É frequente a dúvida sobre a escolha da abordagem teórica na psicologia. Como qualquer escolha, podemos escolher por impulso ou de maneira consciente e com reflexão. O objetivo deste texto é ajudar na escolha deste último tipo. Para tanto, facilita se fizermos uma analogia. Imagine por alguns momentos que o seu celular estragou e você precisa comprar um novo. Como escolher o melhor?

Um estratégia é perguntar para os amigos qual celular eles recomendam e porque. Outra possibilidade é pesquisar a fundo as especificações técnicas ou então escolher pelo status (o mais caro) ou o pela comodidade (o mais barato, fácil ou acessível).

Porém, como sabemos, existe o paradoxo da escolha: quanto mais opções, mais difícil fica de escolher. Sei que analogia é apenas uma analogia, mas, como uma imagem, pode nos ajudar a explicar esse processo de escolha.

Muitos estudantes de psicologia sentem que existe um fundo de verdade em cada teoria e por isso não conseguem decidir. Outros acabam tendo empatia pelos professores e a cada período defendem uma abordagem. Enquanto outros, ainda, vão pela concordância com o grupo de amigos mais próximo.

Como escolher?

Na medida em que estamos falando aqui de teorias, portanto de pensamentos, penso que o ideal é conhecer pelo menos o básico de cada movimento. E como nem sempre temos nas faculdades professores de cada abordagem, o jeito mais fácil é procurar pelos principais livros dos principais autores. Especialmente aqueles que começaram a desenvolver cada teoria.

Se traçarmos a distinção em 3 grandes forças, teríamos Freud na psicanálise, Skinner na psicologia comportamental e Rogers na psicologia humanista (ou Maslow). Essa divisão é meramente didática mas ajuda a separar em grandes grupos. A psicanálise trabalha com o conceito fundamental de inconsciente, a psicologia comportamental com o comportamento e a humanista com aceitação e autorrealização.

Assim, podemos escolher talvez As Conferências Introdutórias de Freud, Sobre o behaviorismo de Skinner e Tornar-se Pessoa, de Rogers.

A ideia é ler com calma cada um destes livros – também existem outros deles igualmente interessantes – para captar o essencial e ver o que diferencia uma abordagem da outra.

Conheça também –

Curso Interpretação dos Sonhos 

Evidentemente, ainda com essa distinção a grosso modo de 3 grandes forças, podemos expandir para outros autores dentro de cada uma:

1) Psicanálise: Jung, Adler, Lacan, Klein, Bion –

(Ebook Curso de Psicanálise e Ebook Curso de Psicologia Analítica de Jung)

2) Comportamental: Watson, Pavlov, Thorndike, Aaron e Judith Beck (cognitiva) e até a terceira onda de Mindfulness

Curso Comportamento Verbal e Curso Psicologia da Educação Skinner

Curso Psicologia Cognitiva da Depressão e Psicologia Cognitiva da Ansiedade

3) Humanista (e existencial e fenomenologia) – Maslow, Sartre, Heidegger até a psicologia positiva

Uma questão a se pensar é que um autor “puxa” outro e, em nossos estudos, é fácil tender a voltar até Platão. Por isso, uma recomendação que aprendi com o grande Gaiarsa foi pegar um destes autores por ano. Por exemplo, pegar esse ano as obras de Skinner, ano que vem de Rogers, etc.

Um autor por ano

Um ano é um tempo razoável e dá pra estudar mais do que uma obra. Também tem a vantagem de conduzirmos nós mesmos os nossos estudos e podemos “dialogar” com os textos, independente da ideia dos professores ou colegas.

Esses dias vi uma brincadeira em uma fanpage de psicologia, que dizia:
– “E os livros de Freud?”
– Nem li.

E todos davam risada. Em minha opinião, esse tipo de preconceito com outras abordagens é incrivelmente tolo e contraproducente. Até comentei que Skinner leu Freud, como também leu Jung. (A página era da abordagem comportamental).

Conclusão

Depois de ler pelo menos um pouco de cada abordagem, teremos condições de escolher com mais consciência e reflexão. Saberemos os motivos de concordar e discordar e saberemos também o que podemos chamar de afinidade. Cada um de nós terá certamente mais afinidade com uma forma de pensamento. O X da questão é que não há como descobrir por ouvir dizer. Quando uma outra pessoa ou professor explica uma teoria é como uma citação indireta, bem como uma seleção de trechos. Nada melhor que conhecer em primeira mão (por isso também é melhor o autor criador do que um comentador, um livro introdutório).

Voltando à analogia do celular, seria como se ficássemos com um celular por um ano. É uma experiência direta. Você vai saber como é, como funciona, o que poderia ser talvez melhor, etc.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913