Olá amigos!

A coerência é uma característica muito valorizada. Lembro que quando era pequeno, devia ter 3 ou 4 anos, me perguntaram qual era o meu time de futebol. Como meu avô paterno era vascaíno, disse vasco. Uns dias depois, me perguntaram novamente, e eu disse flamengo (porque todos na rua eram flamenguistas). Logo que disse flamengo, uma pessoa falou, mas antes você tinha dito vasco. É vasco ou flamengo?

Nesta lembrança, podemos ver como aprendemos desde pequenos a importância da coerência. Quem é coerente é lógico, diz e faz com nexo, com ligação, de uma forma que será esperada e mantida no futuro, como uma promessa de ser o mesmo. Lógico aqui não quer dizer ser racional, mas sim manter o princípio de identidade que diz que A é igual a A, ou seja, se eu digo que sou Flamengo, devo permanecer Flamengo. Meu time é A e deve permanecer A pelo resta da vida.

Claro que este exemplo do futebol é um exemplo sem muita importância (a não ser para quem ama o esporte). Porém, a questão de manter o princípio de identidade, de ser lógico em suas afirmações, enfim, de ser e manter-se coerente com seus dizeres tem dois lados.

É excelente porque torna as pessoas confiáveis. Se elas dizem que vão fazer, elas vão fazer. Podemos esperar a manutenção da palavra alheia, vamos saber como agir quando encontrarmos as outras pessoas porque elas tenderão a ser idênticas à última vez que as vimos.

Também é excelente porque nos permite agir com mais rapidez. Ao invés de ficar pensando em cada vez, é mais simples dizer o mesmo que sempre dissemos ou fazemos. Digamos que você vá até uma sorveteria durante um ano e experimente todos os sabores. Depois, você chega à conclusão de que o melhor sabor é o de flocos.

Se te perguntarem você dirá que é de flocos e nas próximas vezes não precisará pensar muito para escolher. Como flocos é o melhor será o escolhido. Nesse sentido, a coerência evita reflexões demoradas, perda de tempo, o cansaço da decisão.

Mas há diversos aspectos que fazem da coerência e da manutenção de um único ponto de vista, um grande problema. Neste texto, então, falarei de 3 motivos para você ser mais incoerente nas relações (amorosas e outras), no trabalho, na vida, em geral.

Motivo 1: Liberdade

A coerência, portanto, tem seu lado positivo e nos ajuda muito. Mas em muitas situações acaba sendo uma verdadeira prisão, da qual é melhor nos livrarmos logo.

Mas antes de falarmos a respeito da liberdade, gostaria de mencionar que a coerência pode apresentar graus de manutenção. Um experimento dos psicólogos sociais dos Estados Unidos facilita a explicação.

No experimento, foram criados 3 grupos de voluntários. Todos eles tinham que dizer o tamanho de uma determinada reta, sem medir, ou seja, tinham que “chutar” a medida correta.

O grupo A tinha que responder apenas dizendo em voz alta.

O grupo B tinha que escrever no quadro e depois apagar a resposta.

O grupo C tinha que escrever e assinar depois embaixo, em um papel, à caneta.

No segundo momento, os pesquisadores diziam sem exceção que as respostas estavam incorretas e que eles tinham a chance de mudar de opinião sobre as medidas. O grupo que mais mudou foi o grupo A e o grupo que menos mudou foi o grupo C.

O que isto significa?

Significa que a coerência é mantida mais se ela for pública, e, ainda mais, se ela for escrita, ou seja, se a declaração for impressa de uma forma que não possa ser apagada.

Assim, diversas empresas acabam usando este elemento a favor para vender mais, fazendo com que o cliente assine primeiro o interesse no produto ou mesmo para que assine logo o contrato de venda, pois deste modo estará menos propenso a desistir posteriormente.

Enfim, um dos motivos para não ser tão coerente é que ser coerente pode ser uma grande burrice. Se você tomou uma decisão errada no passado e hoje sofre as consequência da decisão, porque não permitir ser livre e mudar?

Um exemplo: imagine alguém que sempre sonhou em ser dentista. Disse isso publicamente para todos (o que aumenta a sua probabilidade de continuar mantendo a coerência). Porém, logo no primeiro ano, esta pessoa entende que não quer ser mais dentista.

Dizer para todos que não quer ser mais dentista significaria ser incoerente. Como vimos, a sociedade não valoriza a incoerência. Assim, para não ser incoerente, a pessoa vai ficar cinco anos na faculdade, infeliz, vai ganhar o diploma para nada, afinal, como não gosta da área, vai acabar não exercendo.

Entendem como ser coerente neste caso é uma tremenda burrice?

Manter a coerência apenas para não ser alvo da crítica do outros é bobagem. Por isso, um dos motivos para ser mais incoerente – em algumas situações – é a liberdade de tomar novas decisões.

Motivo 2: Individualidade

No exemplo acima, já podemos ver como a questão da individualidade X coletividade tem peso na hora da manutenção das decisões.

Para quem é mais jovem, pode parecer incompreensível a ideia de continuar em um casamento que não está dando certo. Contudo para quem nasceu entre as décadas de 1940 e 1960, a ideia do casamento indissolúvel era inculcada desde cedo.

Com isso, se houvesse casamento, ele seria para a vida toda. O contrato de casamento, de papel passado, público para todos verem tinha que ser mantido a todo custo. Ou seja, a opinião social, coletiva tinha mais peso do que a opinião individual.

Não estou querendo defender aqui uma ou outra postura. O que quero mostrar apenas é que a coerência, principalmente a pública, faz com que sejamos vítimas fáceis da opinião alheia. É como colocar a possibilidade de decidir nas mãos dos outros.

Assim, não só no casamento, mas em quantas situações não vamos alguém se justificar pela decisão (errada) que tomou do seguinte modo: “Mas o que vão pensar de mim?”

Motivo 3: Felicidade

Como disse acima, a coerência tem suas vantagens e desvantagens. Quando ela é utilizada pelos outros ou utilizada por nós mesmos (contra nós) ela se torna uma armadilha que não só nos tolhe a liberdade e a individualidade, mas nos impede de ser feliz.

Imagine uma pessoa que se casou aos 18 anos e, pela coerência, tem que viver o resto da vida com uma pessoa terrível, apenas porque assumiu este compromisso publicamente, apenas para manter a coerência!

Imagine alguém que continua um relacionamento porque, no fundo, disse para todos – amigos e familiares – que aquele ou aquela era a pessoa certa, para logo em seguida, descobrir o contrário e não termina agora somente porque disse para todos e não quer aparentar ser volúvel!

Imagine alguém que escolheu uma faculdade ou profissão e sente-se profundamente infeliz e não tem coragem de mudar para não ser visto como inseguro, mutável, fogo de palha, “alguém que não sabe o que quer”…!

Enfim, podemos observar diversas situações nas quais ser incoerente é muito melhor do que ser coerente. Não é a toa o grande sucesso da música de Raul Seixas: “Eu prefiro ser esta metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo…”

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913