Você quer aprender uma nova habilidade para ter mais autoestima? Por exemplo, aprender a dançar para se sentir confiante? Aprender a fazer contas de cabeça para parecer mais inteligente? Aprender a ensinar alfabetização para ajudar as crianças? Aprender a fazer uma cirurgia cerebral para salvar vidas? Aprender a calcular para construir pontes?

Enfim, por que?

Segundo Simon Sinek, que escreveu o livro Porquê? Como motivar pessoas e equipes a agir, nós temos a tendência de começar a pensar o que (what), depois o como (how) e só no final pensamos o porquê (why) de realizar uma ação como aprender.

circulo-dourado-sinek

Porém, o que vai motivar uma ação no longo prazo é a razão última, o porquê. É assim que milhares de pessoas se inscrevem em cursinhos de inglês, sentam nas cadeiras por 4, 5 anos e depois saem sem saber falar nada. O problema é que elas aprenderam o que era suposto que deveriam aprender: inglês – pelo mercado de trabalho. Em seguida, aprenderam como deveriam aprender (indo ter aulas em cursinhos) mas nunca investigaram o porquê de aprender inglês, a razão última, profunda, existencial para elas aprenderem. Deste modo, fingiram que aprenderam ainda que tivessem a condição de ter aprendido de verdade.

Este tipo de situação, infelizmente, é bastante comum.

A pessoa entra na faculdade porque ouviu falar que fazer uma faculdade vai representar um salário melhor. Ouvem falar o que devem aprender (qual faculdade dá mais retorno), seja medicina ou ciências da computação, marketing ou odontologia. Descobrem que para trabalhar na área, precisam do diploma e como ter um diploma? Indo ter aulas em uma faculdade. Mas durante todo o processo muitos não sabem, não descobrem, talvez nem queiram saber o porquê de aprender. O motivo real, o motivo que fará com que uma memória de curto prazo – decorar para fazer uma prova – se torne uma memória de longo prazo.

É interessante saber que o nosso cérebro é econômico. O que importa de verdade, ele vai guardar, o que não importa, o que teve um motivo apenas para passar em uma prova, vai ser esquecido. E isto explica as pessoas que saem da faculdade com um diploma. Contudo, não conhecem nada de sua área. Por não conhecerem nada – afinal, não se lembram pois já esqueceram – é provável que o diploma seja engavetado. Em todas as profissões há concorrência e a tendência é que o mercado selecione quem sabe de verdade.

Por isso que o ideal em uma orientação profissional é começar pelos valores. Nada de errado em ter o valor de enriquecer, desde que seja um valor profundo, que vai mover a estudar e a memorizar o que foi ensinado.

Conclusão

Este texto foi uma sugestão de uma querida leitora, a Raquel. Ela me pediu que escrevesse sobre o tema “nunca é tarde para aprender”. Concordo totalmente com esta frase, até porque não existe tempo determinado para começar a aprender.

Para mim, quem diz que já está velho ou velha para estudar, está apenas dando uma desculpa (esfarrapada por sinal) para não estudar. Talvez não tenha encontrado o real motivo, o motivo que vai mover e vai dar, portanto, motivação para começar, continuar, concluir e utilizar aquele conhecimento.

Para finalizar, gostaria de fazer uma homenagem à minha mãe. Por mais de 10 anos, ela ajudou centenas, milhares de pessoas como enfermeira. Mas ela só pode estudar depois que eu já tinha uma certa idade. Era até curioso porque estudávamos no mesmo colégio. Se ela tivesse pensado que já estava velha para estudar, não teria estudado e não teria ajudado estas milhares de pessoas, simples e pobres, que em reconhecimento de sua dedicação davam pequenos presentes com o pouco que tinham. Uma vez, ela ganhou uma galinha viva em retribuição de ter tratado com todo carinho e cuidado do um ferimento de um homem da roça.

Ela, como tantas outras pessoas, não se impôs um limite arbitrário: “tenho x anos e por isso perdi meu tempo para estudar”. Na verdade, quando esta justificativa fajuta é dada, quem perde é a própria pessoa, que deixa de aprender, além da sociedade que perde um profissional, um técnico, um especialista, um conhecedor, um estudioso…

Também sugiro a leitura do texto – A idade influencia a entrar no mercado de trabalho? (Leia os comentários e veja também o vídeo)

 

Psicólogo Clínico e Online (CRP 04/25443), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Vídeos e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade). E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - (12) 3042-0336 - Whatsapp (35) 99167-3191 - Snapchat: psicologiamsn