“No grande triunvirato de Freud, o ego, o superego e o id representam conjuntos de contingências que são quase inevitáveis quando a pessoa vive em grupo” (Skinner, p. 131) 

Olá amigos!

Durante a faculdade de psicologia, é comum vermos discussões acaloradas sobre as diversas teorias que procuram explicar os pensamentos, sentimentos, os comportamentos das pessoas. Após alguns períodos na faculdade, cada aluno vai definindo qual abordagem prefere e, com isso, procura defender o que acredita ser o mais correto, o mais próximo da verdade.

Entretanto, embora a defesa do próprio ponto de vista possa ser um exercício para aprender e saber argumentar, é importante entender o conhecimento é gerado e mantido pelo pensamento, e não pelo julgamento de um ser melhor e o outro pior. Como diz Jung, “Pensar é difícil, é por isso que a maioria das pessoas prefere julgar”. Digo isso porque não raro vemos estudantes deixando de ler autores com os quais não concordam, enquanto os próprios autores, por serem pensadores, conheciam as obras uns dos outros.

No livro Sobre o behaviorismo, de B. F. Skinner lemos no capítulo “O Mundo interior da Motivação e da Emoção”, um trecho no qual ele explica os conceitos de Freud, de id, ego e superego (é claro, a partir da sua perspectiva da psicologia comportamental).

Conheça o nosso Curso Skinner – Sobre o Behaviorismo – em Vídeo

Skinner explica o Id, Ego e Superego de Freud

Inicialmente, Skinner relaciona os conceitos à metáfora cristã do “Velho Adão” e da consciência. O “Velho Adão” é o homem ainda no paraíso, sem a consciência, e com a possibilidade de ter tudo o que desejar:

“No grande triunvirato de Freud, o ego, o superego e o id representam conjuntos de contingências que são quase inevitáveis quando a pessoa vive em grupo. O id representa o “Velho Adão” da tradição judaico-cristã – a ‘natureza pecaminosa’ do homem derivada de suas suscetibilidades inatas para o reforço, grande parte deles quase que inevitavelmente em conflito com interesses de outrem. O superego – a consciência judaico-cristão – fala com ‘voz ainda fraca’ de um agente (usualmente) punitivo que representa o interesse de outras pessoas” (Skinner, p. 131).

O id

A metáfora cristã do pecado traz a ideia de que o homem, originalmente, teria um comportamento (“instintivo”) que o direciona para os chamados reforços naturais, como sexo e comida. Com o convívio social, a busca por estas e outras satisfações egoístas o coloca em conflito com os interesses alheios. Assim, com o tempo, as pessoas vão assimilando regras de convívio e as possibilidades de sanções e punições se transgredir o que as outras pessoas limitam.

O Superego

Na continuação do texto, Skinner explica o que entende por superego e a sua relação com o inconsciente. Segundo ele, o insconsciente é definido pela inabilidade ou incapacidade de se descrever o próprio comportamento.

Em um capítulo anterior, “Causas e Razões” ele diz: “Todo comportamento, efetivo ou não, é inicialmente não-racional no sentido de que as contingências responsáveis por ele não foram analisadas. Todo comportamento é, em princípio, inconsciente, mas pode tornar-se consciente sem se tornar racional: uma pessoa pode saber o que está fazendo sem saber por que o está fazendo” (Skinner, p. 114). Sobre o superego, ele escreve:

“Ele é um ‘dos setores principais da psique’ apenas no sentido de ser uma ‘parte do comportamento humano’ e é em grande parte inconsciente somente porque a comunidade verbal não ensina às pessoas observá-lo ou descrevê-lo. Ele é principalmente o produto das práticas punitivas de uma sociedade que tenta suprimir o comportamento egoísta gerado por reformadores biológicos, e pode assumir a forma de uma imitação da sociedade (‘servir de vigário da sociedade’) na medida em que as injunções de pais, professores e outros se tornem parte de seu repertório” (Skinner, p. 131).

O ego

Por sua vez, o ego estaria entre o id e o superego:

“O ego é o produto das contingências prática da vida diária, envolvendo necessariamente suscetibilidades ao reforço e às contingências punitivas organizadas por outras pessoas, mas exibindo um comportamento moldado e mantido por um ambiente atual” (Skinner, p. 131).

“Diz que ele [o ego] satisfaz ao id quando alcança certo nível de reforço biológico, e o superego, quando o faz sem acarretar dose excessiva de punição. Não é preciso dizer que estas três personalidades arquetípicas são os atores de um drama interno. O ator é o organismo, que se tornou uma pessoa com repertórios diferentes e possivelmente conflitantes, em consequência de contingências adversativas e talvez conflitivas” (Skinner, p. 131).

Conclusão

Apesar da leitura de Freud, é evidente que Skinner não concorda com a construção teórica da psicanálise. Entre muitos outros motivos, há a ideia fundamental para a sua psicologia comportamental de que é o meio ambiente – e não a psique (o interior do homem) – que controla e molda o comportamento:

“A análise de Freud pareceu convincente por causa da sua universalidade, mas são as contingências ambientais, mais do que a psique, que são invariantes” (Skinner, p. 131).

De toda forma, é interessante saber não só que os grandes autores liam as outras de outros pensadores, mas que procuravam entender os conceitos para, aí sim, criticá-los ou explicá-los a partir do seu próprio ponto de vista.

Conheça o nosso Curso Skinner – Sobre o Behaviorismo – em Vídeo

Referência

SKINNER, B. F. Sobre o behaviorismo. São Paulo: Cultrix, 2006

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913