“O que é Psicologia Organizacional?”

“Qual o papel do psicólogo?”

A psicologia organizacional é a psicologia que atua nas organizações: empresas, ONGs, instituições, governo. O papel do psicólogo nas organizações é o de um profissional que desenvolve estratégias para melhorar o ambiente de trabalho, em geral.

Se ele atua em uma empresa por exemplo, ele pode contribuir com a estruturação ou reestruturação da empresa como um todo: desde o número de funcionários até a faixa salarial de cada um deles.

Cabe ao psicólogo organizacional entender os fenômenos relacionados à vida do sujeito e seu contexto. Do colaborador com a organização.

Um exemplo simples: em um determinado supermercado os funcionários que trabalham no caixa ficam em pé o dia todo. Provocar uma mudança simples como comprar cadeiras adequadas ao desempenho na ocupação pode ser uma das funções do psicologia dentro das organizações.

Outro função, já mais comum, é o da recrutamento e seleção de pessoal. Imaginemos o mesmo supermercado, que está se expandindo. Com a expansão cem novos empregos serão oferecidos.

Como contratar as pessoas para cada uma das vagas disponíveis?

O psicólogo vai recrutrar os candidatos. Recrutar ou fazer o recrutamento quer dizer chamar, oferecer, divulgar as vagas que estão em aberto. A divulgação pode ser em jornais, internet, rádio, entre outros meios.

A partir do recrutamento, aparecem os candidatos que querem trabalhar. Agora temos uma outra questão: como selecionar, escolher o melhor funcionário?

Saiba mais – Curso Recrutamento e Seleção 

Recomendamos – Curso Departamento Pessoal

O papel de seleção de pessoal foi uma das primeiras formas de atuação da psicologia, no ínicio do século XX (1900).

Com o crescimento da indústria era necessário escolher as melhores pessoas para cada uma das vagas. E é aí que surge a ideia de perfil profissional.

Algumas pessoas são “melhores” para determinadas atividades. Melhores no sentido de serem mais rápidas, atentas, comprometidas com aquela função.

No caso do caixa de supermercado: se a empresa contrata uma pessoa desatenta, dispersa e lenta a função não será bem realizada. Enquanto no caixa ao lado, passaram 10 compras, no caixa da pessoa desatenta não passará nem dois.

Dizendo de outra forma: cada pessoa tem um determinado talento, uma determinada personalidade que será melhor desempenhada em determinado emprego.

Muitos currículos que chegam às empresas não expressam detalhadamente o perfil profissional, acadêmico e social do candidato, sendo necessário fazer relação entre os dados apresentados no currículo com a comunicação verbal e não-verbal do entrevistado.

Então é de extrema importância o papel do psicólogo para relacionar o sujeito com a vaga de emprego.

E para tanto, existem diversas técnicas de avaliação do perfil como as dinâmicas de grupo, testes psicológicos e entrevistas individuais, que são instrumentos importantes para procurar um índice de acerto na contratação do candidato em relação às expectativas e necessidades do contratante.

Texto: Bruno Ricardo Pereira Almeida e Felipe de Souza

Psicólogo (CRP 06/119079), Especialista em Psicanálise, Pós-graduado em RH, Palestrante e Consultor de Empresas. Visite meu site - Superando Desafios