Enquanto a tabela do CFP diz que o valor mínimo de uma psicoterapia deveria ser de 80 reais, os planos de saúde chegam a pagar menos de 20 reais. 

Olá amigos!

Há um tempo atrás eu escrevi o texto – Por que os psicólogos ganham tão mal? – e uma querida leitora abordou a questão dos planos de saúde, que não havia sido tratada no texto. A fim de abrir a discussão, vou então colocar alguns pontos para que os profissionais que desejam possam concordar ou discordar nos comentários e para quem, por ventura, estiver querendo cursar psicologia saiba também de uma das facetadas da nossa realidade atual.

Piso salarial

Em nossa área, na psicologia, não existe um piso salarial. Para a área da psicologia clínica, mesmo que houvesse um piso, seria um pouco sem sentido, pois o serviço de atendimento psicológico é geralmente um serviço ao consumidor final (o que, em inglês, se denomina b2c – business to consumer) e não um serviço a uma empresa (b2b, business to business).

Portanto, como os pacientes ou clientes são os indivíduos que vão contratar o serviço, o pagamento recebido não será integral, de uma vez, como um contracheque quando trabalhamos em uma empresa. Por isso que digo que para a psicologia clínica, geralmente, a questão do piso salarial seria praticamente irrelevante.

Tabela de honorários (2013)

O que muita gente não sabe é que existe uma tabela de honorários criada pelo CFP (Conselho Federal de Psicologia). Nesta tabela, existe um valor mínimo, um valor médio e um valor máximo a ser cobrado por cada serviço.

Tabela-Honorários-Psicólogos-2013-CFP-FENAPSI-723x1024Para a psicoterapia individual, que é o trabalho mais comum da psicologia clínica no consultório, nós temos:

Valor mínimo: R$ 81,62

Valor médio: R$118,18

Valor máximo: R$139,93

Curioso como o mercado não acompanha essa tabela. Por um lado, é muito fácil ver que o limite inferior não é seguido, mas o limite superior também não. Muitos profissionais cobram bem mais por uma única consulta.

Planos de saúde e psicologia

O meu argumento no outro texto – Por que os psicólogos ganham tão mal? – é de que a psicologia não está fora do sistema econômico no qual vivemos. Não é um argumento sem sentido, pelo que me parece… então, se é verdade que a psicologia está inserida em nosso sistema capitalista, a prática profissional será o oferecimento de um produto (como um livro, um teste psicológico, um curso ou uma palestra em dvd, etc) ou um serviço (uma avaliação psicológica, a aplicação de um teste, recrutamento, seleção, clínica, etc).

E, por regras simples da economia, da economia mais básica, podemos entender como os preços variam de acordo com a demanda de pessoas querendo o produto ou serviço e de profissionais ofertando o produto ou serviço.

Alguns exemplos:

O livro Comportamento Verbal, de B. F. Skinner encontra-se esgotado. Portanto, existe uma baixa oferta deste produto. Resultado: quem está vendendo nos sebos está vendendo pelo triplo do preço de um livro novo! Afinal, a demanda existe, mas a oferta praticamente não.

Um outro livro de Skinner que não estiver esgotado não será vendido com o valor tão alto, é claro. Na verdade, o padrão é que seja vendido mais ou menos pela metade do preço do novo.

Um palestrante conhecido nacionalmente pode cobrar, por exemplo, 15 mil reais por uma palestra. Para ele, existe muita demanda, ou seja, muitas faculdades, cursos, empresas procurando pelo seu serviço. E como ele é um só, o seu tempo será limitado. Portanto, a oferta será limitada. Com isso, o valor sobe e inclusive ele pode chegar a recusar a oferta de 15 mil para receber um valor maior.

A mesma simples equação pode ser colocada na questão dos planos de saúde. Um plano de saúde, em tese, seria benéfico para todos:

– usuários (que pagam um valor mensal e tem acesso a diversos profissionais);

– profissionais (que aumentam a sua base de pacientes – clientes);

– plano de saúde (que ao unir usuários e profissionais fica com a diferença).

