De acordo com Vicente (2005), o Psicodrama se baseia num conjunto de técnicas, em que através do jogo teatral improvisado se visa exprimir e desenvolver as disposições mentais latentes dissimuladas ou repudiadas da vida mental, e principalmente da vida psíquica.

Segundo Ramalho (2011), o psicodrama busca fazer o indivíduo alcançar uma existência autêntica, espontânea e criativa. Nas abordagens vivenciais, a técnica e a teoria são secundárias em relação à pessoa e à importância da relação terapeuta e cliente.

Nas abordagens fenomenológico-existenciais busca-se o desenvolvimento da intuição, da liberdade e da sensibilidade; não se utilizam enquadramentos diagnósticos psicopatológicos. Vê-se o neurótico como alguém que ainda não encontrou seu caminho de crescimento, ou seja, que se submeteu ás conservas culturais, cristalizou papéis e deixou de ser espontâneo criativo, perdeu o sentido da sua vida. Enfim, para o psicodrama, o neurótico tem dificuldade de viver o aqui – e – agora, o momento, pois falsifica o fluxo das suas vivências. Os existencialistas e psicodramatistas concebem o homem como um ser inacabado, em eterno devir (RAMALHO, 2011).

Enfim, as terapias vivenciais de base fenomenológico-existencial têm como objetivo fazer com que o indivíduo possa resgatar a liberdade de poder utilizar suas próprias capacidades para existir, para reaprender a utilizar a sua liberdade de forma responsável, para ser o que ele é. Para tal, promovem uma relação terapêutica que privilegia o encontro existencial eu – tu, que recria e permite o encontro na vida, em outras relações sociais.

Moreno pretendeu que cada sessão psicodramática fosse uma experiência existencial. Através do discurso de Moreno, podemos encontrar os conceitos básicos da fenomenologia existencial, tais como: existência, ser, temporalidade (o aqui – e – agora), espaço, encontro, liberdade, projeto, percepção, corpo, imaginário, linguagem, sonhos, vivência, etc.

O Psicodrama permitiria, através deste jogo, fazer ressurgir comportamentos, fantasias e afetos, que ajudariam a descobrir, modificar e desenvolver a personalidade. Esta concepção inspira-se numa tradição grega antiga, na qual o teatro, além do valor de interesse estético, tem uma influência no enriquecimento e domínio do próprio. Assim, o valor do teatro terapêutico seria fundamentalmente catártico e, quando representado com total espontaneidade, tornar-se-ia criativo e libertador. (VICENTE, 2005)

Segundo Moreno:

“o homem possui recursos inatos: a espontaneidade, a criatividade e a sensibilidade. Tais recursos podem ser alterados ou prejudicados pela ação do meio ambiente e dos sistemas e regras sociais. Para ele, suas ideias proporcionariam uma Revolução Criadora através da recuperação da espontaneidade e da criatividade.” (apud PEREIRA, 2011, p. 32)

A espontaneidade está ligada a capacidade do individuo ajustar-se a uma nova situação de maneira inédita. Em resumo estabelecer um novo jeito em algo remete ao conceito de criatividade. (PEREIRA, 2011)

Para analisar a dinâmica do grupo foi utilizado como referencia o livro de Victor R.C.S. Dias, Psicodrama: Teoria e Prática, que conforme o mesmo define o psicodrama grupal:

“Psicodrama de grupo é a forma mais abrangente do psicodrama e inicialmente proposta por Moreno, quando da criação do psicodrama, tendo o psicodrama individual e o bipessoal surgido como adaptações a determinados clientes e a determinados terapeutas ou simplesmente situações econômicas. O psicodrama de grupo se caracteriza obviamente por uma psicoterapia em grupo, em que se utiliza tanto a técnica como a postura e a filosofia do psicodrama.” (DIAS, 1987, p. 95)

Conforme Dias (1987) o funcionamento da terapia de grupo se baseia em três pilares principais: 1) “O grupo é uma amostra do social, e portanto, todas as dificuldades que o cliente tem a nível das relaciones interpessoais lá fora tendem a aparecer em maior ou menor intensidade dentro do grupo” (p.106) Ou seja, na terapia de grupo, o cliente é obrigado a enfrentar o que tanto incomoda nas suas relações. Após lidar com determinada situação ele aprende a lidar com isso e passar a ter espontaneidade. 2) “[…] já que qualquer tipo de problemas está vinculado a um conflito que de afeto básicos são características intrínsecas de todo ser humano.” (p.107) Isto é, qualquer tipo de problema trabalhado o núcleo afetivo ligado ele, pode produzir modificações no individuo sem ele perceber. 3) “São as modificações que acabam ocorrendo quando o cliente é protagonista de uma sessão onde então ele não só vivencia seus problemas e núcleos afetivos, mas também entende o por que desse comportamento”(p.107)

Dias (1987) cita a teoria de Bermudez – núcleo do Eu para identificar os tipos de indivíduos no grupo e mostrando que o grupo ideal seria composto por ingeridores (histéricos e fóbicos), defecadores (psicopatas e depressivos) e urinadores (obsessivos e compulsivos). Na medida em que o psicoterapeuta tem como função ajudar enxergar a falha da percepção do grupo. Desvendando no contrato como estabelecer algumas regras básicas nas quais o sigilo, que seria contar o milagre, mas não contar o santo.

O mesmo autor mostra a configuração básica do grupo na qual é primeiro que todos os clientes têm um vinculo com o terapeuta, depois eles começam a se integrar uns com os outros, que passa pela fase da circulação onde todos conversam entre si e também com o terapeuta, e depois a hierarquização no qual o grupo se torna bastante operativo.

REFERÊNCIAS

DIAS, Victor. Psicodrama: Teoria e Prática. São Paulo: Agora, 1987.

PEREIRA, R. A. As cenas temidas do psicoterapeuta iniciante: a construção do papel profissional do psicoterapeuta. São Paulo: Ágora, 2011.

RAMALHO, CYBELE M. R. Psicodrama e dinâmica de grupo. IGLU, 2011.

VICENTE, L.B.; Psicodrama: Transferência e contra-transferência. Análise Psicológica (2005), 2 (XXIII): 79-83.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913