Todos nós sabemos o que significa sentir. Mas nem sempre sabemos o que estamos sentindo, emocionalmente, ou como descrever uma emoção. Na psicologia, desde o seu início já com William James, encontramos concepções sobre o que define uma emoção, um sentimento, um humor. O objetivo deste texto é esclarecer tais conceitos e suas diferenças.

Entre o corpo e a mente

A primeira definição que podemos dar de uma emoção como raiva, por exemplo, é que sentimos no corpo e na mente. Sentimos sensações corporais em certos locais, talvez a testa e o punho contraídos, músculos dos braços tensos. Também podemos perceber que estamos com raiva pelos pensamentos que aparecem, lembrando do que houve e despertou essa reação ou do que gostaríamos de fazer como o impulso de revidar.

Algumas pessoas sentem mais as emoções no corpo. Outras não estão tão conectadas com estas sutis impressões e sabem como estão emocionalmente pela vinculação com o que estão pensando. Se pensam em uma pessoa amada, sentem amor e sabem que sentem amor, embora não consigam localizar exatamente em qual parte do corpo.

A causa das emoções

A grosso modo, a causa das emoções que sentimos – e que vão se transformando ao longo do tempo – está baseada em avaliações e julgamos que fazemos sobre os eventos. Essa avaliação pode ser incrivelmente rápida e imperceptível conscientemente ou extremamente elaborada e consciente.

Se vemos um amigo do nada na rua e não estávamos esperando o encontro, em questão de segundos sentimos alegria. Não percebemos que sentimos alegria porque avaliamos que encontrar o amigo é avaliado como agradável e prazeroso. A alegria apenas aparece e não importa que não reconheçamos que há ali uma avaliação. É como se ela estivesse subentendida pela nossa história.

Se vemos um amigo com o qual acabamos de ter um desentendimento, podemos sentir irritação. E nessa situação é possível que saibamos que sentimos irritação porque avaliamos que no último encontro sofremos uma injustiça ou uma crítica injustificada.

Assim, “não sofremos pelas coisas, mas pelo modo como vemos as coisas”.

Diferença entre emoções, humor e sentimentos

A diferença entre estes três conceitos reside no tempo. A emoção é mais rápida. Sentimos alegria com uma notícia que estávamos esperando e tristeza se, logo em seguida, lembramos de uma experiência de perda. As emoções podem durar de alguns segundos a alguns minutos.

O humor é mais duradouro. Uma pessoa animada ou com humor deprimido sente por mais do que alguns segundos ou minutos. Um humor talvez dure dias ou semanas.

E, por sua vez, um sentimento é como uma emoção ainda mais constante e consistente. Posso sentir amor por muitos anos por uma pessoa. E essa direção é também uma característica do sentimento nessa definição. O sentimento é direcionado e claramente direcionado para algo ou alguém.

As emoções como sinais

Da mesma maneira que as emoções são causadas por avaliações e julgamentos, também avaliamos as emoções como negativas ou positivas, agradáveis, neutras ou desagradáveis, destrutivas ou construtivas. Esse tipo de classificação é evidente e temos frequentemente a tendência de não querer sentir emoções negativas como tristeza ou raiva.

Porém, sabemos que anestesiar emoções não funciona no longo prazo. Se anestesiamos emoções negativas também anestesiamos emoções positivas como alegria, contentamento, felicidade e no final das contas passamos a sentir muito pouco, o que não é benéfico para a nossa saúde mental.

As emoções sinalizam os nossos valores, o que avaliamos e julgamos como interessante – ou desinteressante. Avalio o amigo que encontro e me traz alegria como uma pessoa importantíssima em minha vida, fico com raiva porque um serviço não foi entregue ou está demorando e sinto felicidade com o nascimento de uma criança.

Pequenos ou grandes sinais, as emoções fazem parte da nossa experiência como seres humanos. E embora muitas delas sejam “desagradáveis”, elas são fundamentais para a nossa vida e para o nosso autoconhecimento.

Portanto, o ideal é que aprendamos a lidar com as emoções sejam elas quais forem, sem mergulhamos tanto a ponto de nos afogarmos…

Evolução, individualidade e cultura

Do ponto de vista da psicologia evolutiva, as emoções contribuíram para a sobrevivência da nossa espécie. O medo e a raiva, por exemplo, são muito claramente emoções que visam à proteção e ao par ataque e defesa. E essa longa história de sobrevivência foi passada geração a geração e encontra-se viva em nós agora.

Por outro lado, as emoções também são determinadas culturalmente. A raiva contra uma minoria era aceita até não muito tempo atrás e hoje não é tolerada. De igual modo, as emoções também são cultivadas individualmente, ou seja, cada um de nós vai construindo ao longo de sua história uma relação com as suas próprias emoções, mantendo mais um humor do que outro, e pode ter uma longa vivência de um sentimento por alguém. Um sentimento tão presente e forte, como amar, que parece que vai durar para sempre.

Conclusão

A principal diferença entre emoção, humor e sentimento é o tempo. A emoção é mais fugidia e instável e dura pouco. Um humor pode durar dias ou semanas, enquanto um sentimento dura anos ou décadas.

Sentimos as emoções no corpo e na mente, dependendo da nossa tendência mais cinestésica ou mental, racional. De todos os jeitos, as emoções e sentimentos são fundamentais para o nosso autoconhecimento. Devemos aprender a lidar com todo esse conteúdo afetivo, não excluindo nada, e, ao mesmo tempo, procurando não se perder no que sentimos.

Referência Bibliográfica

Oatley, Keith. Emotions, a brief history. Blackwell Publishing, 2004

Psicólogo Clínico e Online (CRP 04/25443), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Atendimento presencial na Av. Paulista: Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913