Olá amigos!

É muito interessante como em um determinado período, a mesma questão e a mesma pegunta podem aparecer e reaparecer com tanta frequência. Nas redes sociais e por email, tenho visto esta dúvida a respeito dos salários base da psicologia, bem como críticas de psicólogos ao Conselho Federal de Psicologia, em virtude de este (até o momento) não ter conseguido aprovar nenhuma Lei que fixe um valor mínimo para os psicólogos trabalharem.

Neste texto, vou comentar com vocês a respeito desta relação entre se formar em psicologia e ganhar dinheiro. O título expressa um sentimento de muitos profissionais sobre o que consideram baixos salários, depois de ter ficado estudando 5 anos ou mais. Também procura dar uma resposta para quem está pensando em fazer psicologia e ouve de parentes ou amigos que psicologia não dá dinheiro, e que é melhor fazer outra coisa.

Veja também – Mercado de trabalho – Psicologia

Salário Médio Psicologia

Antes de falarmos sobre Leis e Regulamentações sobre o trabalho e o salário, é útil visualizarmos como está a faixa salarial para os psicólogos atualmente. Para fins didáticos e para ficar mais claro, podemos dividir o salário em 3 camadas:

Salário inicial – R$ 1,2 mil a R$ 1,7 mil.

Salário intermediário –  R$ 2 mil a R$ 5 mil.

Salário sênior – R$ 5 mil a R$ 20 mil.

Eu conheço diversos profissionais da psicologia que estão na faixa superior (de 5 a 20 mil). Mas, pela minha experiência, diria que a grande maioria está situada no salário intermediário, por volta de 2.000 reais. Para uma cidade pequena, o salário de 2 a 3 mil reais por mês, digamos, é um salário razoável. Pensando já em cidades grandes, como as metrópoles, muitas vezes torna-se insuficiente para viver com qualidade.

Necessidade de um salário base

Existe um Projeto de Lei (desde 2009) que quer fixar um piso salarial para os profissionais formados em psicologia, PL 5440/2009, de autoria de Mauro Nazif. O argumento do deputado é que os baixos salários na área da saúde são um problema sério e que deve ser sanado com uma lei que disponha do piso salarial. Até hoje não houve uma conclusão na aprovação desta lei. Detalhe, o salário fixado, já em 2009 como salário base ou piso salarial para os psicólogos seria de R$ 4.650.

Veja a petição no Avaaz pela aprovação da PL5440/2009. Se você puder votar também estará contribuindo! (Não custa nada e leva menos de 10 segundos).

Outra lei relacionada é que limita o número de horas trabalhadas por semana em no máximo 30 horas, a PL 3338/2008, que está mais adiantada e praticamente certa de ser aprovada. De acordo com as últimas notícias (15/07/2014), a lei já está aprovada na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados, e na Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ) da Casa. Agora, irá para a sanção da presidente Dilma Rousseff.

O que podemos concluir a partir destas duas leis é que os salários dos psicólogos são inferiores a 4.650 reais por mês e que os psicólogos trabalham mais do que 30 horas semanais. Conclusões óbvias, é claro, mas atestam que as horas de trabalho são elevadas, com salários que são, em média, inferiores, a 6 salários mínimos.

As duas leis, em minha opinião, são necessárias. A primeira sobre o salário base pois é muito comum vermos situações em que o poder público, seja municipal ou estadual, abre editais de concursos com salários ridículos, como 1 salário mínimo para trabalhar 40 horas.

Se houvesse um salário base, entretanto, será que todos os problemas estariam solucionados?

Crítica à ideia de resolver tudo por Lei e por Regulamentações

Na minha opinião existe uma certa ingenuidade de que é possível resolver tudo por Leis e Regulamentações. Não sei se esta Lei do piso salarial um dia vai passar (a de 30 horas parece ser mais aceitável). De qualquer modo, temos que ser críticos à ideia de que é possível acabar com os problemas da remuneração com uma simples canetada.

A psicologia, em suas mais variadas áreas de atuação, é sempre um serviço. Como um serviço é uma mercadoria com preço em nosso sistema capitalista. Preço este que oscila de acordo com as leis do mercado, como oferta e procura, concorrência, etc.

Para citar apenas três exemplos:

Um psicólogo ou psicóloga recém formado tem, além da concorrência de mais de 200.000 psicólogos já formados, a concorrência de outros profissionais de áreas afins:

Psicologia clínica: concorrência de psicoterapeutas de todos os tipos (como Florais de Bach, Holísticos, Transpessoais, Corporais) e principalmente da psiquiatria. Pode parecer estranho colocar desta forma, mas um paciente que tenha um determinado sintoma psíquico vai buscar a solução para o seu problema. Ao invés de procurar um psicólogo formado, pode vir a procurar um terapeuta ou então um psiquiatra, que vende a ideia da cura milagrosa de tudo com pílulas mágicas, também endossadas pelas propagandas da indústria farmacêutica. Remédios esses nem sempre eficazes e, que, muitas vezes, causam mais problemas do que solucionam o sofrimento que é, antes de tudo, psíquico.

