Se sentindo paralisado ou sem motivação? Conheça a melhor técnica para superar as resistências internas e realizar mais!

Olá amigos!

Estou lendo um livro muito interessante e gostaria de compartilhar com vocês algumas ideias. O livro se chama Mini-hábitos: hábitos menores, maiores resultadosde Stephen Guise. A ideia central do livro é que devemos abandonar os projetos grandiosos e ambiciosos demais e aprender com o famoso lema de Lao Tsé: “Uma longa viagem começa com um único passo”.

Mini-hábitos X Grandes intenções

Sabe aqueles projetos, compromissos e promessas de final de ano que todos fazemos? Bem, as estatísticas indicam que apenas 8% serão realizadas. Isso indica que não basta ter boas intenções e pensar grande. Na verdade, tudo indica que o contrário é que é verdadeiro: pensar grande cria desmotivação e não motivação e concretização.

Um exemplo meu: o nosso site Psicologia MSN tem mais de 1.100 textos! O que equivale a 3 livros relativamente grandes. Se, quando comecei o site, ainda como um blog, eu tivesse em mente que escreveria tanto, isso me pareceria distante e quase impraticável. Felizmente, ao menos no que tange à escrita, eu sempre tive um lema parecido com o de Guise: escrever um pouco por dia. Escrever um texto de 1.000 palavras, mais ou menos uma página e meia do Word, era desde o começo a ideia central.

E, como diz o ditado, de grão em grão a galinha enche o papo. Então, vemos que é importante ter confiança de que os nosso projetos e ideias darão certo. Mas se pensarmos em passos que estão ainda muito distantes, não daremos o primeiro.

Um exemplo, talvez mais fácil de visualizar, é do próprio Guise. Ele menciona que gostaria de começar a se exercitar, frequentar uma academia, emagrecer e ter uma rotina constante de atividade física. Porém, quando ele pensava em fazer 50 flexões e 100 abdominais, ele paralisava ou deixava para depois.

Até que um dia, fazendo um exercício de criatividade no qual procuramos pensar o contrário do que estamos pensando, ele refletiu: “se fazer 50 flexões parece para mim que eu estaria subindo o monte Everest, e se eu pensar diferente? O que seria diferente de fazer 50 flexões?”

O insight que ele teve foi: “vou fazer apenas uma única flexão. Fazer uma única flexão é fácil. Eu posso fazer isso. Eu consigo. Para uma única flexão não existe resistência”.

E foi o que ele fez. E, a partir daí, ele começou a notar a força dos mini-hábitos.

O conceito de mini-hábitos

Fazer uma única flexão. Escrever um único texto. Ler duas páginas de um livro. Comer agora um pouco mais de salada. Meditar por cinco minutos.

Veja também – Sem tempo para praticar Mindfulness? Tem 1 minuto?

O que há de comum em todas estas ações – note bem: ações e não intenções – é que são ações praticáveis, fáceis, realizáveis aqui e agora e que não provocam resistência, ou, se provocam, não se trata de uma resistência significativa.

Guise dá um outro exemplo muito interessante. Faça o seguinte: coloque a sua mão agora no nariz. Faça isso. Não precisa pensar. Só coloque a mão no nariz e pronto.

Fez?

Colocar a mão no nariz é um ato simples. Não precisamos pensar muito. Não é grandioso. É até banal. A ideia de um mini-hábito é justamente essa. Uma pessoa que está resistindo de ir à academia e ficar uma hora, uma hora e meia, treinando imagina que tudo aquilo será desgastante, estressante, chato ou até muito complicado ou sem atrativos.

Agora, uma única flexão? Um único abdominal?

Bem, assim como colocar a mão no nariz, estes atos, estes comportamentos são simples. Fáceis. Banais. Podemos fazer e podemos fazer agora.

A ideia é que ao fazer uma única flexão poderemos fazer mais uma. Talvez mais uma ainda. Talvez mais sete ou dez. E ao fazer, estaremos deixando de lado os pensamentos grandiosos, os grandes planos e estaremos entrando na prática.

Pode ser que seja dolorido. Pode ser desconfortável. Mas estaremos superando toda e qualquer resistência se colocarmos em prática um mini-hábito.

Voltando ao exemplo da escrita, eu aprendi algo parecido com sessões de Coaching e psicologia cognitivo-comportamental. Quando pensava que teria que escrever mais 100 páginas da minha tese de doutorado eu paralisava. Protelava. Ficava me culpando por ter protelado e protelava mais. Então, assim como faço no site, comecei a estabelecer pequenas metas por dia.

Ler cinco páginas do livro que precisava ler. Escrever um parágrafo ou uma página. E pronto. Em dias em que me sentia mais motivado, extrapolava. Escrevia duas ou três páginas. Em dias que não me sentia tão motivado, de toda forma, treinava escrever o mínimo que fosse, mas escrevia.

Guise menciona que na maior parte dos dias, quando ele começou a treinar com o mini-hábito de uma única flexão, ele fazia mais de uma flexão. Às vezes chegava a fazer cinquenta. Em dias que não se sentia tão motivado, de toda forma, fazia uma única flexão.

Como sabemos, um hábito é apenas e tão somente um ato repetido muitas vezes. O que tem que ficar claro é que intenções, planos, projetos não bastam. Melhor um único comportamento do que nada. Um único comportamento já é um primeiro passo. Lembrando: “uma longa viagem começa com um único passo”.

Portanto, pense no primeiro passo que você pode dar hoje: enviar aquele email? Fazer aquela ligação? Mandar a proposta? Enfim, o que você pode fazer agora?

Qual é sua primeira flexão para atingir o que você quer daqui pra frente?

Dúvidas, sugestões, comentários, por favor, escreva abaixo.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913