Olá amigos!

Neste texto, gostaria de compartilhar com vocês algumas reflexões a respeito de criticar e ser criticado. Às vezes, nós mesmos nos criticamos muito, não é? A ideia é pensarmos sobre o que podemos fazer para lidar com as críticas, internas e externas.

Na PNL, Programação Neuro-linguística, nós dizemos que todo comportamento tem uma finalidade positiva, embora possa não ser um comportamento positivo ou utilizar de meios positivos em si. A crítica é um excelente exemplo disso. Se pensarmos a respeito da finalidade da crítica, veremos que ela geralmente tem uma finalidade boa, positiva, construtiva, porém pode ser feita de uma maneira negativa, destrutiva, agressiva.

Qual é a finalidade da crítica?

Quando estava no mestrado, me lembro muito de um período pouco antes das qualificações. A qualificação é o momento em que o aluno é avaliado por uma banca, cerca de 1 ano antes, de fazer a defesa da dissertação. Neste período, todos os colegas estavam um pouco preocupados como seria a qualificação, especialmente porque os professores da banca geralmente criticam o nosso trabalho. E qual é a finalidade da crítica?

Se olharmos friamente, veremos que a banca critica o aluno – na qualificação – para que ele possa reavaliar o trabalho, ver pontos que estão fracos ou podem ser melhores, mudar capítulos ou formas de abordar um determinado problema. Portanto, a crítica visa ajudar o aluno a melhorar o seu trabalho.

Este exemplo também é bom porque nos mostra que a banca está criticando a dissertação. Não é uma crítica ao aluno. Isto é importante ressaltar: saber separar o objeto da crítica do sujeito que está sendo criticado é um método já muito eficaz para não criarmos mágoas.

Digamos que você esteja aprendendo uma nova habilidade, como tocar piano ou falar inglês. Se o professor critica um erro, não está criticando a sua pessoa, mas o seu erro. E o objetivo, novamente, é para que possamos aperfeiçoar e seguir em frente.

Deste modo, podemos ver que a crítica tem uma finalidade positiva, que é a do aperfeiçoamento de um comportamento.

E quanto às críticas negativas?

Existe muita gente por ai que é realmente sem noção, rs. Ao invés de criticar de uma forma educada, critica de uma forma para ferir, para magoar, para prejudicar.

Digamos que você esteja aprendendo a dirigir. Você ainda não sabe dirigir e isto não faz de você uma pessoa burra, incapaz ou trouxa. Se o instrutor te critica desta forma, dizendo: “- Você é muito burro!” ele está criticando não o comportamento, mas a pessoa do aluno.

Em empresas é comum isto acontecer, ou seja, no ambiente profissional muitos chefes acham que esta é a forma de controlar seus funcionários, aumentar a produção, de pressionar para que o trabalho fique melhor ou mais rápido. Claro que isto é uma tremenda ignorância.

Quando recebemos críticas deste nível, temos que nos afastar e avaliar exatamente o que está acontecendo. Errar um comportamento não faz uma pessoa ser imbecil ou idiota, não é mesmo? Não devemos levar, então, este tipo de crítica como uma verdade. Como disse acima, saber separar o comportamento da pessoa é fundamental.

Dicas para lidar com as críticas

1. Avalie se existe alguma verdade a respeito da crítica. Se houver, esqueça a crítica e comece a procurar formas de você melhorar. Se não houver verdade alguma, deixe a crítica desaparecer, afinal ela é mentira.

2. Procure ver na crítica um apontamento para o seu próprio comportamento, não para a sua pessoa. Independente do fato de haver um erro, um descuido, ou uma falta, isto não muda o seu ser, a pessoa quem você é, os valores que você tem.

3. Procure, internamente, criticar a crítica. Indo um passo para trás, você pode começar a criticar a crítica recebida. O que ela tem de errado? Por exemplo, se disseram para você que o seu sotaque é ruim (em uma aula de inglês), saiba que ao redor do mundo existem muitos sotaques para a língua inglesa, como é o inglês britânico, norte-americano ou australiano. Além do sotaque do país, ainda existe o sotaque em cada região deste país. Portanto, claro, você pode melhorar o seu sotaque, mas se preocupar demais com isto é bobagem. Com isto, você estará criticando – racionalmente – a própria crítica.

4. Com críticas negativas, aquelas que não tem sentido e são apenas para ferir, procure analisar um pouco a pessoa que fez a crítica. Quem tem necessidade de criticar desta forma geralmente tem problemas. E se a pessoa tem problemas, para que você vai se importar? A melhor resposta é o silêncio, deixar as coisas para lá… afinal, uma pessoa problemática não aceitaria um argumento, um diálogo civilizado, uma troca de ideias…

5. Se você se critica com frequência, tente analisar com calma cada uma das críticas. Para que elas servem? Elas estão te protegendo de um perigo – suposto ou imaginário? Escreva em um papel cada uma delas e você poderá encontrar a razão para elas existirem. Em geral, as críticas internas visam nos proteger de dificuldades ou problemas externos. Porém, em muitos casos, causam mais dor de cabeça do que solução e podem ser mais complicadas até do que as críticas externas…

6. Lembre-se que todos os que fizeram importantes realizações foram criticados. Receber críticas, em si, não é nada demais. Se a crítica for positiva, e se ela for verdadeira, ela te ajudará. Se não for verdadeira, será apenas algumas palavras jogadas ao vento por alguém que não tem nada melhor do que fazer…

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913