Como se comportar em uma entrevista de emprego

Durante o período em que trabalhei com Recursos Humanos, a área da Psicologia que lida com empresas, fiz mais de 1.000 entrevistas e diversas dinâmicas de grupo. Com a experiência que tenho, vou dar dicas de como se comportar em uma entrevista de emprego:

Veja também – Como escrever um currículo perfeito e a Lista Completa de textos sobre Dinheiro e Profissão

Como se comportar em uma Dinâmica de Grupo

Dica 1) Seja verdadeiro

No processo de Seleção de Pessoal, nós temos basicamente 2 partes: a empresa e o candidato. A empresa ao planejar a contratação especifica que tipo de profissional deseja ter em seu quadro de funcionários. Para tanto, elabora um Perfil da Vaga. Este perfil é desconhecido do candidato, ou seja, o candidato não sabe muito sobre o que a empresa espera dele a não ser dados básicos como a função a ser desempenhada, talvez o salário e a hora de expediente.

Como o candidato não sabe tudo o que a empresa quer dele naquela vaga, a melhor estratégia é ser verdadeiro. Ser, agir e dizer como se é de verdade. Inventar características, fingir ser diferente, fazer como um ator que representa um papel nunca dará certo. 

E não dá certo porque os profissionais que fazem os processos seletivos acumulam em pouco tempo uma larga experiência e sabem logo reconhecer o que é verdade e o que é mentira. No processo total, também são aplicados testes, dinâmicas e, dependendo da complexidade da vaga, outras entrevistas. Se o candidato mente na entrevista ou mente no teste, a diferença nas duas avaliações ficará clara.

Se mentir, o candidato será desclassificado e perderá a oportunidade de emprego.

Dica 2) Conheça os seus pontos fortes e seus pontos fracos

Na medida em que são feitas muitas entrevistas em um único dia, o entrevistador geralmente não dispõe de muito tempo para se dedicar a uma pessoa. Entrevistas de 1 hora ou mais são raras. Por isso, há pouco tempo para você mostrar quem é.

Uma pergunta muito comum em entrevistas de emprego é a seguinte:

– Quais são seus pontos fortes?

– Quais são os seus pontos fracos? O que você acha que pode melhorar?

(Claro que as palavras das perguntas acima podem variar, porém o objetivo será idêntico).

E, de novo, vale a regra: seja verdadeiro e diga tudo. Não tente copiar outras pessoas, atribuindo a si mesmo características que não são suas ou que estão na moda. Na época em que trabalhava na área, era muito frequente as pessoas dizerem que eram proativas. Tudo bem, alguém pode ser proativo, mas ouvir isto milhares de vezes é sinal de que há uma cópia, um ouvir falar e repetir…

Tente levantar a respeito de si mesmo, 5 características positivas e 5 negativas. Não fique com medo de mostrar o que você ainda está trabalhando para melhorar.

Sempre me lembro de um vaga em que foi a característica negativa que fez com que a candidata fosse contratada. Um de seus pontos fracos era ser brava. Ser brava era justamente o que a empresa estava esperando de um funcionário para a função. E pronto, quando ela disse, eles acharam!

Como disse acima, o candidato não sabe o que a empresa espera dela, em termos do perfil profissional. E ser verdadeiro e conhecer-se é  a melhor forma para se conduzir em uma entrevista.

Agora, vamos supor que uma pessoa vá até uma entrevista e faça o processo seletivo (testes, dinâmicas de grupo) mentindo. E, apesar de ser muito improvável, consiga convencer o profissional da seleção e a empresa como um todo. Até quanto tempo esta pessoa conseguirá manter a mentira?

Por exemplo, se diz ser extrovertida e, no fim das contas, não é. Quanto tempo ela conseguirá manter o que não é? Sabemos que pouquíssimo tempo. Com isto, a pessoa estará perdendo o próprio tempo e  o tempo da empresa, além de – se caso consiga mentir e não ser pega – estará tirando a vaga de outra pessoa qualificada.

Dica 3) Imagine que você já conseguiu a vaga

É comum quando fazemos algum tipo de avaliação, ficarmos nervosos ou ansiosos. Isto acontece no vestibular, em concursos públicos e também em entrevistas de emprego. Ao sermos avaliados, ficamos pensando o que pode acontecer, qual será o resultado, se iremos bem ou mal, etc.

O jeito, então, é pensar positivo.

Imagine com todos os detalhes que você já conseguiu a vaga, que já está dentro da empresa e que a entrevista é só um detalhe a mais. Como quando somos contratados e passamos pelo exame médico – na maior parte das vezes apenas uma formalidade.

Ao se imaginar trabalhando, dentro da empresa, você ficará mais autoconfiante e conseguirá dizer e se expressar com mais firmeza.

Caso você apresente muito nervosismo ou ansiedade, pode ser interessante procurar a ajuda de um psicólogo ou psicóloga.

Dica 4) Se não for contratado

Claro que pode acontecer de você não ser selecionado para a vaga. E a recusa da empresa pode ter diversos significados.

Primeiro, como você não sabia direito o que a empresa queria, fica claro que a empresa não queria um perfil como você tem. E isto não é ruim. Se o processo seletivo foi feito com eficiência, a pessoa que conseguiu a vaga conseguirá desempenhar as funções melhor e será mais bem sucedida, pois tem um perfil diferente.

Segundo, a recusa da empresa pode se dar pelo fato de você ter um perfil “superior” à vaga. Geralmente, quando a pessoa não é selecionada pensa o pior. Pensa que não é competente, que não serve para nada, que não conseguirá a recolocação, etc. Porém, é muito frequente o inverso. Em diversas seleções, há currículos e experiências profissionais que estão além do que a empresa pediu.

Por exemplo, um gerente de banco não poderá ser caixa. Um líder não poderá ser o último subordinado. Quer dizer, o perfil profissional que a pessoa tem hoje é superior ao que a vaga exige. Óbvio que dei exemplos muito discrepantes. Mas realmente acontece o fato de o candidato ser recusado por possuir a mais e não a menos.

A dica se você não foi contratado é usar a experiência adquirida e seguir em frente. Tentar outras vagas e outras empresas, seguindo as dicas anteriores:

1) Seja verdadeiro; 2) conheça seus pontos fortes e fracos; 3) Seja positivo e pense que já está contratado!

Veja também – Entrevista de Emprego – A Importância da Postura Corporal

Quer saber ainda mais?

Assista ao Curso completo com o Psicólogo Felipe de Souza

No Curso Completo, com 1 hora e 12 minutos, conto todos os detalhes de como se comportar em uma entrevista de emprego, com diversos exemplos advindos da minha ampla experiência na área e dou dicas aprofundadas utilizando o Modelo Cognitivo da Psicologia Cognitiva!

Compre agora mesmo, clicando – Curso Como se comportar em uma entrevista de emprego !

entrevista-emprego-vaga-candidato-selecao

 

Psicólogo Clínico e Online (CRP 04/25443), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - psicologiamsn@gmail.com - Snapchat: psicologiamsn - Whatsapp (35) 99167-3191