Olá amigos!

Um grande empresário, amigo meu, me contou uma situação inusitada. Em sua empresa, dezenas de jovens (entre 18 e 25 anos) estão trabalhando por períodos determinados de tempo, com o único intuito de trabalhar um pouco, receber o seguro desemprego, trabalhar um pouco mais e receber o seguro novamente e assim por diante. Esse bem sucedido empresário, e não à toa, me contou essa história espantado e avaliou a situação como uma geração inteira que não tem responsabilidade para trabalhar e nem tem força de vontade para estudar.

Neste texto, quero comentar esta situação com vocês, mas analisando-a de um outro ângulo. Se há mesmo uma geração inteira de hedonistas, que só pensa em se divertir, que só acha válido o entretenimento, entre o tédio e o prazer (e o facebook), qual é o significado desta busca apenas pelo prazer na Orientação Profissional?

Os ossos do ofício

Não sei se todos conhecem a expressão “os ossos do ofício” que significa que todo ofício, que todo trabalho, que toda profissão tem suas dificuldades inerentes. Este é um dado que pode parecer óbvio e de fácil observação, mas não é tão simples na opinião de muitas pessoas que querem apenas o bônus, sem nenhum tipo de ônus, ou seja, a ideia por trás de sua busca é encontrar uma colocação que seja apenas prazerosa, sem nenhum tipo de desprazer ou desconforto.

Ora, mesmo o melhor trabalho, mesmo o trabalho ideal possui e possuirá as suas dificuldades. Deixar de escolher uma profissão – que seria totalmente adequada para o perfil – apenas por uma ou outra dificuldade é algo totalmente sem sentido.

Uma geração de hedonistas

Na opinião de meu amigo empresário, o que a sociedade criou foi toda uma geração de hedonistas, de sujeitos que querem apenas ter prazer e nenhuma responsabilidade. Evidentemente que não podemos generalizar e dizer que todos os jovens entre 18 e 25 anos (um pouco menos, um pouco mais) tem este tipo de mentalidade. Nas grandes cidades, como São Paulo, é muito comum ver o contrário: jovens que levantam cedo para ir ao trabalho, estudam no metrô, e vão para a faculdade à noite.

Porém, este meu amigo não deixa de ter certa razão: quantos e quantos jovens não estão por ai apenas querendo diversão e mais tecnologia (celulares caros, tablets e outros adendos), viagens, produtos de marca para marcar o status, nem sempre verdadeiro, e pouco ou nenhum estudo?

Aqui no site, todos os dias acabo ficando muito preocupado com o futuro do nosso país ao ver pessoas que estão para entrar na faculdade escrevendo tão bem quanto uma criança recém alfabetizada. Não são erros de digitação, mas erros grosseiros de concordância, de ortografia. Em muitos casos, é até impossível conseguir compreender o que a pessoa quer dizer, dada a falta de coesão e coerência.

Com tão pouco estudo, com tão pouco interesse pelo conhecimento (mesmo tendo à disposição a internet, que pode ser considerada a maior biblioteca criada pelo homem), estas pessoas querem cargos de gerência, sem saber o que isto significa na prática, salários de marajá e trabalhar poucas horas na semana.

Claro que o mercado será um choque para estas pessoas…

Cargo: vagabundo profissional

No final das contas, o que a realidade vai mostrar é uma situação totalmente diferente. Sem estudo e sem experiência profissional, o que vai estar à disposição são os cargos com os menores salários, mais horas de trabalho e mais trabalho braçal.

A questão é que aqui no Brasil não acontece o panorama da Europa, em crise, na qual os jovens – sem trabalho, sem estudo – encontram-se nesta situação por dificuldades econômicas. Nesse sentido, o nosso país ainda é o país das oportunidades, para quem sabe e tem interesse de aproveitar.

Conclusão

Para concluir, gostaria de dizer que, apesar das grandes mudanças no mercado de trabalho nas últimas décadas, a Orientação Profissional – área da psicologia que auxilia na escolha da melhor faculdade e carreira ou mudança de rumos profissionais – frequentemente acaba lidando com um tipo de perfil de quem exclui todas as possibilidades porque elas exigem ou esforço, ou tempo, ou dedicação… como se o sucesso fosse atingido por osmose, por uma rede de favorecimentos, por passe de mágica.

Neste sentido, quem realiza a Orientação Profissional, em psicologia, deve deixar claro que este tipo de pensamento está totalmente equivocado. O sucesso pode ser atingido rápido, está certo, o que não quer dizer que seja sem esforço, sem força de vontade, sem comprometimento.

Como disse certa vez Marie Louise Von Franz, trata-se de uma infantilidade imaginar que existirá um trabalho sem qualquer dificuldade. Ora, todo trabalho poderá ter o seu “dia de chuva”, os seus ossos do ofício.

Se alguém paralisar por isso, e não escolher nada, porque tudo parece difícil, deve refletir mais sobre o seu próprio desejo. Em muitos casos, é muito mais trabalhoso ficar parado e sofrer as consequências da sua paralisia, do que se esforçar um pouco (pelo menos) e tentar encontrar uma forma de produzir para o bem comum.

E aqui, acabamos caindo em outro assunto – talvez para um próximo texto – sobre a dificuldade das pessoas de doar. Afinal, todo e qualquer trabalho é uma doação que fazemos para as outras pessoas. Por características de personalidade, vamos nos encontrando no que fazemos melhor, a fim de ajudar a sociedade. Todos, claro, tem a sua participação e a sua importância no mercado de trabalho, em cada um das centenas de trabalhos existentes.

O que quero dizer é, não custa nada mudar um pouco o foco e, antes de tentar receber, doar um pouco de seu tempo e de sua energia para os demais.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Problemas de Relacionamentos ou Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913