Conforme Leitão (apud NOCE, 2002, p. 221), “o conceito de liderança está relacionado ao de personalidade, no qual o líder é definido como o individuo que possui o maior número de trações desejáveis de personalidade e de caráter.”

O técnico Boone (negro) ao ingressar no time decide fazer uma concentração com os jogadores (brancos e negros) ao longo da concentração é nítido observar a falta de coesão do grupo, mas Boone obriga que todos os atletas soubessem mais sobre outro. A atitude do treinador Herman Boones, de pegar pesado com os jogadores na concentração, fez com que ambos começassem a aceitar a diferença entre brancos e negros, na base da coerção que se baseia no temor, pois quando ele diz aos jogadores que se eles não souberem tudo sobre a vida de seu colega de quarto, irão ter que treinar 4 vezes ao dia.

Sendo assim os jogadores começaram a se entender entre eles e assim aceitaram melhor as coordenadas passadas por Herman, mostrando que um negro pode sim ser técnico e liderar um time de futebol igual a um branco. Podemos dizer então que as relações afetivas do líder com o grupo têm sido entendidas como sendo de grande efeito nas situações favoráveis. Sendo ele um líder respeitado e querido, podendo obter o consentimento do grupo em relação as suas decisões, sem o exercício do poder, podendo dessa forma agir mais decisivamente com mais confiança do que o líder que não é querido ou é rejeitado pelos membros do grupo (como acontecia no começo, quando ele foi escolhido para ser técnico).

Gerry e Julius tem um papel bastante importante de liderança na formação da equipe, eles administraram uma serie de conflitos intra grupo, tentando influenciar seus colegas a não só aceitarem o novo técnico mais sim a constituírem um nova equipe. Observa-se que nessa equipe, a coesão entre os membros foi muito mais importante para o resultado do que o desempenho individual de cada atleta. As resistências exteriores vividas (comunidade, amigos, familiares) serviram como um reforçador para os integrantes demarcaram melhor as diferenças entre sua equipe e as demais, fortalecendo a identidade grupal.

Conforme Noce (2002) a motivação é um dos componentes mais interessantes e complexos no processo de liderança. Ela é o componente subjetivo da ação. O individuo pode possuir inúmeras competências que o habilitem a realização de tarefas, porém a motivação determinará o grau de envolvimento e, muitas vezes, a qualidade com que a tarefa será cumprida. É um elemento decisivo no processo de liderança, e pode ser entendida como a “unidade propulsora” do comportamento.

Podemos dizer que umas das motivações foram a que todos os jogadores passaram na concentração, da união e igualdade entre negros e brancos, e quando voltam para a cidade, eles percebem que é diferente do que eles aprenderam lá, o preconceito ainda reinava e estava prejudicando a união do grupo. Para isso eles se juntam como um time, independente da raça, mas da coesão grupal, da unidade que eles formaram. Tanto que quando os membros se reúnem para falar sobre isso e logo depois acabam inventando a dança antes de iniciar o jogo, que diz: “Todo lugar que vamos, as pessoas querem saber quem somos e nós dizemos: Somos os Titãs, os poderosos Titãs”.

Por Boone ser muito autoritário, pois nunca deixava qualquer participação na discussão e fixação nas metas. Assim conforme Noce (2002, p.231) “O líder autoritário reveste de poder absoluto e absorve inteiramente a iniciativa do grupo, polarizando, na sua pessoa, tanto a capacidade planejar, decidir e controlar todas as ações dos liderados”.

Assim sendo Boone utilizava a estratégia de pressão externa ao grupo, pois, conforme a situação se houvesse maior interação os sentimentos seriam mais positivos e assim teria o comportamento-padrão desejado. Um exemplo é quando um jogador pede água para ele, e ele diz que água é para os fracos. Numa visão estratégica ele queria era fazer com que eles se tornassem fortes, não reclamassem da sede, mas sim jogassem com toda força e motivação intrínseca que tivessem. Se um jogador no treino sofre isso, no jogo seria mais fácil para ele jogar sem reclamar independente de suas necessidades.

Toda esta linha dura feita pelo treinador perante aos jogadores durante o filme inteiro, pode estar relacionada ao comportamento de instrução e treino, onde o comportamento do treinador deverá estar voltado para a melhoria da performance dos atletas com ênfase no treinamento duro e exigente. Devendo instruir os atletas nas práticas, técnicas e táticas da modalidade, explicando o relacionamento entre os membros do grupo, estruturando e coordenando suas atividades. Fazendo com que assim, os jogadores percebessem que são capazes de ganhar o campeonato.

O técnico pode ser considerado um bom treinador, pois se adapta rapidamente ao grupo, as exigências, as tarefas (técnica-tática), situações, e comporta-se de forma flexível e variável, sabendo o momento de ser autoritário ou democrático. No treinamento e na competição apresentam-se frequentemente conflitos pessoais entre atletas ou entre treinadores e atletas. O treinador deve ter uma boa sensibilidade para perceber conflitos sociais e desenvolver a capacidade de analisá-los e solucioná-los. O bom treinador deve ter a capacidade de analisar rapidamente situações complexas (especialmente nos jogos), antecipar problemas e conflitos sociais, decidir e reagir rapidamente de forma adequada. Por este motivo o treinador deve participar de programas de treinamento de percepção, antecipação e comunicação. O treinador deve dar apoio social aos atletas, desenvolver boas relações interpessoais com os mesmos e criar um clima emocional positivo. O relacionamento entre treinador e atleta deve ser de confiança mútua. Todos esses processos e comportamentos, podem ser percebidos em diversos momentos do filme.

Mas não basta só isso o líder tem que ter reconhecimento da necessidade e ser empático assim como o técnico assistente Yoast. Um bom líder é aquele que sabe aplicar técnicas de solução de problemas. Ou seja, quando o Yoast concorda com a decisão um jogador dar seu lugar para outro que estava melhor que ele, para assim poderem ganhar o jogo. A capacidade de perceber uma situação-problema e soluciona-la é características essenciais aos bons líderes.

Quer mais dicas de filmes? Veja – Psicologia e Cinema – 215 Filmes para quem ama psicologia

 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SAMULSKI, D.M. Psicologia do esporte. 1 ed. Editora Manole, 2002.

Psicólogo (CRP 06/119079), Especialista em Psicanálise, Pós-graduado em RH, Palestrante e Consultor de Empresas. Visite meu site - Superando Desafios