Olá amigos!

A psicologia do esporte é uma das especialidades que estão disponíveis para os graduados em psicologia. Neste texto, vamos falar sobre todas as áreas de atuação do psicólogo(a) do esporte, definindo assim o que é a psicologia ligada ao esporte, tendo como base o CFP (Conselho Federal de Psicologia).

Definição de Psicologia do Esporte

De acordo com o Conselho Federal de Psicologia, o psicólogo ou psicóloga do esporte atua, estuda e trabalha nas seguintes áreas:

1) A atuação do psicólogo do esporte está voltada tanto para o esporte de alto rendimento, ajudando atletas, técnicos e comissões técnicas a fazerem uso de princípios psicológicos para alcançar um nível ótimo de saúde mental, maximizar rendimento e otimizar a performance, quanto para a identificação de princípios e padrões de comportamentos de adultos e crianças participantes de atividades físicas.

2) Estuda, identifica e compreende teorias e técnicas psicológicas que podem ser aplicadas ao contexto do esporte e do exercício físico, tanto em nível individual – o atleta ou indivíduo praticante – como grupal – equipes esportivas ou de praticantes de atividade física. Sua atuação é tanto diagnóstica, desenvolvendo e aplicando instrumentos para determinação de perfil individual e coletivo, capacidade motora e cognitiva voltada para a prática esportiva, quanto interventiva atuando diretamente na transformação de padrões de comportamento que interferem na prática da atividade física regular e/ou competitiva.

3) Realiza estudos e pesquisas individualmente ou em equipe multidisciplinar, observando o contexto da atividade esportiva competitiva e não competitiva, a fim de conhecer elementos do comportamento do atleta, comissão técnica, dirigentes e torcidas; realiza atendimentos individuais ou em grupo, empregando técnicas psicoterápicas adequadas à situação, com o intuito de preparar o desempenho da atividade do ponto de vista psicológico;

4) Elabora e participa de programas e estudos de atividades esportivas educacionais, de lazer e de reabilitação, orientando a efetivação do esporte não competitivo de caráter profilático e recreacional, para conseguir o bem-estar e qualidade de vida dos indivíduos;

5) Desenvolve ações para a melhoria planejada e sistemática das capacidades psíquicas individuais voltadas para otimizar o rendimento de atletas de alto rendimento bem como de comissões técnicas e dirigentes;

6) Participa, em equipe multidisciplinar, da preparação de estratégias de trabalho objetivando o aperfeiçoamento e ajustamento do praticante aos objetivos propostos, procedendo ao exame de suas características psicológicas;

7) Participa, juntamente com a equipe multidisciplinar, da observação e acompanhamento de atletas e equipes esportivas, visando o estudo das variáveis psicológicas que interferem no desempenho de suas atividades específicas como treinos e competições.

8) Orienta pais ou responsáveis nas questões que se referem a escolha da modalidade esportiva e a conseqüente participação em treinos e competições, bem como o desenvolvimento de uma carreira profissional, e as implicações dessa escolha no ciclo de desenvolvimento da criança.

9) Colabora para a compreensão e transformação das relações de educadores e técnicos com os alunos e atletas no processo de ensino e aprendizagem, e nas relações inter e intrapessoais que ocorrem nos ambientes esportivos.

10) Colabora para a adesão e participação aos programas de atividades físicas da população em geral ou portadora de necessidades especiais.

Conclusão

Durante a minha graduação em psicologia, estudei muito pouco sobre a psicologia do esporte. Penso que esta situação (de pouco conteúdo durante a graduação) no que diz respeito a esta área ainda é frequente no Brasil. A ausência de disciplinas específicas, de estágios ou de pesquisa na área faz com que poucos profissionais busquem se especializar e, de forma inversa, existem poucas oportunidades de trabalho.

O esporte em nosso país é pensado como um hobby, uma recreação, uma diversão. Por isso, ninguém pensaria de contratar um psicólogo do esporte junto de um personal training para melhorar sua performance. E, a partir desta informação, veremos que a psicologia do esporte está toda centrada nos esportistas de alto rendimento. Vemos psicólogos em times de futebol conhecidos, no treinamento de ginastas, nadadores, tenistas e assim por diante.

Se o esporte no Brasil não é tão valorizado e temos poucas medalhas olímpicas, logo teremos a dimensão do nicho de mercado (praticamente mínimo) para a psicologia do esporte. Claro que quem trabalha na área ou faculdades que ofereçam pós-graduação dirão que as oportunidades são boas. Provavelmente são mesmo em termos de salário e condições de trabalho, porém, até hoje não conheci um colega de profissão que trabalhe com psicologia do esporte.

Portanto, diria que é um mercado pequeno, difícil de entrar mas que pode ser extremamente promissor, tanto pela ausência de profissionais especializados como pelo investimento que é feito no esporte de alto rendimento.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913