No consultório de psicologia é muito comum vermos pessoas sofrendo com mentiras de namorados, maridos, amigos, parentes. E, ainda que o sofrimento exista e seja real, pode ser tratado. Também é interessante entender porque as pessoas – e nós – mentimos, pois esta é uma das formas de superar as traições, omissões, falsidades e mentiras.

Todo mundo mente?

Bem, precisamos começar compreendendo que todas as pessoas mentem. Crianças quando aprendem a falar, mentem. Idosos e adultos, eu e você também mentimos. Mas por que? Qual é a causa para haver tanta mentira no mundo?

Segundo os dicionários, mentir é dizer algo contrário à verdade, é emitir um juízo, uma sentença falsa. Embora seja bom começarmos dizendo que todos mentem, é igualmente importante falar que isto não quer dizer que seja algo bom, ético e que vá conduzir à felicidade. Logo mais, neste mesmo texto, falaremos sobre a mentira patológica.

Por que as pessoas mentem?

Imagine uma cena, o namorado chega na casa da namorada para saírem. Ao provar a melhor roupa, ela diz:

– Amor, estou gorda?

Existem algumas respostas possíveis e pode ser realmente verdade que ela não está gorda. Mas digamos que esteja, que ela tenha engordado alguns quilos.

O namorado, então, pode dizer:

– Sim, você está gorda (Verdade)

– Não, você não está gorda (Mentira)

As duas respostas, caso ela esteja um pouco mais gordinha, será estranha já que é comum que  mesmo que a resposta seja que não está gorda, a mulher desconfie. E brigue. Se ouvir a verdade, poderá também começar uma discussão.

Mas nos poucos segundos que tem entre a pergunta e a resposta, digamos que o namorado decida mentir. Por que ele faria isto?

Dado o histórico de comportamentos dela, ele rápido avaliaria que a melhor resposta é: “- Não, você não está gorda” pois desta forma ela – mesmo desconfiada – mudará de assunto e não se sentirá ofendida, evitando assim maiores problemas.

Ora, o objetivo da mentira é sempre este: evitar uma resposta negativa, uma resposta aversiva.

A pessoa que mente pensa que é melhor, mais vantajoso dizer uma inverdade do que dizer a verdade. A verdade é sentida como algo que provocará uma resposta pior e desfavorável. Esta é a causa das mentiras.

Tente pensar nos momentos em que você ouviu ou disse: – “Mas porque você não me disse a verdade?”

O vídeo abaixo, engraçadíssimo, é um exemplo do que falamos:

 

Como saber quando alguém está mentindo?

Como no vídeo acima, do canal Porta dos Fundos no youtube, podemos descobrir sim se alguém está mentindo. É mais fácil reconhecer quando conhecemos bem, quando temos proximidade com a pessoa em questão, pois deste modo, conseguiremos fazer a diferença entre o jeito que a pessoa diz a verdade e o jeito que a pessoa mente.

Porém, algumas pessoas desenvolvem uma grande capacidade de mentir e passar desapercebida. Neste caso, dificilmente se pode notar a diferença.

Em alguns momentos, como no exemplo da pergunta da namorada se está ou não gorda, até é provável que se perceba a mentira, mas talvez a pessoa escolha, prefira ouvir uma pequena mentira do que a verdade.

Esta fato também nos interessa, pois qual seria o motivo de alguém preferir a mentira ao invés da verdade?

Quando isto acontece, é bom lembrar que o comportamento de quem está mentindo tem probabilidade de aumentar, já que a resposta à mentira é melhor recebida. Ou seja, os dois sabem sobre a verdade, os dois fingem que esta é a melhor resposta.

E quem mente o tempo todo? Pseudolalia ou Mentira patológica

Podemos dividir o mentiroso patológico em dois grupos:

1) a pessoa que mente com uma alta frequência mas não acredita nas suas mentiras;

2) a pessoa que mente frequentemente mas acredita que as suas mentiras são verdades.

O fato de acreditar ou não no que se diz é a grande diferença. No primeiro tipo, a pessoa mente por sua própria história de reforçamento, ou seja, pelas experiências pessoas que teve e lhe fizeram crer que mentir é melhor, na maior parte dos casos, do que dizer a verdade. Em outras palavras, a pessoa foi mais premiada ao mentir do que dizer a verdade.

No segundo tipo, há um indício de doença mental, pois acreditar fielmente em suas próprias mentiras pode significar um distúrbio psicológico grave. Entretanto, para sabermos ao certo se a pessoa possui uma doença e qual forma de doença é, precisamos fazer uma avaliação psicológica e psiquiátrica para fecharmos um diagnóstico.

Conclusão

A mentira é comum, está por toda a parte e é dita milhares de vezes ao nosso redor e, talvez, por nós mesmos. O que não quer dizer, claro, que é algo a ser louvado. Dizer que está tudo bem quando encontramos um conhecido na rua (quando na verdade tudo está a ir mal) é uma mentira pequena, quase sem consequências. Outra coisa, é mentir em um relacionamento próximo, como nos casos de traição.

O filósofo Immanuel Kant pensava que a mentira nunca, em nenhum caso, deve ser dita. Pois, de acordo com ele, não devemos fazer nada que não gostaríamos que o outro fizesse conosco. De forma a agir como se, agindo do melhor modo, o outro também pudesse fazer o mesmo.

Ele dá um exemplo, no livro A Crítica da Razão Prática, no qual um amigo é perseguido. Sabemos aonde ele está e ao sermos questionados sobre o paradeiro do amigo por seu perseguidor, devemos dizer a verdade, pois isto é o correto a fazer.

Ou seja, entregamos o amigo para o inimigo dele, porque dizer a verdade é o que é certo fazer em todos os casos. O que ele argumenta é que devemos agir eticamente, não importando a consequência que o nosso ato tenha. Não vamos agir para parecermos bons aos olhos alheios, nem vamos agir mal por influência de alguém ou para nos livrarmos de um incômodo.

Pinocchio

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Terapia Cognitivo Comportamental, Problemas de Relacionamentos, Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913