“Como saber se esta faculdade é ideal para mim?” Para muitos, a escolha profissional é complicada porque até então o estudo era uma obrigação externa. Não temos que escolher o que vamos estudar até entrar na faculdade. Mas como escolher? Conheça as dicas mais fundamentais

Olá amigos!

Neste texto, quero compartilhar com vocês as dicas fundamentais para te ajudar a escolher a faculdade certa para a sua personalidade e também mostrar os principais erros que podem acontecer na escolha. Evidentemente, se você tiver muitas dúvidas ou não tiver ideia das opções, o recomendado é procurar e encontrar um profissional da psicologia em sua cidade para o processo que chamamos em psicologia de Orientação Profissional.

Em média, a Orientação Profissional leva de 8 a 12 sessões. Mas em alguns casos, este número pode diminuir muito. Comento frequentemente aqui no site que com apenas uma única sessão, com a ajuda de uma excelente psicóloga, eu consegui decidir qual faculdade deveria optar.

Ainda que você leve 12 até 20 sessões para descobrir a melhor faculdade para ti no processo de Orientação Profissional, valerá a pena, porque o dinheiro investido nas consultas será muito menor do que o dinheiro investido em uma faculdade que não é para você. Sem contar o sofrimento e o tempo “perdido” até encontrar.

Assim, se você mesmo com as dicas aqui do nosso site na seção Orientação Profissional intitulada Dinheiro e Profissão (e neste texto) ainda tiver dúvidas e não conseguir encontrar uma saída para a pergunta sobre a melhor faculdade para ti, sugiro fortemente que você procure um profissional da psicologia.

Dica 1 – Conheça os dois motivos para fazer uma faculdade

Para começar uma faculdade, alguém pode ter dois motivos principais:

1) Estudar uma disciplina, uma área do conhecimento humano;

2) Trabalhar em uma área específica (e ajudar as pessoas, ganhar dinheiro, ter status e ser reconhecido).

Podemos imaginar uma situação em que uma pessoa tem tanto dinheiro que não precise se preocupar com o segundo motivo. Deste modo, a única preocupação seria o que lhe daria mais interesse em termos de estudo.

É importante lembrar que não fazemos uma faculdade apenas para pegar o diploma e trabalhar. Nós fazemos faculdade porque queremos aprender. Parece uma bobagem dizer isto, mas em nossa realidade sócio-cultural em que o ensino não é valorizado, muitos vão às escola não para aprender… e depois vão à faculdade também sem o objetivo de aprender… (por isso, continuam colando e copiando trabalhos).

Portanto, você vai ter que levar em consideração também o que vai estudar na faculdade. Por isso, se você já tem em mente as faculdades ou a faculdade ideal para ti pesquise no google do seguinte modo:

Faculdade X + grade curricular

Com estas pesquisas, você obterá resultados que te mostrarão o que é estudado na faculdade. É claro que nem todas as matérias serão de interesse. Mas se você encontrar a grade curricular da faculdade que você imagina fazer e não se interessar por pelo menos 50% das disciplinas, este será um sinal de alerta para você pensar mais.

Sobre o motivo 2, a escolha do trabalho (levando em conta que talvez você precise trabalhar para sobreviver), nós falaremos nas dicas seguintes.

Dica 2 – Qual é o sentido da sua escolha?

Todas as pessoas que conseguem se realizar profissionalmente, (o motivo 2), são extremamente apaixonadas pelo que fazem. Para quem está de fora daquela área de atuação, a profissão provavelmente será vista como mais uma profissão. Mas para quem escolheu de verdade e encontrou sua paixão, a profissão será A profissão. Em outras palavras, a profissão dará o sentido para a sua vida, para a sua existência.

Por exemplo, eu posso adorar música. Ouvir música, até posso aprender a tocar um instrumento e pensar que a música é fundamental para uma vida. Porém, esta avaliação será muito superficial perto de alguém que é apaixonado por música e que tem a música como centro do seu universo.

O tema da sua profissão (neste exemplo a música) tem que ser extremamente forte. Tem que te tocar emocionalmente. Tem que mexer com você. Com quem você é.

Um exemplo que gosto de dar é o de Steve Jobs quando precisou contratar um gerente para trabalhar com ele na Apple. Este gerente trabalhava em uma grande empresa de refrigerante. Então Jobs lhe perguntou: “Você quer ficar o resto da sua vida vendendo água com açúcar ou você quer uma chance de mudar o mundo?

O tema da sua profissão tem que ser algo que você acredita que mudará o mundo. Ou seja, tem que ser algo que dê um sentido último para a sua existência. Algo tão forte que se você morresse no meio do caminho, você continuaria avaliando que o seu trabalho fez a diferença.

Dica 3 – Leve em conta a sua personalidade

Em poucas palavras, podemos definir a personalidade como aquilo que não muda em nós. Como o que permanece idêntico apesar da passagem do tempo. Existem muitas e muitas coisas que conseguimos mudar com o tempo, mas muitas coisas nós não queremos ou até não conseguimos mudar.

