Saiba o que é Reabilitação Cognitiva, para quem se destina, e quais os profissionais e tipos de terapia existentes. 

Olá amigos!

Recentemente, recebemos diversos pedidos para que falássemos sobre reabilitação cognitiva. E, no texto de hoje, falaremos sobre o que é e como funciona. É um texto introdutório, mas que procura explicar, em geral, tudo sobre esta forma de atuação de psicólogos e outros especialistas, como neurologistas, terapeutas ocupacionais, neurocientistas, entre outros.

O que é reabilitação cognitiva?

Para começarmos, podemos pegar as duas palavras para entendermos de que se trata a reabilitação cognitiva. Reabilitar significa habilitar novamente. Cognitivo ou cognitiva se refere às funções psicológicas que envolvem a cognição. Literalmente, cognição significa conhecer – do latim com, junto) + noscere, “saber, conhecer”.

Então, podemos entender a reabilitação cognitiva como práticas que visam reabilitar um indivíduo para conhecer, ou seja, para utilizar as funções psicológicas básicas que são designadas como cognitivas: atenção, memória, habilidades sociais, além da capacidade julgar, avaliar e imaginar situações futuras, bem como de usar a linguagem e a comunicação, em geral.

Por exemplo, uma pessoa que tenha passado por uma acidente de carro e tenha sofrido um forte impacto em seu crânio, talvez tenha sequelas devido aos ferimentos que atingiram partes do cérebro ou um paciente que tenha tido uma doença cardiovascular, como um derrame (AVC) ou um aneurisma, também pode ter tido alterações anatômicas no cérebro que prejudicam as funções psíquicas, das mais básicas às mais complexas.

Com as descobertas das neurociências, entretanto, temos algumas novidades importantes:

– Primeiro, sabemos agora que o cérebro é plástico, ou seja, há uma grande capacidade de que os neurônios e sinapses se rearranjem para substituir problemas em outras partes. Assim, se uma função foi prejudicada por um traumatismo em determinada área, áreas adjacentes conseguem – com o tempo – fazer o trabalho da área prejudicada.

– Segundo, devido também à plasticidade cerebral, é possível que qualquer pessoa venha a aprender novos comportamentos e, se tiver tido um acidente ou problema de saúde, poderá igualmente aprender ou reaprender o que, por ventura, tiver perdido (temporariamente).

O que é a Terapia da Reabilitação Cognitiva?

A Terapia da Reabilitação Cognitiva, em inglês – Cognitive Rehabilitation Therapy (CRT) – é um termo genérico utilizado para descrever a terapia (ou terapias) de reabilitação cognitiva. Na medida em que existem uma gama muito ampla de lesões cerebrais, não falamos em um único tipo de tratamento.

O Instituto de Medicina (IOM), nos Estados Unidos, apresenta a seguinte definição: “A reabilitação cognitiva visa melhorar o funcionamento e a independência em pacientes com problemas cognitivos resultantes de danos cerebrais ou doenças, mais comumente seguidos de trauma cerebral ou derrame”.

E, evidentemente, temos que distinguir a Reabilitação Cognitiva da Terapia Cognitiva, que é uma vertente de terapia da psicologia que poderia até trabalhar com pacientes com dano cerebral, porém, possui uma definição muito mais genérica. Em outras palavras, a terapia cognitiva ou terapia cognitivo-comportamental foca a sua atenção sob um grupo de pacientes maior, com problemas emocionais e mentais e não só em pacientes que tiveram problemas físico-cerebrais, como faz a reabilitação cognitiva.

De acordo como o Instituto de Medicina (IOM), existem duas formas básicas de atuação da Reabilitação Cognitiva:

– Tratamento restaurativo, cujo objetivo é melhorar o sistema cognitivo para funcionar em dezenas de atividades;

– Tratamento compensatório, que treina o paciente a encontrar e utilizar soluções para áreas problemáticas, como fazer uso de cadernos ou notas para lembra-se de atividades ou aprender estratégias que procuram compensar a perda de uma ou mais habilidades.

Tipos de tratamentos e tipos de profissionais

A partir da definição do que é a reabilitação cognitiva, e tendo em vista um paciente que há pouco sofreu um dano cerebral, notamos que muitos profissionais poderão vir a ajudá-lo, não só profissionais da psicologia. É claro que médicos de especialidades distintas auxiliam no diagnóstico e na proposição de terapias, mas igualmente psicólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, neuropsicólogos, educadores físicos, enfermeiros, (entre outros) podem vir a compor a equipe para que o tratamento seja eficaz e duradouro.

E, assim como existem diversos tipos de profissionais para realizar a reabilitação cognitiva, também existem tipos diferentes de tratamentos, não só no que tange ao que será feito em uma sessão, como também na modalidade. Muitos tratamentos são individuais, mas muitos também são realizados em grupos; enquanto alguns serão uma vez por semana, outros serão mais intensivos e de cuidados constantes.

Conclusão

Em tese, a reabilitação cognitiva não será muito diferente de um tratamento para uma condição complexa, como câncer, mal de Parkinson, diabetes, doenças cardiovasculares. Uma equipe de profissionais, frequentemente chamada de multidiscplinar ou transdisciplinar, ajudará o paciente a melhorar ou, ao menos, manter certa estabilidade e não piorar na sintomatologia.

De modo que na reabilitação cognitiva, após um dano cerebral, o paciente se beneficiará do cuidado dos profissionais para conseguir reverter o seu quadro, restaurando habilidades cognitivas perdidas temporariamente, ou a desenvolver modos de lidar com perdas que talvez sejam irreversíveis.

Portanto, o paciente terá o cuidado, com a avaliação e atendimento, para se readaptação física, psíquica e social. Ao longo do texto, mencionamos algumas condições como acidentes e traumatismos e derrames, mas existem outras doenças, inclusive Parkinson e Alzheimer, cujos pacientes também podem vir a se beneficiar da reabilitação cogntiva.

Para quem se interessar pela área e estiver fazer uma graduação relacionada, existem pós-graduações específicas de reabilitação cognitiva. Em pós-graduações pesquisadas por nós, notamos a abertura de turmas para os seguintes profissionais: “Psicólogos, Médicos, Terapeutas Ocupacionais, Pedagogos, Fonoaudiólogos, Fisioterapeutas e Enfermeiros”.

Para concluirmos, é relevante também a questão de que o paciente da reabilitação cognitiva normalmente precisa muito do auxílio da família e, portanto, a família igualmente pode vir a aprender sobre o tema.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913