Entretanto, esse intermediário, que é o plano de saúde, fará de tudo para reduzir os custos e aumentar os lucros. Óbvio pois toda empresa visa o lucro. Para reduzir os custos, pagará valores baixos para os profissionais e para aumentar os lucros aumenta o pagamento mensal do usuário.

Com isso, o usuário reclama do valor mensal que paga e o profissional do valor que recebe pelo seu trabalho.

Tomando por base a tabela de honorários do CFP, é fácil ver como os planos de saúde (mesmo os do governo, como o plano de saúde da Polícia Militar, por exemplo) estão muito longe do mínimo sugerido. Se o mínimo sugerido é 81,62 reais, o que o profissional recebe fica entre 15 a 25 reais. Já ouvi que alguns planos em São Paulo pagam para profissionais de saúde – não só psicólogos – algo como 8 reais por atendimento.

Vantagens e desvantagens do plano de saúde para os profissionais

Então surge a questão se é uma vantagem ou não estar ligado a um plano de saúde. E, para dizer sobre o valor de algo, evidentemente, temos que fazer um julgamento de valor. E, na medida em que cada pessoa tem um valor e uma perspectiva, cada um vai acabar avaliando se vale ou não a pena ter pacientes ou clientes advindos dos planos de saúde.

A vantagem, em tese, seria ter acesso a um número maior de pacientes ou clientes. Ou seja, ter o consultório cheio e, assim, ganhar “na quantidade”.

Digamos que o valor oferecido por um certo plano de saúde seja de 20 reais por sessão (já deduzidos os descontos e impostos). Se a sessão for de 1 hora, teríamos que em um dia, com 10 pacientes, o profissional ganharia 200 reais. Em 20 dias trabalhados, ganharia 4.000 reais.

Estes números são hipotéticos, para deixar claro.

Mas o que parece trazer insatisfação é a dificuldade de atender 10 pacientes por dia. Certamente, não é um trabalho pouco exigente. É preciso estudar muito e, além disso, ter bastante equilíbrio para lidar com todos os casos.

A insatisfação também vem da comparação com outras faixas salariais, na psicologia e em outras áreas.

Conclusão

Bem, como disse no início, gostaria de abrir a discussão. Coloquei alguns dados específicos e algumas opiniões próprias.

Em minha vida profissional, já trabalhei com planos de saúde que pagavam 25 reais por sessão (15 reais no final com os descontos). A questão que surge é sobre o objetivo do profissional. Eu, particularmente, penso que a área da saúde envolve algo mais além do dinheiro. Melhor dizendo, não trabalhamos apenas pelo dinheiro.

Em alguns textos aqui, mencionei como professores brilhantes que tive atendiam por preços sociais (10 reais por sessão) aqueles que não podiam pagar. Lacan, por exemplo, chegava a não cobrar daqueles que não podiam, mas queriam de verdade fazer análise. Depois, quando voltavam a ter condições, pagavam um valor simbólico.

Mas, claro, o profissional precisa pagar as suas contas e ter a sua vida. Por isso, a questão continua em aberto. Não existe muita esperança no curto prazo de que a lei de um piso salarial para a nossa categoria passe (estaria por volta de 4 mil reais o piso, o mínimo). Por outro lado, para a psicologia clínica, como disse, ter um piso não seria uma garantia de ganhar o piso, porque o pagamento é feito individualmente.

Uma outra questão é sobre a tabela de honorários não funcionar na prática. E não funciona porque os profissionais que precisam vão aceitar os valores oferecidos pelos planos de saúde que são menores, ou por precisarem ou porque querem ajudar os pacientes.

De toda forma, parece haver um descompasso e uma distância entre os psicólogos e seu Conselho, bem como entre o Conselho e a realidade do mercado.

Dúvidas, sugestões, comentários, por favor, escreva abaixo!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913