Conheça os 5 típicos papéis familiares descritos por Virginia Satir: distraidor, computador, nivelador, acusador e apaziguador. 

Olá amigos!

Eu conheci o trabalho de Virginia Satir através da PNL, Programação Neurolinguistica. Como já expliquei aqui em outros textos, a PNL busca modelar os comportamentos excepcionais de pessoas em sua área de atuação ou atividade. Por exemplo, um homem que fala 56 idiomas fluentemente é, com certeza, um sujeito incrível no aprendizado de línguas. Não seria maravilhoso entender como ele aprende línguas?

A PNL, então, fez e faz isso. Para entender os resultados positivos de terapeutas considerados excelentes, os fundadores da PNL, Richard Bandler e John Grinder modelaram o comportamento também de Virginia Satir e foi deste trabalho de modelação que eu ouvi pela primeira vez sobre ela.

Quem é Virginia Satir?

Virginia Satir nasceu em 1916 nos Estados Unidos (Winsconsin). Ainda bem pequena, esteve doente e, por isso, perdeu a audição por dois anos. Segundo consta, neste período ela teria aprendido a observar atentamente o comportamento não-verbal das pessoas, a fim de com elas se comunicar.

A maioria de nós presta atenção no conteúdo do discurso, enquanto que o que é dito não-verbalmente permanece inconsciente. Com este “treinamento” ainda na infância, Satir teria criado a habilidade de ouvir não só o conteúdo. Ela diz: “Cada palavra, cada expressão facial, cada gesto ou ação dos pais dá para a criança uma mensagem sobre o seu próprio valor. É triste que tantos pais não percebam a mensagem que estão enviando”.

Sua formação, entretanto, não foi em psicologia. Formou-se para o ensino e, posteriormente, fez mestrado em trabalho social.

Outro aspecto que a própria autora conta sobre a sua história foi o fato de que seu pai era alcoolatra, o que a fez observar a dinâmica da relação entre o comportamento de um indivíduo e sua família.

E foi justamente na área do atendimento a família que Virgina Satir se destacou. Ela é aclamada, mundialmente, como uma das mais importantes terapeutas da linha da terapia familiar sistêmica que, inclusive, ajudou a consolidar, divulgar e acrescentar.

Os 5 papéis familiares

Satir desenvolveu a teoria dos 5 papéis familiares. Estes papéis (assim como no teatro o ator encena papéis) aparecem de modo mais evidente quando os membros de uma família não conseguem expressar seus sentimentos, pensamentos, afetos e ideias de uma maneira clara e direta. Os papéis também são chamados, em outros contextos além da família, de “posturas” de Satir:

1) Acusador

2) Apaziguador

3) Computador

4) Distraidor

5) Nivelador

Se pensarmos em situação de conflito familiar, veremos que não é difícil identificar cada um destes papéis. Os nomes são elucidativos do comportamento.

Assim, o acusador ou acusadora é aquele membro da família que fica apontando os erros, as falhas, os enganos, os problemas. O apaziguador é praticamente o oposto do acusador, é o indivíduo que tentar colocar “panos quentes” nas brigas e desentendimentos, sem, entretanto, tentar ou procurar resolver a situação em definitivo.

O computador e o distraidor tem, no fundo, um objetivo parecido: o de buscar apontar a atenção de todos para uma outra direção. Mas, enquanto o distraidor aponta para todos uma forma de não olhar para a dificuldade em questão, o computador tem a tendência de se fechar em seu mundo como um “intelectual distante”.

Por fim, há o papel do nivelador que é aquele que busca comunicar-se de uma forma sincera, aberta e compreensiva sobre o que está acontecendo e busca, de verdade, uma maneira de melhorar o que quer que esteja causando o problema. ao contrário dos outros 4 papéis que não enfrentam ou mostram os seus reais sentimentos.

simpson-papeis-familiares

Como exemplo, podemos pegar o desenho dos Simpsons – que creio que quase todos conhecem. Bart Simpson, o garoto levado e brincalhão, seria um exemplo de distraidor. Com suas piadas e brincadeiras visa distrair e entreter os outros membros da família. Lisa Simpson, a brilhante super dotada, seria um exemplo do computador, do uso da inteligência e da intelectualidade para não lidar com os próprios sentimentos (seus e dos outros da família).

Margie oscila entre os papéis de acusadora (é crítica e fica apontando os erros principalmente do seu marido Homer) e de apaziguadora (quando lida com os filhos). Homer, por sua vez apresenta-se como acusador (quando estrangula o Bart) e como um distraidor pelas suas burradas, seu alcoolismo e sua fuga da realidade. Meg é um bebê e não pode ser apontado para ela um dos papéis.

Apesar de tudo, das confusões e desentendimentos, o papel do nivelador, daquele que comunica os sentimentos reais aparece aqui e ali por um ou outro dos personagens, dependendo do episódio. Assim, Homer e Bart às vezes tem crises de consciência e falam do que sentem de verdade, mas o papel do nivelador é mais frequentemente assumido por Marge e Lisa.

Conclusão

Evidentemente, o trabalho de Satir não consiste em classificar e rotular as pessoas e pronto. Como qualquer classificação que podemos fazer em terapias (como um diagnóstico), o objetivo é encontrar uma orientação para auxiliar no problema do indivíduo ou, no caso da terapia familiar, da família.

Por exemplo, uma das técnicas desenvolvidas pela autora era de que estes papéis pudessem ser encenados pelas pessoas (individualmente) a fim de encontrar o seu próprio papel, o papel das outras pessoas que cresceram ao seu redor. Esta técnica é chamada de “festa das partes”. A ideia é criar um ambiente no qual seja possível a cada um reconhecer o papel que tem desempenhado e sair dele.

Uma das frases da autora que eu mais gosto é a seguinte: “O que permanece do passado individual dos pais, não-resolvido ou incompleto, frequentemente se transforma em uma parte de seu jeito irracional de lidar com os filhos”.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913