Texto: Bruno Ricardo Pereira Almeida

Caro leitores do site de PSICOLOGIA ONLINE, Psicologia MSN.com

Como escrevi no texto passado sobre Sombra – um dos conceitos principais da Psicologia Analítica – agora irei falar sobre Persona.

Persona significa máscara. A palavra vem do teatro grego, onde cada personagem utilizava uma máscara para construir seu personagem. A palavra personagem, por sua vez, surgiu da palavra persona. Em latim, per-sona que dizer através do som.

A persona é como se fosse um papel para interpretarmos para sermos vistos pelos outros.

Jung percebeu que nós agimos de maneira diferente em cada ambiente social, de que precisamos ser aceitos para pertencer ao grupo, e temos que nos adaptar dependendo da circunstância.

Como exemplo: Na faculdade eu sou aluno e quero mostrar aos meus professores que presto atenção, não converso, não falto, tirar notas boas; em casa eu sou filho, tenho que respeitar minha mãe, ajudar com alguns afazeres; com minha namorada tento ser perfeito em todos aspectos. Cada um destes papéis é uma persona, uma máscara para o meu eu. Tentando alcançar seu objetivo de ser bem visto e aceito.

Pode ocorrer de o indivíduo utilizar a persona de tal maneira que ele vive como gostaria de ser, e não o que realmente é. Exemplo: um policial que é tenente vive essa persona em todos os lugares. Em sua casa ele trata sua família como se estivesse num quartel general com regras, punições e tudo o mais.

Mas se por ocaso eu viver sem persona? A pessoa não será aceita pela sociedade, não conseguirá se relacionar com alguma pessoa sequer ou viver em qualquer ambiente, pois jamais conseguirá se adaptar às circunstâncias,  e jamais estará receptivo para novas posturas e pontos de vista.

Psicólogo (CRP 06/119079), Especialista em Psicanálise, Pós-graduado em RH, Palestrante e Consultor de Empresas. Visite meu site - Superando Desafios