Por exemplo, sabe aquela pessoa que você conhece desde pequena que fala sem parar? Você acompanhou a história dela por alguns anos e ela continua falando à beça? Então, é muito provável que daqui a 20 anos ela continue a falar bastante. Esta é uma característica de personalidade e, por definição, uma característica de personalidade tende a se manter estável no tempo.

Para escolher uma faculdade você tem que levar em conta a sua personalidade. Recapitulando:

1) Descubra o que você gosta de estudar e a área na qual você gostaria de trabalhar

2) Descubra o sentido último, o que te move e te toca profundamente

3) Avalie se o que você gosta de estudar, a área na qual você gostaria de trabalhar (e o sentido último) tem relação com a sua personalidade.

Agora, vamos imaginar alguns possíveis erros que podem acontecer na escolha da faculdade

Erros na escolha da faculdade

Situação 1)

Patrícia escolheu a faculdade de Letras porque gostava de estudar. Todos os livros que lia lhe davam um profundo prazer e ela encontrou nos romances e poesias o sentido da sua vida. Como uma pessoa sensível, ela acreditou que tudo daria certo, já que a sua personalidade tinha tudo a ver com o seu gosto de estudo e a paixão última pela área.

Porém, o que faltou na avaliação de Patrícia foi o ponto 2 da Dica 1, ou seja, trabalhar em uma área específica. Ela não levou em conta as opções de trabalho depois de formada. Como uma pessoa introvertida e que nunca teve muito interesse de estar cercada por muita gente o tempo todo, ela não se encontrou na área de ensino, como professora de literatura.

Deste modo, encontra-se perdida já que as outras possibilidade da faculdade de Letras não oferecem tantas vagas como dar aulas.

Situação 2)

João sempre gostou de jogos, de vídeo-games, de competições online. Por isso, parecia óbvia a escolha para a área de ciências da computação. Tudo o que ele ama fazer (que é jogar) ele poderia fazer no trabalho. Porém, apesar de que ele encontrou o que gostaria de estudar e encontrou também a sua paixão, João não avaliou direito a grade curricular da faculdade de ciências da computação.

Deste modo, quando ele começou a faculdade, percebeu que passaria quatro, cinco anos estudando matérias pelas quais não tinha nenhum interesse. Zero de interesse. E pior, ele descobriu que depois de formado, teria que utilizar o que aprenderia na faculdade para construir os jogos. Em outras palavras, teria não só que aprender o que não queria aprender como praticar pelo resto de sua vida o que não estava gostando de começar a aprender, para começo de conversa.

O erro de João foi o de não ter avaliado as disciplinas da faculdade (o ponto 1 da Dica 1). Ou seja, ele não viu que mais de 50% da grade curricular da faculdade seria desagradável e desinteressante. Além disso, ele confundiu o fato de gostar de jogar com o fato de gostar de programar um jogo.

Situação 3)

Maria Luisa escolheu a faculdade de direito porque todas as pessoas ao seu redor diziam que ela tinha que escolher direito. Porque era uma boa área e porque tinha a ver com ela, porque ela falava bem, porque era inteligente, porque ia ganhar rios de dinheiro.

Sem muito questionar a opinião alheia, Maria Luisa começou a faculdade. Como uma boa aluna no colégio, não teve dificuldades de passar nas matérias. Não notou desprazer ou problemas nas disciplinas, já que sempre teve para si que o mais importante era o dever, era ir bem e ser uma aluna exemplar.

Só no final da faculdade, ela passou a perceber que não sabia porque estava estudando aquelas leis. Não sabia porque deveria continuar e formar. Não sabia o sentido de ser uma advogada. Para que ela deveria advogar? Qual o sentido de tudo aquilo?

O erro de Maria Luisa foi não avaliar o sentido último da profissão. Temos que nos lembrar que somos movidos pelo porque.  Sem saber o porque estamos fazendo algo, tudo perde o sentido e ficamos perdidos.

Conclusão

Como mencionei no início, as dicas dadas neste texto e as dicas dadas nos nossos outros textos de Orientação Profissional não substituem a necessidade de fazer a Orientação Profissional, em muitos casos.

Para muitos, a escolha profissional é complicada porque até então o estudo era uma obrigação externa. Não temos que escolher o que vamos estudar até entrar na faculdade. E se desejarmos fazer uma faculdade, então, temos que saber responder as seguintes perguntas:

1) O que eu vou estudar nesta faculdade X?

2) Com o que eu posso trabalhar nesta faculdade X?

3) Para que eu vou estudar/trabalhar nesta área?

4) Tudo isto que eu vou estudar e/ou trabalhar depois tem a ver com a minha personalidade?

Dúvidas, sugestões, críticas, por favor, comente abaixo!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Problemas de Relacionamentos ou Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913