Olá amigos!

No próximo mês, vou fazer um Curso de Certificação Internacional em Coaching. No Coaching, existe uma frase que é fantástica que diz: “Antes feito do que não feito!” ou, também, “Feito é melhor do que perfeito”. Neste texto, gostaria de conversar com vocês sobre o modo como compreendo estas frases e como elas podem ser úteis para nos ajudar a realizar mais.

Veja também – Diferença entre Psicologia Clínica e Coaching

Antes feito do que não feito

Bem, muitas pessoas tem uma característica de personalidade que podemos, simplesmente, descrever como perfeccionismo. Para o perfeccionismo, o melhor é fazer bem feito, ou seja, só devemos fazer se formos fazer com perfeição. Embora seja um ideal interessante, de criar sempre com a melhor qualidade, este pensamento pode levar com que não façamos porque, antes de começar a fazer, vamos avaliar se conseguimos fazer “à altura”, em um nível de excelência, com todo o esmero e cuidado que seria digno de uma conclusão impossível de ser criticada.

Ora, nem sempre temos o tempo ou os recursos para já começar neste “alto nível” de perfeição. Aliás, seria até necessário questionar o que é perfeição e para quem – e comparado com quem – estamos tendo este tipo de juízo.

Por exemplo, quando comecei este site não comecei do jeito que está. Antes era um blog como milhares de outros, com textos curtos e um layout comum. Se fosse esperar para ter as habilidades de construção de um site profissional, se fosse esperar para ter os recursos necessários para investir em um projeto como o atual, se fosse esperar para escrever textos mais longos (e ter centenas de textos), nunca teria levado a ideia adiante.

Quer dizer, comecei e fui em frente, ainda que não fosse de uma qualidade excepcional, no princípio. Ao invés de a ideia do perfeccionismo me paralisar, eu sabia que tinha que começar de um lugar e comecei do lugar em que era um caminho viável então. Com o tempo, o que não estava tão “perfeito” foi sendo arrumado e, na verdade, até hoje constantemente estou modificando aqui e ali para ficar ainda melhor.

Afinal, a perfeição é só uma ideia, um alvo, uma meta. Quando chegamos em um ponto que consideramos bom, vamos notar que ainda pode melhorar e é neste caminho que vamos construindo…

Antes feito, mas não mal feito

Uma questão que encontramos tão logo apresentemos a frase “Feito é melhor do que perfeito” é a interpretação de que isto significaria fazer de qualquer jeito. Não é por aí. O que o pensamento do Coaching quer trazer com esta frase é de que não devemos paralisar se não tivermos todos os recursos ou capacidades necessárias para a execução.

Usei o exemplo do nosso site, mas poderíamos pensar em diversos produtos e serviços de grandes empresas. Se formos nos lembrar de como era o Windows 95, veremos que houve muito progresso até o Windows 7 e, agora, o Windows 8. Alguém pode criticar – e vai criticar – a última versão, mas o ponto aqui é que nem mesmo uma empresa enorme como a Microsoft pode criar já de começo um serviço ideal.

Como disse, e dizendo de novo, o ideal, o perfeito, nem existe no final das contas porque desenvolvimentos futuros serão necessários. O que não se deve é ficar paralisado por uma barreira imaginária. Seria como se a Microsoft nem lançasse o seu primeiro produto. Se não tivesse lançado o Basic e depois tivesse feito uma incrível jogada de vender um sistema que não tinha para a IBM, o DOS, não teria feito de seu fundador o homem mais rico do mundo.

No mundo da tecnologia, está sendo frequente o lançamento de produtos e serviços chamados de Beta. Com a rapidez do mercado, as empresas lançam um produto X e, logo a frente, já lançam correções, o produto X Beta (ou 2).

O deixar fazer, o fazer depois

É curioso como deixar para depois é, até certo ponto, semelhante a não fazer nunca. Quantas e quantas vezes não vamos postergando um projeto, uma ideia, um planejamento, enfim, e isto vai deixando tudo tão para depois que nunca acontece?

Semelhante à ideia da perfeição, neste caso, a protelação – o deixar para depois – faz com que a realização não aconteça. E daí encontrarmos todo o tipo de justificativas como:

– “Estou esperando o momento certo”

– “Estou esperando ter mais condições”

– “Estou esperando X para que possa fazer Y”…

Como, por exemplo, “Estou esperando ter mais tempo para começar a faculdade”, “Estou esperando ter mais dinheiro para investir”, “Estou esperando um momento melhor para terminar” e assim por diante.

Conclusão

Uma das virtudes mais sublimes que podemos vir a desenvolver é a da paciência. Mas, em muitos casos, é necessário ser impaciente com justificativas furadas. Afinal, esperar o melhor momento, esperar para ter mais habilidades para fazer com perfeição, esperar isto ou aquilo para fazer o que já pode ser feito, tudo isto não passa de uma justificativa furada…

O que é certo é que o tempo vai passando…vai passando… e quando ver já passou. E muitos acabam se lamentando do que não fizeram, do que poderia ter feito, as oportunidades perdidas…

Já disse em outros textos, mas creio ser sempre necessário repetir: “E se daqui a tantos anos, você tivesse começado hoje?”

quem-quer-fazer-algo-sempre-encontra-uma

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913