Olá amigos!

Sempre gostei de línguas estrangeiras, pois desde criança me fascinava como um outro povo podia se comunicar utilizando outras palavras. Assim, com muita insistência, comecei cedo a fazer aulas de inglês. E, nesta língua, que mais da metade da população atualmente fala, existe esta frase: “The first thing in the morning” que significa “A primeira coisa pela manhã”.

Depois de estudar muitas coisas, em 2010 tive aulas no mestrado de Análise do Discurso, um ramo da linguística moderna que possui teorias muito interessantes. A grosso modo, podemos dizer que a Análise do Discurso incorpora o que a linguística clássica havia deixado de fora: o social. Antes, a língua era vista como um sistema, digamos, interno, fechado, com regras próprias e que poderiam ser transpostas para qualquer idioma. Agora, embora até certo ponto esta ideia continue válida, temos que notar a importância da sociedade na qual se desenvolveu o idioma e como um idioma possui milhares de idiossincrasias do povo falante.

Estou dizendo tudo isso porque a frase do título tem o sentido que traduzi: “A primeira coisa pela manhã”, mas se dissermos o mesmo aqui no Brasil – ou em qualquer dos países que falam português – não terá o sentido que tem, por exemplo, nos Estados Unidos.

Quando alguém diz lá “The first thing in the morning” quer dizer que há a pretensão de fazer algo, alguma coisa, o mais breve possível. É como um compromisso de realização, uma promessa de tirar do papel ou da palavra e realizar, tornar real, colocar em prática, concluir, terminar com o assunto.

O que você deveria colocar como primeira coisa pela manhã?

Bem, além de ser uma curiosidade linguística, esta frase é muito útil para a produtividade. Quando era pequeno, também ouvia o sábio conselho “primeiro o dever, depois o prazer”. Ao utilizar a frase inglesa, podemos fazer uso de uma ordem do dia que fará com que façamos mais, com que realizemos mais.

Imagine que você tem que fazer a atividade X e sempre está deixando para depois, deixando para depois, deixando…

Ao invés de deixar para depois (a protelação é útil para atividades negativas, como deixar para depois reclamar, fumar, brigar, etc) você pode passar a colocar esta atividade X como a primeira do dia. Se você trabalha e possui a incrível desculpa, falsa, de não ter tempo, você pode acordar um tempo mais cedo para a atividade que precisa concluir ou fazer.

Digamos que você precise se exercitar. Você pode acordar uma hora mais cedo e fazer o que você tem que fazer.

Não importa tanto o que é que você tem que colocar em primeiro lugar, o que importa é colocar como a primeira atividade do dia. Deste modo, é como se você estivesse priorizando e colocando as coisas de tal forma que você não tem escolha: se não fizer a atividade X não poderá realizar as atividades seguintes.

Alguns acréscimos a esta técnica

Além de colocar as primeiras coisas em primeiro (“first things first” é outra expressão), uma boa ideia é passar a analisar o porquê da protelação. Pense, porque você está deixando esta atividade X para depois?

Se você tem que se exercitar e não está se exercitando, qual é o motivo para não fazer?

Na maioria das vezes, veremos que deixamos para depois porque consideramos a atividade X como um desprazer. Ao considerar um dever, podemos achar que não há nenhum prazer ou não há nenhum prazer porque a própria atividade é considera sem graça, desgastante, chata, irritante. Enfim, a atividade não nos traz nenhum prazer imediato.

Para isso, temos que ressignificar, ou seja, transformar o significado da atividade, encontrando o sentido para ela, que é correto.

No caso do exercício físico, podemos imaginar desde já os benefícios da prática, como ficaremos saudável ou em forma. Vinculando sempre a imagem do benefício ao ato, poderemos transformar o desprazer em prazer. Melhor ainda se conseguirmos transformar a sensação (de leve dor muscular) em prazer.

Este é apenas um exemplo, mas podemos fazer o mesmo com outras atividades. Em suma:

– Porque você está deixando para depois?

– Porque você considera a atividade um desprazer?

– Quais serão os benefícios se você colocar em prática?

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Problemas de Relacionamentos ou Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913