“Os subtipos de esquizofrenia do DSM-IV foram eliminados devido a sua estabilidade diagnóstica limitada, baixa confiabilidade e pouca validade. Em vez disso, é inclusa uma abordagem dimensional para classificar a gravidade dos sintomas centrais da esquizofrenia”

Olá amigos!

A pedido da nossa querida leitora Beth, escrevo hoje sobre esquizofrenia paranoide. Segundo o DSM-5, “o espectro da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos inclui esquizofrenia, outros transtornos psicóticos e transtorno (da personalidade) esquizotípica. Esses transtornos são definidos por anormalidades em um ou mais dos cinco domínios a seguir: delírios, alucinações, pensamento (discurso) desorganizado, comportamento motor grosseiramente desorganizado ou anormal (incluindo catatonia) e sintomas negativos” (DSM-5, p. 87).

Nesta nova versão do DSM-5 não encontramos um diagnóstico chamado de Esquizofrenia Paranoide. Encontramos, entretanto, o Transtorno Delirante, tipo persecutório. Vejamos primeiro este Transtorno no DSM-5 e falemos mais abaixo sobre a definição anterior do DSM-IV e porque houve a mudança.

Faça o nosso Curso DSM-5: Introdução e Principais Modificações do DSM-IV (Promoção por tempo limitado!)

Transtorno Delirante

A. A presença de um delírio (ou mais) com duração de um mês ou mais.

B. O critério A para esquizofrenia foi atendido. Nota: alucinações, quando presentes, não são proeminentes e têm relação com o tema do delírio (p. ex, a sensação de estar infestado de insetos associada a delírios de infestação).

C. Exceto pelo impacto do(s) delírio(s) ou de seus desdobramentos, o funcionamento não está acentuadamente prejudicado e o comportamento não é claramente bizarro ou esquisito.

D. Se episódios maníacos ou depressivos ocorreram, eles foram breves em comparação com a duração dos períodos delirantes.

E. A perturbação não é atribuível aos efeitos fisiológicos de uma substância ou a outra condição médica, não sendo mais bem explicada por outro transtorno mental, como transtorno dismórfico corporal ou transtorno obsessivo-compulsivo.

Determinar o subtipo:

Tipo persecutório: Esse subtipo aplica-se quando o tema central do delírio envolve a crença de que o próprio indivíduo está sendo vítima de conspiração, enganado, espionado, perseguido, envenenado ou drogado, difamado maliciosamente, assediado ou obstruído na busca de objetivos de longo prazo. (DSM-5, p. 90)

Além deste subtipo, encontramos os subtipos: érotomaníàco, grandioso, ciumento, somático, misto, não especificado.

“No delírio persecutório… pequenas descortesias podem ser exageradas, tornando-se foco de um sistema delirante. O indivíduo afetado pode se envolver em tentativas repetidas de conseguir satisfação por alguma ação legal ou legislativa. Pessoas com delírios persecutórios costuma ser ressentidas e enraivecidas, podendo até recorrer à violência contra aqueles que, em sua opinião, lhe causam danos” (DSM-5, p. 92)

Esquizofrenia Paranoide

Na versão anterior do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da APA (Associação Psiquiátrica Americana), o DSM-4, ainda encontramos a definição de esquizofrenia paranoide.

F20 – ESQUIZOFRENIA

A. Sintomas Característicos: Pelo menos dois dos seguintes, cada um presente por um espaço significativo de tempo durante um período de um mês (ou menos, caso tratado com êxito):
(1) delírios
(2) alucinações
(3) fala desorganizada (ex., descarrilhamento freqüente ou incoerência)
(4) comportamento totalmente desorganizado ou catatônico
(5) sintomas negativos, ou seja, embotamento afetivo, alogia ou avolição

(Nota: apenas um sintoma A é necessário se os delírios são bizarros ou as alucinações consistem de uma voz mantendo um comentário sobre o comportamento ou pensamentos da pessoa ou duas ou mais vozes conversando entre si).

B. Disfunção Ocupacional/Social: Durante um espaço significativo de tempo, desde o início do distúrbio, uma ou mais áreas principais de funcionamento como trabalho, relações interpessoais ou auto-cuidado encontram-se significativamente abaixo do nível atingido antes do início (ou quando o início ocorre na infância ou na adolescência, fracasso em atingir o nível esperado de desempenho interpessoal, acadêmico ou ocupacional).

