Olá amigos!

Este post possui um sentido mais de brincadeira, mas, ao mesmo tempo, vem alertar sobre os sintomas do TOC. O TOC para quem não sabe é a sigla para o Transtorno Obsessivo-Compulsivo, também chamado na psicanálise de neurose obsessiva.

Um dos sintomas característicos do TOC é a obsessão por ordens e padrões. Quando os padrões são rompidos, há um grande incômodo e desconforto para aquelas pessoas que sofrem deste transtorno.

Não devemos classificar de antemão sem uma avaliação psicológica ou psiquiátrica. É importante salientar que qualquer sintoma (como diria Lacan, o sintoma quer dizer sinto-mal), qualquer sintoma que seja extremamente desagradável para si mesmo ou para as outras pessoas próximas, pode e deve suscitar uma avaliação mais detalhada.

Afinal, todos nós acabamos apresentando um sintoma ou outro em algum momento de nossas vidas. E é bom orientar que os sintomas podem ser tratados com psicoterapia e, em alguns casos, com psicoterapia e medicamentos.

Antes de passarmos às imagens, vamos saber mais a respeito dos Critérios Diagnósticos para o TOC?

Critérios diagnósticos para o TOC – DSM-IV

Segundo o DSM-IV, Manual de referência para psiquiatras e algumas abordagens da psicologia, temos que atentar para o fato de que:

“Embora o Transtorno da Personalidade Obsessivo-Compulsiva e o Transtorno Obsessivo-Compulsivo tenham nomes similares, as manifestações clínicas de ambos são bastante diferentes.

Transtorno da Personalidade Obsessivo-Compulsiva não se caracteriza pela presença de obsessões ou compulsões, sendo que, ao invés disso, envolve um padrão invasivo de preocupação com organização, perfeccionismo e controle e deve iniciar-se nos primeiros anos da idade adulta. Se um indivíduo manifesta sintomas tanto de Transtorno Obsessivo-Compulsivo quanto de Transtorno da Personalidade Obsessivo-Compulsiva, ambos os diagnósticos podem ser dados.

As superstições e os comportamentos repetitivos de verificação são encontrados com freqüência na vida cotidiana. Um diagnóstico de Transtorno Obsessivo-Compulsivo deve ser considerado apenas se houver um consumo de tempo considerável ou se decorrer daí um prejuízo ou sofrimento clinicamente significativos.

A. Obsessões ou compulsões: 

Obsessões, definidas por (1), (2), (3) e (4):
(1) pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes e persistentes que, em algum momento durante a perturbação, são experimentados como intrusivos e inadequados e causam acentuada ansiedade ou sofrimento
(2) os pensamentos, impulsos ou imagens não são meras preocupações excessivas com problemas da vida real
(3) a pessoa tenta ignorar ou suprimir tais pensamentos, impulsos ou imagens, ou neutralizá-los com algum outro pensamento ou ação
(4) a pessoa reconhece que os pensamentos, impulsos ou imagens obsessivas são produto de sua própria mente (não impostos a partir de fora, como na inserção de pensamentos)

Compulsões, definidas por (1) e (2)

(1) comportamentos repetitivos (por ex., lavar as mãos, organizar, verificar) ou atos mentais (por ex., orar, contar ou repetir palavras em silêncio) que a pessoa se sente compelida a executar em resposta a uma obsessão ou de acordo com regras que devem ser rigidamente aplicadas.

(2) os comportamentos ou atos mentais visam a prevenir ou reduzir o sofrimento ou evitar algum evento ou situação temida; entretanto, esses comportamentos ou atos mentais não têm uma conexão realista com o que visam a neutralizar ou evitar ou são claramente excessivos.

B. Em algum ponto durante o curso do transtorno, o indivíduo reconheceu que as obsessões ou compulsões são excessivas ou irracionais. Nota: Isso não se aplica a crianças.

C. As obsessões ou compulsões causam acentuado sofrimento, consomem tempo (tomam mais de 1 hora por dia) ou interferem significativamente na rotina, funcionamento ocupacional (ou acadêmico), atividades ou relacionamentos sociais habituais do indivíduo.

D. Se um outro transtorno do Eixo I está presente, o conteúdo das obsessões ou compulsões não está restrito a ele (por ex., preocupação com alimentos na presença de um Transtorno Alimentar; puxar os cabelos na presença de Tricotilomania; preocupação com a aparência na presença de Transtorno Dismórfico Corporal; preocupação com drogas na presença de um Transtorno por Uso de Substância; preocupação com ter uma doença grave na presença de Hipocondria; preocupação com anseios ou fantasias sexuais na presença de uma Parafilia; ruminações de culpa na presença de um Transtorno Depressivo Maior).

E. A perturbação não se deve aos efeitos fisiológicos diretos de uma substância (por ex., droga de abuso, medicamento) ou de uma condição médica geral.
Especificar se:

Com Insight Pobre: se, na maior parte do tempo durante o episódio atual, o indivíduo não reconhece que as obsessões e compulsões são excessivas ou irracionais

Enfim, obviamente, não vamos dizer que se as imagens abaixo incomodam alguém, esta pessoa terá TOC, ok? Mas deixando a parte séria do sintoma de lado, o que você sente ao ver estas imagens? Qual é a imagem mais incômoda para você? Comente!

23 imagens incômodas para quem tem TOC

enhanced-buzz-30216-1377456639-14

enhanced-buzz-3407-1377537781-8

enhanced-buzz-3545-1377456544-11

toc-17

toc-11

toc-19

toc-18

toc-16

toc-15

toc-14

toc-13

toc013

toc-12

toc12

toc-10

toc-9

toc-8

toc-6

toc-5

toc-4

toc-3

toc-2

toc-1

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913