Dicas práticas sobre o que fazer depois de pegar o diploma de graduação. Da angústia de ser um recém formado até se transformar em um profissional de sucesso.

Olá amigos!

Uma questão que angustia muitas pessoas é o que fazer depois da formatura da faculdade. Quando me formei, há quase 10 anos atrás (como o tempo passa!), vi colegas fazendo de tudo para não lidar com o medo do que poderia vir depois. Para muitos, concluir o curso – de psicologia ou outro – significaria pela primeira vez ter responsabilidades. Ter que ter um trabalho, pagar as próprias contas, não contar com a ajuda dos pais.

Além do fato de que a final da faculdade já é normalmente estressante pelas atividades curriculares (estágios, trabalho de conclusão de curso), fica a grande interrogação: “me formei e agora?”

Me formei e agora?

A verdade é que ter um diploma de graduação é ter um papel com o seu nome. Evidente que este papel pode abrir diversas oportunidades de trabalho, mas devemos ter clareza e saber que ter o diploma não vai ser um passe mágico para a riqueza.

Sei que é algo um pouco evidente, porém, é necessário dizer. Muitas pessoas se formam e, curiosamente, se acomodam. Pensam que agora que concluíram a graduação é só esperar que o mercado vai descobrir todo o seu talento e todo o seu potencial.

Contudo, é óbvio que o emprego excepcional não vai bater em nossa porta. Quem estudou PNL não gosta muito da expressão “correr atrás”, entretanto, é preciso correr sim. A não ser que você esteja em uma região muito afastada dos grandes centros e em uma cidade muito pequena, você vai entrar no mercado “atrás” de outras pessoas que se formaram antes. Você terá concorrentes e terá que fazer de tudo para se destacar.

Em suma, a graduação não é o fim. No final da graduação é que começamos.

O que uma graduação te oferece

O que uma graduação te oferece é uma visão geral de uma área do conhecimento. Você sai da faculdade sabendo um pouco de tudo. Se a faculdade não foi apenas um lugar para encontrar amigos e amantes, o que vai ficar – tirando o diploma – é o conhecimento absorvido. Ganha-se saber. Depois é preciso saber fazer (know-how).

Os estágios são especialmente úteis nesse sentido. São como uma ponte entre o conhecimento e o mundo real. Como se diz, na teoria é assim, na prática é assado…

Se não foi possível fazer bons estágios durante a graduação, talvez o melhor caminho seja ter humildade e “começar por baixo”. Por exemplo, um grande amigo meu se formou em jornalismo. Ele disse que os seus amigos que estão bem colocados hoje, em grandes empresas de comunicação, praticamente trabalharam por 1 ou 2 anos de graça (estágios) para fazer contatos e ganhar experiência e, deste modo, ter um currículo melhor.

É ingenuidade achar que depois de ter o diploma vamos ter o melhor cargo na melhor empresa. Portanto, conforme-se e pense no médio prazo (existem exceções a essa regra como quem tem influência familiar e econômica ou um padrinho para indicar – o famoso QI).

O médio prazo (3 a 5 anos) não é um tempo tão longo. Passado esse tempo, é natural que novas oportunidades surjam. Afinal, haverá no currículo o diploma e uma experiência mínima para vagas melhores.

A questão da pós-graduação

Muita gente fica muito mal ao pensar que depois de 3, 4, 5 anos na faculdade não aprendeu nada. Como disse, na faculdade vemos um pouco de tudo. Não dá tempo, simplesmente, para ver tudo de tudo. Mesmo uma faculdade mais longa, como medicina, não permite que o formando saia sabendo de tudo. Dizem os historiadores que para ser um médico no Antigo Egito era necessário 21 anos de estudo…

Por isso tudo, surge a demanda de fazer uma pós-graduação, tanto para ter mais conhecimentos e saber mais de uma única coisa (especialização em um área) como para ter um currículo mais robusto.

Veja o nosso texto – Que pós-graduação devo fazer?

Entretanto, é preciso avaliar com calma a necessidade e o retorno do investimento (ROI). Por exemplo, se uma pós-graduação custa 500 reais por 24 meses, o investimento será de 12.000. Uma fórmula simples consiste em pensar em quanto tempo este dinheiro (12.000) irá retornar. Se retornar no curto prazo com um aumento significativo de salário, certamente será um bom investimento.

A dúvida é: qual pós-graduação fazer? O que nos leva ao próximo tópico

Uma especialização real

A maior parte das faculdades permite ao formado trabalhar em mais de uma área. Durante o curso, portanto, o estudante já deve ir buscando saber em detalhes sobre todas as áreas de atuação e imaginando (se não puder fazer estágios) em qual área vai preferir se especializar.

Quanto antes soubermos para qual área vamos dirigir nossos esforços, melhor. Lembrando que ter um pouco de dúvidas é algo comum. Depois de formado, é realmente muito importante saber no que se especializar. E quando digo especialização aqui não estou dizendo só de fazer uma pós-graduação. Dependendo da condição financeira, a pós pode ficar para depois. O que estou dizendo é de ter um foco de atuação.

Por exemplo, uma pessoa formada em direito pode escolher trabalhar na área civil, penal, trabalhista, etc.

Dica: não tente atirar para tudo quanto é lado. Se você tem receio de focar em uma área e não ter campo, você está tendo uma visão equivocada. Quanto maior é a especialização, maior a chance de você conseguir bons resultados e indicações para o seu trabalho (se for liberal) ou indicações de vagas em outras empresas. As empresas e a sociedade sempre vão precisar de conhecimento especializado e competência direcionada.

É fácil pensar, nessas horas, na medicina. Quando você precisa da receita para fazer óculos, você não vai a um pediatra, vai ao oftalmologista. É nesse sentido que digo que é fundamental se especializar (ainda que seja sem uma pós).

Domine uma língua estrangeira

Não é mentira quando dizemos que é um diferencial ter o domínio de uma língua estrangeira. Pode até ser que no dia a dia você nunca use a língua que estudou, seja inglês, francês, espanhol, chinês ou outra. Mas é certo que uma segunda língua abre portas. Isto porque o mundo é muito maior que os países que falam português. E ter acesso a conhecimentos, livros, cursos, além da possibilidade de realizar negócios com outras culturas faz a diferença.

Pense grande, dê passos pequenos

E, por fim, a última dica é pensar grande. Pensar grande quer dizer ter grandes sonhos. Querer ser um profissional de sucesso. Para não se desesperar, pense no longo prazo: 15, 20 anos. Você pode sonhar ser o diretor de uma grande empresa ou o profissional mais renomado em sua cidade. Você pode sonhar em ter um Phd e escrever um livro best-seller ou ter um programa de TV. Não importa. Na verdade, você nem precisa dizer isso para ninguém (mas ajuda se você tornar o seu sonho público para quem você confia e te apoia).

A ideia é que ter grandes sonhos exigem mais de nós. Grandes sonhos nos dão esperança e motivação. Nos ajudam a dar pequenos passos, mas na direção certa e com isso, de pouco em pouco, vamos realizando o que quer que queiramos realizar.

Conclusão

Este é um texto geral sobre o que fazer depois de ter concluído a graduação. Como cada graduação tem as suas especificidades, caso você tenha alguma dúvida ou sugestão, por favor, escreva abaixo nos comentários!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913