C. Duração: Sinais contínuos do distúrbio persistem no mínimo durante seis meses. Este período de seis meses deve incluir pelo menos um mês com os sintomas que satisfazem o critério A (ou seja, sintomas da fase ativa) e podem incluir períodos prodrômicos e/ou residuais quando o critério A não é plenamente satisfeito. Durante esses períodos, os sinais do distúrbio podem ser manifestados por sintomas negativos ou por dois ou mais sintomas listados no critério A presentes em uma forma atenuada (ex., a duração total dos períodos ativo e residual).

D. Distúrbio esquizoafetivo e Distúrbio de Humor com Características Psicóticas foram descartados devido a: (1) nenhum episódio significativo depressivo ou maníaco ocorreu simultaneamente com os sintomas da fase ativa; ou (2) se episódios de humor ocorreram durante o episódio psicótico, sua duração total foi breve em relação à duração do episódio psicótico (ou seja, à duração total dos períodos ativo e residual).

E. Exclusão de Substância/Condição clínica geral: O distúrbio não é devido a efeitos fisiológicos diretos de uma substância (ex., uma droga de abuso, uma medicação) ou uma condição clínica geral.

F. Relacionamento a um Distúrbio Global do Desenvolvimento: Se há uma história de Distúrbio Autístico ou um Distúrbio Global do Desenvolvimento, o diagnóstico adicional de Esquizofrenia é estabelecido apenas se delírios ou alucinações proeminentes também encontram-se presentes durante pelo menos um mês (ou menos, caso o tratamento tenha êxito).

Tipo Paranóide

Um tipo de esquizofrenia no qual os critérios a seguir são preenchidos:

A. Preocupação com um ou mais delírios ou alucinações auditivas freqüentes.

B. Nenhum dos seguintes é proeminente: fala desorganizada, comportamento desorganizado ou catatônico ou afeto embotado ou inapropriado.

Por que esquizofrenia paranoide foi retirado do DSM-5?

O tipo ou subtipo paranoide, dentro da esquizofrenia (junto dos outros, desorganizado, catatônico, indiferenciado, residual) foi modificado na nova versão publicada em 2013 pela inconsistência diferencial.

“Os subtipos de esquizofrenia do DSM-IV foram eliminados devido a sua estabilidade diagnóstica limitada, baixa confiabilidade e pouca validade. Em vez disso, é inclusa uma abordagem dimensional para classificar a gravidade dos sintomas centrais da esquizofrenia na Seção III do DSM-5 para capturar a heterogeneidade no tipo de sintoma e gravidade que se manifesta entre os indivíduos com transtornos psicóticos” (DSM-5, p. 810).

Portanto, os subtipos foram retirados como estavam no DSM-IV, o que exclui portanto a designação esquizofrenia paranoide como um diagnóstico possível. O mais próximo, dada as características típicas da paranoia, me parece ser o transtorno delirante tipo persecutório. Esta similitude nos parece correta devido à definição clássica de paranoia.

O que é paranoia?

Segundo o National Institute of Mental Health:

Paranóia é um termo utilizado por especialistas em saúde metal para descrever desconfiança ou suspeita altamente exagerada ou injustificada. A palavra é freqüentemente utilizada na conversação cotidiana, em geral em momentos de rancor e de forma incorreta. Simples desconfiança não é paranóia – especialmente se fundamentada em experiência passada ou em expectativas baseadas na experiência alheia.

A paranóia pode ser discreta e a pessoa afetada ser razoavelmente bem ajustada socialmente ou pode ser tão grave que o indivíduo se tora incapacitado. Às vezes o diagnóstico é difícil, já que muitos distúrbios psiquiátricos são acompanhados de alguma característica paranóide. As paranóias podem ser classificadas em três categorias principais: distúrbio paranóide de personalidade, distúrbio delirante paranóide e esquizofrenia paranóide.

Dúvidas, sugestões, comentários, por favor, escrevam abaixo.

Faça o nosso Curso DSM-5: Introdução e Principais Modificações do DSM-IV (Promoção por tempo limitado!)

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913