Se você fizer, o que acontece depois de 10 minutos, 10 meses e 10 anos?

Olá amigos!

Em muitos momentos de nossas vidas somos forçados a escolher, a tomar uma decisão que eventualmente vai mudar o rumo de nossas vidas. A questão que surge, então, é: existe uma forma de facilitar o processo de decisão?

Há pouco eu tive contato com o trabalho de Suzy Welch e seu livro 10-10-10 – Hoje, amanhã e depois. O livro tem o seguinte subtítulo: tome as melhores decisões considerando 10 minutos, 10 meses e 10 anos.

Assim que vi o título me interessei pela fórmula. Uma decisão bem feita não leva em conta apenas o presente, nem, por outro lado, se funda exclusivamente no futuro mais longínquo. Uma boa decisão, portanto, é aquela que reflete as consequencias no:

– curto prazo,

– médio prazo e

– longo prazo.

A regra 10-10-10

Como salienta Welch logo no início do livro, não existe nada de rígido na fórmula. Ou seja, podemos passar a pensar em 10 minutos, 10 meses e 10 anos ou qualquer período de tempo que represente o presente, o futuro mais próximo e o futuro mais longe.

Por exemplo, um fumante pode pensar nas consequencias de fumar mais um cigarro – 5 minutos – como pequenas. Mas se observar os efeitos em um ano, verá que sentirá menos cheiros e terá mais dificuldades com a sua função cardiorrespiratória. E, ainda, se pensar no longo prazo, verá que fumar só lhe terá trazido prejuízos, no bolso e na saúde.

Através desse exemplo simples, vemos como uma decisão no presente, que seria fumar mais um cigarro, não seria tão ruim, porque, afinal, a pessoa pensa: ” já fumei tantos, que diferença faz mais um?” Entretanto, ao imaginar as consequencias no médio e longo prazo não verá benefícios.

Um exemplo da própria autora. Ela conte a história de uma dona de casa que tinha abandonado a carreira para cuidar dos filhos. Agora que eles estavam maiores, passava por sua cabeça a possibilidade de voltar a estudar e, em seguida, retomar o trabalho. Mas, como é natural, ela tinha dúvidas. Conhecendo a técnica 10-10-10, ela pensou que se ficasse apenas cuidando das crianças, ficaria pensando sobre como teria sido sua vida se não tivesse deixado seus sonhos pessoais de lado.

No longo prazo, eles teriam crescido e já estariam indo morar fora e no médio prazo, eles estariam na escola. Nos dois cenários, quer ela tivesse retomado a carreira ou não, eles estariam se desenvolvendo.

Com isso, ela nota que a maternidade, obviamente, seria para sempre, mas ao mesmo tempo, não havia a necessidade de ser exclusivamente mãe.

Como utilizar o 10-10-10

Segundo Welch, toda vez que vamos utilizar a técnica, temos que começar por uma pergunta específica como “devo sair do emprego?” ou “devo mudar de cidade?” ou “devo fazer isso?”

Enfim, o conteúdo da pergunta será individual, mas tem que ser bem limitada e específica, além de indicar uma ação.

Em seguida, vamos coletar os dados sobre as possíveis consequencias no curtíssimo prazo (hoje, essa semana, esse mês), no médio prazo (1 a 3 anos) e no longo prazo (5-10 anos).

Como mencionei acima, não precisa ser literalmente 10-10-10. Pense no tempo que for útil para a sua reflexão. Por exemplo, se há a dúvida sobre fazer ou não uma pós-graduação, pense no que isso vai representar agora, daqui a 2-3 anos e depois de 10 anos.

Perguntas como as seguinte ajudam:

– O que acontece se fizer isso hoje? E se não fizer?

– O que pode acontecer daqui a 2-3 anos? E o que vai acontecer se não fizer?

– Como vai ser daqui uma década – se eu tiver feito? E se eu ai tiver feito… como será?

Conclusão

Em muitas decisões, temos que levar em conta o posicionamento de outras pessoas, o que torna um pouco mais complicado decidir. Porém, temos que pensar e focar a nossa atenção naquilo que podemos controlar, que é exatamente o nosso comportamento.

Assim, ao refletir sobre as decisões no curto, médio e longo prazo, pense no que está sob o seu controle. A utilidade desta técnica da Welch consiste em, primeiro, apontar que uma decisão não tem apenas consequencias imediatas. Muitas decisões terão impacto para a vida toda.

Em segundo lugar, a técnica nos ajuda no esclarecimento de nossos objetivos. Se estamos sofrendo pressão de uma outra pessoa para fazer algo, veremos que se dissermos não no curto prazo será desagradável, mas muito melhor no longo prazo. Como o exemplo que sempre menciono aqui de quem escolhe uma faculdade para agradar a família. Dizer não seria ruim agora, mas pior será concluir um curso para nada.

Em terceiro lugar, a técnica de Welch nos mostra de novo que o sucesso é sequencial, ou seja, consiste em tomadas de decisão que sao contínuas e possivelmente alinhadas. Afinal, de nada adianta tomar uma decisão para a esquerda agora, se mais à frente vamos querer ir para a direita.

E, em quarto lugar, a técnica nos mostra que no longo prazo, não poderemos colocar a culpa e a responsabilidade das nossas escolhas nos outros. Quer dizer, no longo prazo não dá para se colocar na posição de vítima. É preciso assumir as próprias decisões.

Para concluir, uma frase para pensar:

“Daqui a dez anos… como seria se você tiver começado hoje o que quer realizar?”

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913