Na psicologia cognitiva há o modelo cognitivo que, entre outras informações, nos traz a seguinte concepção: O que acontece fora de nós, os eventos externos, são interpretados por nossas crenças, que são formas de pensar sobre um conjunto de coisas. As crenças, por sua vez, mantém pensamentos, sentimentos e sensações que afetam diretamente o comportamento.

Por exemplo, imagine uma pessoa que tem a seguinte crença:

– “Não é possível ganhar dinheiro com a psicologia”. Bem, esta é uma crença porque é uma forma de pensar sobre um conjunto de coisas (ganhar dinheiro com psicologia).

Esta crença vai afetar diretamente o modo como esta pessoa sente e como ela age. Se ela tiver estudando psicologia ou se ela já estiver querendo trabalhar na área, esta crença vai limitar muitíssimo o modo como ela vai se comportar.

Esta crença pode gerar tristeza, desmotivação, desânimo, raiva ou outros sentimentos incapacitantes que, em consequência, vão gerar uma atitude negativa. A atitude negativa obviamente vai ter resultados negativos e, assim, a pessoa passa a confirmar na realidade a sua crença!

Entenderam como é um ciclo vicioso? A crença cria pensamentos e sentimentos negativos que causam comportamentos desastrosos e estes acabam dando um retorno péssimo que acaba confirmando a crença!  Não é que a crença esteja certa, mas a pessoa acaba confirmando a verdade para ela.

Outras pessoas na nossa área psi já não tem a crença de que a psicologia não dá dinheiro, mas tem crenças limitantes.

 Por exemplo, crenças como:

 – “Psicologia não dá muito dinheiro”

– “Não dá para ganhar mais do que X por mês”

– “Tem que trabalhar muito para ganhar alguma coisa”

Será que você está tendo este tipo de crença?

Se você está tendo alguma (ou todas) estas crenças limitantes você vai notar facilmente que este tipo de crença também vai gerar pensamentos, sentimentos, sensações e comportamentos. Não vão ser tão negativos como a crença de “psicologia não dá dinheiro” mas também não vão trazer resultados extraordinários.

Como o nosso site psicologiamsn.com tem mais de 10 milhões de acessos, vejo todos os dias como colegas de profissão me enviam email sobre o mercado, sobre dúvidas em que área trabalhar ou se especializar e noto que a maioria tem este tipo de mentalidade.

Responda rápido: quanto é possível ganhar com psicologia por mês (em reais)?

1.000

2.000

4.000

6.000

10.000

100.000?

Bem, a faixa salarial que você respondeu vai refletir as crenças que você está tendo. Vai ser o seu limite do que você acha que pode ganhar e, também, vai ser o limite do seu empenho, da sua motivação e do seu esforço.

Você acredita que é possível ganhar muito mais fazendo menos? Você concorda com o que os americanos dizem de que não é trabalho duro, mas o trabalho com inteligência que dá retorno? Você concorda que continuar fazendo a mesma coisa e esperar resultados melhores é uma forma de insanidade?

Bem, o objetivo deste texto é fazer com que você pense sobre o que você tem de limite. O limite do que você acredita que consegue ganhar por mês, o limite do que você considera que você merece ganhar, o limite das suas crenças sobre dinheiro (como achar que dinheiro não traz felicidade ou que é necessário trabalhar como maluco para ter algum retorno).

Faça uma lista do limite que você

– Pensa que pode ganhar por mês

– Acha que você consegue ganhar

– Acredita que você merece

Em seguida, se questione: por que você não pode ganhar mais? O que te impede?

Um dos maiores limites ou impedimentos está na divulgação profissional. Como diz o incrível diretor de cinema Woody Allen: “80% do sucesso consiste em aparecer!”

Então, pare por mais alguns momentos e reflita sobre o modo como você acredita que o profissional da psicologia pode divulgar o seu trabalho. Ou sobre o modo como você vem divulgando o seu trabalho. Você faz apenas um cartão de visitas com seu nome e telefone? Você tem poucos contatos com outros profissionais? Você não tem nem um site? Divulga seu trabalho no facebook? (Se você ainda não se formou… pense sobre como vai divulgar o seu trabalho).

Mitos sobre a divulgação do psicólogo(a)

Quando me formei, em 2006, lembro que havia um artigo no código de ética que proibia a divulgação de fotos do profissional. Atualmente, existem ainda certas limitações para a divulgação – com as quais concordo – mas nestes últimos nove anos, muita coisa mudou.

Foi nesse ano (2006) que o CFP começou a criar a possibilidade de Orientação Psicológica Online, ou seja, a realização de serviços online. Inicialmente, estava restrito a pesquisas em universidades e, com o tempo, abriu-se a possibilidade para o oferecimento de serviços como entrevistas inicias na área de recursos humanos, orientação psicológicas específicas com duração de no máximo 20 sessões (como, por exemplo, orientação profissional, sexual, etc), supervisão de outros profissionais ou atendimento a clientes que estejam em viagens.

Portanto, é importante ficar claro que o profissional da psicologia pode divulgar o seu trabalho, não só através de cartões de visita (e currículos para empresas) como também pode fazer propagandas em meios de comunicação, como rádio, TV, jornais impressos e, especialmente, a internet.

Porém, evidentemente, é necessário conhecer as regras. Penso que uma das mais importantes é não prometer resultados taxativos. As outras são autoexplicativas e de claro bom senso. O CRP do Rio Grande do Sul, divulgou um manual com diversas dicas:

É permitido o uso da publicidade nos serviços psicológicos?

O psicólogo que divulga um serviço profissional deve in- formar com exatidão seu nome completo e número de registro, podendo, ainda, citar suas habilitações, limitando-se a estas. Este cuidado visa a uma adequada informação àqueles que buscam os serviços psicológicos, permitindo ao consumidor a plena identificação do profissional que está se anunciando e de suas adequadas práticas, coibindo o exercício ilegal da profissão, numa clara manifestação de proteção à profissão e de defesa da sociedade.A divulgação de serviços psicológicos através de anún- cios, cartão de visita, publicidade em lugares públicos (placas, cartazes etc), deve estar de acordo com as normas contidas no Código de Ética:

Art. 20 – O psicólogo, ao promover publicamente seus serviços, por quaisquer meios, individual ou coletivamente:

a) Informará o seu nome completo, o CRP e seu número de registro.

b) Fará referência apenas a títulos ou qualificações profissionais que possua.

c) Divulgará somente qualificações, atividades e recursos relativos a técnicas e práticas que estejam reconhecidas ou regulamentadas pela profissão.

d) Não utilizará o preço do serviço como forma de propaganda. e) Não fará previsão taxativa de resultados.

f) Não fará autopromoção em detrimento de outros pro- fissionais.

g) Não proporá atividades que sejam atribuições privativas de outras categorias profissionais.h) Não fará divulgação sensacionalista das atividades profissionais.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913