“Não se deve pedir que os acontecimentos ocorram como você quer, mas deve-se querê-los como ocorrem: assim sua vida será feliz”  (Epiteto)

Olá amigos!

Epiteto foi um destes gênios da humanidade que, assim como Sócrates e tantos outros, não escreveu o que pensava. Devemos aos seus discípulos, a preservação do seu pensamento, como o historiador Arriamo, que compilou a sua sabedoria, nos livros Entretenimentos e Manual.

Uma das maiores preocupações de Epiteto, mais do que o conhecimento verdadeiro, era a felicidade. Afinal, podemos acumular um grande número de conhecimentos filosóficos ou científicos ou teológicos, com alto grau de verdade, e continuarmos, entretanto, sem a felicidade.

A genialidade de Epiteto foi fazer a revolução copernicana, antes de Kant, e voltar o seu olhar para o sujeito. E, quando passamos a fazê-lo, nosso modo de encarar a vida e a felicidade se transforma.

Independente da classe social, formação cultural, crenças sobre o pós-morte, a maioria de nós vincula a felicidade ao que acontece no mundo externo, fora de nós. O que muda é o objeto do desejo, mas o fato de ter um desejo (de mudança ou de meta) é idêntico no adulto, no idoso, na criança.

“Serei feliz se, somente se…”

Uma criança, pouco antes do Natal, pensa: “serei feliz se ganhar a minha bicicleta”. Vendo esta cena, podemos pensar que uma bicicleta é algo interessante, porém, conseguimos ver que a vida da criança não vai mudar, se ela tiver ou não tiver a bicicleta. Claro, se ela ganhar, poderá andar e se sentirá alegre por uns meses. Passado um tempo, será um brinquedo a mais no rol de brinquedos.

O que não vemos com tanta facilidade é que continuamos no mesmo processo. O que muda são os objetos ou circunstâncias necessárias para mudar a frase:

“Serei feliz se, somente se…”

Se eu arranjar uma namorada, se eu passar no vestibular, se eu ganhar mais dinheiro, se eu tiver mais amigos, se eu conseguir comprar essa roupa, essa casa, esse apartamento, esse carro, fazer esta viagem… enfim, o objeto de desejo muda da bicicleta para outra coisa, mas a estrutura do pensamento sobre o que é ser feliz continua sem mudança.

 Assim sua vida será feliz

Epiteto, contrariando este tipo de lógica da felicidade, dizia, segundo Arriamo, o seguinte:

“Não se deve pedir que os acontecimentos ocorram como você quer, mas deve-se querê-los como ocorrem: assim sua vida será feliz”  (Epiteto)

Para compreendermos totalmente este pensamento, temos que dar um passo para trás e entendermos a ideia de Epiteto de que existem coisas que podemos controlar e coisas que não podemos controlar. Como podemos mudar, se quisermos, a nossa forma de pensar, podemos controlar os nossos pensamentos. Podemos concordar ou discordar do filósofo, por exemplo.

Mas nem o sujeito mais bilionário do mundo conseguirá controlar todos os eventos de sua vida. Talvez consiga ter mais conforto, porém, o mais bilionário certamente terá que enfrentar – cotidianamente – situações que não estão sob o seu controle.

Se o mercado de ações está em baixa ou em alta, não está sob o seu controle. Se outras pessoas o amam de verdade ou se está chovendo ou fazendo sol, se aparece um gripe ou não, enfim, milhões de situações que mesmo a pessoa mais rica não poderá controlar.

Sabendo disso, é de certa forma uma infantilidade querer que todos os momentos e circunstâncias sejam conforme queremos, certo?

Então, conseguimos perceber que quanto maior for a distância entre o desejo e a realidade, maior será a frustração.

Se uma pessoa acorda e nota apenas e tão somente o que não está de acordo com o seu desejo, terá um dia miserável. Reclamará disso, reclamará daquilo e daquilo outro. No caso, a distância entre o que esta pessoa quer e os acontecimentos é grande. Portanto, a felicidade não será grande, se houver alguma.

Agora, se, ao contrário, os acontecimentos que não dependem do controle individual estiverem próximos do que se quer, haverá mais felicidade. Se está chovendo, está chovendo. De que adianta ficar emburrado como uma criança de dois anos? Se está calor, está calor. Se está frio, está frio.

Conclusão

Não há nada de ruim em querer uma bicicleta ou outra coisa qualquer. O desejo, a vontade de querer mudanças e melhorias, é saudável. Entretanto, isso não contradiz a lógica da felicidade de Epiteto, pois uma coisa é querer que haja mudança e melhoria e outra é colocar apenas no futuro, e em certo acontecimento, a felicidade.

Pois ao colocar a felicidade na estrutura “se, somente se isso acontecer, serei feliz”, nós deixamos a felicidade no futuro. Como sabemos, o futuro é algo que não existe. Algo que pode acontecer, mas pode igualmente não acontecer. De todo modo, ser feliz no futuro é impossível e não raro ao realizar a meta que seria a concretização da felicidade, instantaneamente surge outra meta. “Consegui isso, ótimo! Estou feliz. Mas estarei mais se, somente se isso outro acontecer…”

Psicólogo Clínico e Online (CRP 04/25443), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Atendimento presencial na Av. Paulista: Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913