Psicologia organizacional: nesta área, a psicologia dentro das empresas e das indústrias, o profissional pode fazer uso de uma prerrogativa que é um filão de mercado, a aplicação de testes psicológicos. Claro que na clínica os testes também são utilizados (e em outras situações), mas é dentro do ambiente organizacional que o profissional pode dizer o que outros não podem fazer. Só o psicólogo pode aplicar um teste psicológico. Porém, para todas as outras funções, como seleção de pessoal, recrutamento, treinamento, outros profissionais podem ser concorrentes: administradores, tecnólogos em recursos humanos, economistas, estagiários de todos os tipos. E é importante ter consciência que um administrador pode ter uma visão muito mais geral e profunda do que é uma organização do que um psicólogo. Os bons psicólogos, bem sucedidos na área organizacional, fazem geralmente MBA, mestrado em administração, justamente por isso.

Psicologia educacional: nas escolas e instituições de ensino, o profissional da psicologia pode sofrer concorrência dos pedagogos. Uma área que está entre a educacional e a clínica, que é a psicopedagogia, é preenchida tanto por psicólogos como por pedagogos. A possibilidade de aplicação dos testes, sendo uma prerrogativa, também pode ser um diferencial aqui.

Conclusão

Depois de tudo o que foi dito, podemos facilmente responder à pergunta – “Porque os psicólogos ganham tão mal?”

Bem, primeiro, podemos dizer que nem sempre os psicólogos são mal remunerados. Se pensarmos que a média de uma consulta gira em torno de 120 reais, podemos ver que, em um cenário de consultório cheio, com 8 pacientes por dia (8 horas de trabalho), 5 dias na semana, temos o total de 19200 reais por mês. Aposto que muitos psicólogos logo vão pensar que na realidade não é assim. A verdade é que esta situação indica mais o salário sênior, de um profissional conhecido e formado e com muita experiência.

Além disso, não só o preço da sessão pode variar de paciente para paciente como a quantidade de pacientes não ser tão alta ou ter oscilações ao longo do ano.

Porém, o que quero dizer é que existem sim possibilidades de altas remunerações dentro da psicologia. Na área de Recursos Humanos, especialmente, há muitas e muitas possibilidades, pois as empresas estão constantemente contratando talentos para contribuir na gestão de pessoas. Um gerente de RH, formado em psicologia, pode ganhar (depois de alguns anos de prática), entre 10 a 15 mil reais. Mas, novamente, isto não é o comum.

De modo que temos que imaginar o salário dos psicólogos como uma pirâmide parecida com aquelas piramides feitas pelos nutricionistas, que começam na base com frutas e legumes (muita quantidade) indo até o topo com chocolates e afins (com pouca quantidade).

A grande maioria dos psicólogos ganha um salário mensal por volta dos 2.000 reais por mês. Dizer que este é um péssimo salário é uma opinião subjetiva. 3 salários mensais é pouco? Muitos dirão que sim. Quem ganha salário mínimo pode entender que é um bom salário.

Evidentemente, que se a Lei do piso salarial passar (o que julgo ser complicado e improvável – espero estar errado), teríamos um salário base de 4.650 reais. Este salário, creio, seria considerado um excelente salário pela maioria dos profissionais, afinal 6 salários não é nada mal.

Acontece que estamos em um ambiente capitalista. Uma empresa contrata um psicólogo e paga-lhe 15.000 reais porque com certeza os lucros gerados pelo seu trabalho serão superiores a este valor. Pelos cálculos de um grande amigo meu (que foi diretor de multinacionais), o lucro – para valer o salário – teria que ser 3 vezes o valor mensal, ou seja, 45.000 reais. Para gerar para a empresa este valor, o profissional tem que ser excepcional, com uma ampla formação não só na psicologia como disse acima, mas também em administração e economia.

Enfim, como estamos neste contexto temos que ver que mesmo se passar uma lei do piso, haverá diversas situações nas quais o piso não será cumprido. Até pelo fato de que os serviços do profissional podem ser sem vínculo empregatício.

A ideia da concorrência, da lei da oferta e da procura, explica o porque dos salários. Se são altos ou baixos já é uma questão de julgamento de valor individual. Para quem está pensando de fazer psicologia, este texto pode dar uma ideia de como está a situação atual de nossa área. É muito comum também a comparação com outras profissões como o direito, a medicina, a engenharia. Mas, se ouvirmos profissionais destas áreas, também ouviremos histórias de quem ganha pouco, quem ganha mais ou menos e quem ganha muito.

Para terminar, gostaria de indicar um outro texto meu, sobre o dilema – Ganhar dinheiro ou fazer o que se gosta?

Comentários, críticas e sugestões serão muito bem vindas!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 04/25443), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Vídeos e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade). E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - (12) 3042-0336 - Whatsapp (35) 99167-3191 - Snapchat: psicologiamsn