O DSM-5 é o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais criado e elaborado pela APA (Associação de Psiquiatria Americana) e referência para os profissionais de saúde mental – psicólogos, psiquiatras, psicanalistas – para avaliação e diagnóstico de pacientes. 

Olá amigos!

O DSM-5 é o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais criado e elaborado pela APA (Associação de Psiquiatria Americana). O número 5 se refere à edição, ou seja, a APA já elaborou quatro versões e agora, em 2013, lançou em inglês a 5° edição. Em português, a 5° Edição acaba de ser lançada e estudaremos em profundidade, em 22 vídeos, em nosso Curso Completo sobre o DSM-5.

O que é o DSM?

O primeiro antecessor do DSM foi publicado nos Estados Unidos em 1844, tendo como objetivo fazer um levantamento estatístico dos pacientes internados em Hospitais Psiquiátricos. Depois da Segunda Grande Guerra Mundial, o DSM se estabeleceu em 4 versões tendo em vista dois objetivos principais:

1) Ser um levantamento profundo da estatística, da prevalência e curso dos transtornos mentais

2) Ser um guia unificador de terminologia. Em outras palavras, unificar os termos e descrições dos transtornos mentais a fim de facilitar a comunicação entre profissionais da área da saúde mental (psiquiatras, psicólogos, psicanalistas, etc).

A última versão, antes da 5° Edição, o DSM-IV-TR, (Versão 4 com Texto Revistado – TR) havia sido publicada em 2000. Já a partir de 1999, a APA começou a realizar diversas pesquisas sobre o que poderia estar falho na descrição e conceitualização de certos transtornos mentais. A Divisão de Saúde Mental da OMS (Organização Mundial da Saúde), a World Psyquiatric Association (Associal Mundial Psiquiátrica) e o National Institute of Mental Health (Instituto Nacional de Saúde Mental) participaram destas pesquisas e elaboraram um plano para que o DSM-IV tivesse uma profunda revisão, isto já em 2002.

Entre os anos de 2003 e 2008 foram realizadas 13 Conferências internacionais, com 400 participantes de 39 países para fazer um profundo levantamento das produções acadêmicas e teóricas sobre os transtornos mentais. Tais Conferências foram a base para o começo da elaboração do DSM-5.

O que há de novo no DSM-5

Segundo o próprio Manual: “As propostas para revisão dos critérios diagnósticos do DSM-5 foram desenvolvidas por membros de grupos de trabalho com base em lógica, alcance das mudanças, impacto previsto sobre o manejo clínico e a saúde pública, solidez do respaldo das evidências de pesquisa, clareza geral e utilidade clínica. As propostas abrangeram alterações nos critérios diagnósticos; o acréscimo de novos transtornos, subtipos e especificadores; e a eliminação de transtornos existentes (DSM-5, 2014, p. 7).

Ou seja, foi feito um profundo levantamento, que durou no total 12 anos, do que havia de positivo e correto no DSM-IV e o que havia de falho e poderia ser alterado ou aperfeiçoado a partir das novas pesquisas. O objetivo desta nova versão pode ser dividido em 4 critérios:

1) O DSM-5 destina-se principalmente a ser um manual para clínicos, e as revisões devem ser viáveis para a prática clínica de rotina;

2) As recomendações para revisões devem ser norteadas por evidências de pesquisas;

3) Sempre que possível, deve-se manter a continuidade das edições anteriores do DSM;

4) Não se deve colocar restrições a priori sobre o grau de mudança entre o DSM-IV e o DSM-5 (DSM-5, 2014, p. 7).

Digno de nota é também a afirmação inicial na Introdução do DSM-5 sobre as diferenças entre transtornos próximos: “os limites entre várias categorias de transtornos são mais fluidos ao longo do curso de vida do que os identificados pelo DSM-IV, e vários sintomas atribuídos a um único transtorno podem ocorrer, em diferentes níveis de gravidade, em vários transtornos”  (DSM-5, 2014, p. 5).

Com relação ao seu predecessor, o DSM-5 apresenta 18 grandes mudanças significativas na definição e no limite dos transtornos mentais. Vamos estudar de forma completa todas estas mudanças em nosso Curso em Vídeo sobre o DSM-5. Abaixo, citar brevemente algumas destas mudanças:

Clique aqui e inscreva-se agora – Curso em Vìdeo DSM-5 Introdução e Principais Mudanças

Transtornos Depressivos

O termo distimia foi retirado e atualmente o quadro que antes era diagnosticado como distimia é enquadrado no transtorno depressivo persistente. Também foi excluída a afirmação de que sintomas depressivos com duração de dois meses após uma perda (luto) não deveriam ser diagnósticos como episódio depressivo maior porque isto poderia obscurecer a avaliação e o diagnóstico de depressão conjunta ao luto.

O luto continua sendo essencialmente diferente do transtorno depressivo maior e possui comummente a duração de 1 a 2 anos. A retirada deste critério apenas alerta o fato de que o luto pode ser um estressor para o episódio depressivo maior que, além dos sentimentos normais do luto, incluem: desvalia, ideação suicida, problemas de saúde e funcionamento social.

Transtornos de Ansiedade

Uma mudança significativa nos Transtornos de Ansiedade foi a retirada do Transtorno Obsessivo-Compulsivo como um Transtorno de Ansiedade para ganhar uma categoria própria e específica. Outra modificação de grande impacto foi a percepção de que ataques de pânico – comuns no Transtorno do Pânico – podem aparecer como sintoma, como um especificador, em qualquer dos outros Transtornos.

Transtorno do Pânico e Agorafobia foram separados, embora possam continuar apresentando a usual comorbidade.

Conclusão

Este artigo teve como objetivo apresentar de forma sucinta o DSM e a sua história de publicações, tendo em vista as principais modificações que foram realizadas no DSM-5, através dos exemplos dos Transtornos Depressivos e Transtornos de Ansiedade.

Em nosso Curso em Vídeo, vamos falar de todas as principais mudanças, além de nos aprofundarmos na história e objetivos do DSM.

Veja as Lições do nosso Curso e inscreva-se!

Lição 1: Introdução ao DSM-5

Lição 2: História do Manual Diagnóstico e Estatístico da APA (Associação de Psiquiatria Americana)

Lição 3: Destaques das Modificações do DSM-IV para o DSM-5

Lição 4: Transtornos do Neurodesenvolvimento

Lição 5: Espectro da Esquizofrenia e Outros Transtornos Psicóticos

Lição 6: Transtorno Bipolar e Transtornos Relacionados

Lição 7: Transtornos Depressivos

Lição 8: Transtornos de Ansiedade

Lição 9: Transtorno Obsessivo-Compulsivo e Transtornos Relacionados

Lição 10: Transtornos Relacionados a Trauma e Estressores

Lição 11: Transtornos Dissociativos

Lição 12: Transtornos de Sintomas Somáticos e Transtornos Relacionados

Lição 13: Transtornos Alimentares

Lição 14: Transtornos da Eliminação

Lição 15: Transtornos do Sono-Vigília

Lição 16: Disfunções sexuais

Lição 17: Disforia de Gênero

Lição 18: Transtornos Disruptivos, do Controle de Impulsos e da Conduta

Lição 19: Transtornos Relacionados a Substâncias e Transtornos Aditivos

Lição 20: Transtornos Neurocognitivos

Lição 21: Transtornos da Personalidade

Lição 22: Transtornos Parafílicos

Clique aqui e inscreva-se agora – Curso em Vìdeo DSM-5 Introdução e Principais Mudanças

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Problemas de Relacionamentos ou Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913